/

Casos positivos aumentam para 245. Há mais três cadeias de transmissão

Maxim Shipenkov / EPA

Portugal regista, até ao momento, 245 casos confirmados de infeção por coronavírus, mais 76 do que os registados no sábado.

Este domingo, o boletim da Direção-Geral de Saúde (DGS) dá conta de 245 casos positivos de infeção por coronavírus em Portugal. São mais 76 casos do que os confirmados este sábado.

Segundo as informações avançadas, há 281 casos a aguardar confirmação de resultados laboratoriais e 4.592 casos a serem vigiados pelas autoridades. A atualização feita pela DGS avança que há dois doentes recuperados e nove pessoas internadas nos cuidados intensivos, menos uma do que ontem.

Há agora 14 cadeias de transmissão ativas, mais três do que no sábado. Os casos importados são da Alemanha/Áustria (1), Andorra (1), Bélgica (1), Espanha (16), França (9), Itália (14) e Suíça (5).

Desta vez, a região de Lisboa e Vale do Tejo concentra a maioria dos casos (116), mais 13 do que a região Norte. A região Centro e Algarve registam 10 casos e os Açores têm agora o primeiro doente infetado.

Coronavírus já matou 5796 pessoas

O novo coronavírus matou, pelo menos, 5.796 pessoas em todo o mundo desde o seu surgimento em dezembro, segundo uma avaliação da AFP às 9h deste domingo a partir de fontes oficiais. Mais de 154.620 casos de infeção foram registados em 139 países e territórios desde o início da epidemia, que se tornou, entretanto, numa pandemia.

Este número de casos diagnosticados, no entanto, reflete a realidade apenas de maneira imperfeita, pois os países têm políticas e critérios de contabilidade mais ou menos restritivos, alerta a AFP. Desde a contagem de sábado às 17h, ocorreram 32 novas mortes e 2.839 novos casos em todo o mundo.

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) registou um total de 80.844 casos, dos quais 3.199 morreram e 66.911 recuperaram. Foram anunciados 20 novos casos e dez novas mortes entre sábado e domingo.

Em outras partes do mundo, registaram-se 2.597 mortes (22 novas) até às 9h de domingo, num total de 73.780 casos, mais 2.819 do que às 17h de sábado. Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 1.441 mortos e 21.157 casos, o Irão, com 611 mortos (12.729 casos), Espanha com 183 mortos (5753 casos) e França, com 91 mortos (4.499 casos).

Desde as 17h de sábado, a República Centro-Africana e as Seicheles anunciaram os primeiros casos de infeção com o novo coronavírus nos seus territórios.

A Ásia totalizava até às 9h deste domingo 91.707 casos (3.317 mortes), a Europa 44.747 casos (1.786 mortes), o Médio Oriente 14.011 casos (625 mortes), Estados Unidos e Canadá em conjunto 3.128 casos (52 mortes), a América Latina e as Caraíbas 448 casos (seis mortes), Oceânia 303 casos (três mortes) e África 280 casos (sete mortes).

Morreu o arquiteto italiano Vittorio Gregotti

O arquiteto italiano Vittorio Gregotti, coautor do Centro Cultural de Belém com Manuel Salgado, morreu este domingo em Milão, vítima de uma pneumonia causada pelo novo coronavírus.

Nascido em Novara, em 10 de agosto de 1927, o arquiteto, urbanista e teórico da arquitetura morreu este domingo de manhã em Milão e a sua mulher, Marina Mazza, está internada no mesmo hospital.

Gregotti estava internado na clínica San Giuseppe, em Milão, após as consequências da pneumonia por coronavírus.

Entre os projetos mais importantes realizados pelo Gregotti Associati International, o estúdio que fundou em 1974, contam-se o o plano de desenvolvimento do distrito de Bicocca, em Milão (1985-2005), o Centro Cultural de Belém, em Lisboa (1988-1993) e o teatro lírico de Aix-en-Provence (2003-2007).

Em 1975, foi curador da Bienal de Veneza, a primeira em que a arquitetura apareceu oficialmente “como uma extensão do setor de artes visuais”. O seu trabalho mais recente foi a renovação da antiga fábrica para o teatro do Teatro de Fundição de Leopolda, em Follonica (Grosseto).

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.