Índia é fundamental para o acesso global a uma vacina contra a covid-19

STR / EPA

A Índia tem potencial para desempenhar um papel fundamental na superação do nacionalismo de vacinas porque é o principal fornecedor de medicamentos para o hemisfério sul.

Começou a grande corrida da vacina contra a covid-19. As empresas farmacêuticas de todo o mundo estão num confronto direto, enquanto os Governos lutam para obter acesso prioritário aos candidatos mais promissores.

Mas uma abordagem do tipo “o mais rico leva tudo” na luta contra a pandemia mais letal de que se tem memória está fadada a ser contraproducente. Se os governos não puderem unir-se para chegar a um acordo sobre uma estratégia global, o sul pode precisar depositar as suas esperanças no poderio manufatureiro da Índia.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, alertou que uma abordagem nacionalista “não ajudará” e retardará a recuperação mundial.

No entanto, o nacionalismo da vacina pesa, com os Estados Unidos, o Reino Unido e a Comissão Europeia a assinar vários acordos de compra antecipada com os fabricantes para garantir acesso privilegiado às doses dos candidatos mais promissores. Só os EUA pagaram mais de 10 mil milhões de dólares por esse privilégio.

A distribuição global ideal de uma vacina contra a covid-19 bem-sucedida iria além de quais países têm os bolsos mais fundos. Em vez disso, priorizaria os profissionais de saúde, seguidos pelos países com surtos graves e, de seguida, aquelas pessoas incluídas em grupos de risco.

A Índia tem potencial para desempenhar um papel fundamental na superação do nacionalismo de vacinas porque é o principal fornecedor de medicamentos para o sul. A organização Médicos Sem Fronteiras chegou mesmo a apelidar o país de a “farmácia do mundo”.

A Índia também tem, de longe, a maior capacidade para produzir vacinas contra a covid-19. O seu papel no fabrico de uma vacina poderia vir de duas maneiras diferentes: produção em massa desenvolvida noutro lugar ou desenvolvimento de uma nova vacina, bem como fabricá-la.

Ampliar vacinas existentes

O Serum Institute da Índia já começou a fabricar a vacina candidata da Universidade de Oxford/AstraZeneca antes mesmo de os testes clínicos terem sido concluídos. Isto evita qualquer atraso subsequente se a vacina for aprovada. É visto por muitos, incluindo o cientista-chefe da OMS, como a vacina com maior potencial.

O Serum Institute, sediado na cidade de Pune, é a maior fabricante de vacinas do mundo e tem um acordo para fornecer 400 milhões de doses até o final de 2020. Também fechou um acordo para a fabricação e comercialização do candidato contra a covid-19 da empresa americana Novavax.

Outra empresa farmacêutica indiana, Biological E (BE), concordou em fabricar a vacina candidata da subsidiária da Johnson & Johnson, Janssen Pharmaceutica NV. A empresa sediada em Hyderabad anunciou desde então a aquisição da Akorn India para aumentar a sua capacidade de produção.

Apesar do sucesso da Índia no fabrico em massa, a transição para a inovação e o desenvolvimento de novos produtos tem sido mais difícil. No entanto, o Serum Institute, Aurobindo Pharma, Bharat Biotech, BE, Indian Immunologicals, Mynvax, Panacea Biotech e Zydus Cadila estão todos a tentar desenvolver as suas próprias vacinas.

O Covaxin da Bharat Biotech atraiu a maior parte da atenção e polémica. O Conselho Indiano de Investigação Médica escreveu a vários hospitais a pedir a sua ajuda para acelerar os testes clínicos do medicamento, que foram desenvolvidos em colaboração com o Instituto Nacional de Virologia.

O objetivo era lançá-lo até 15 de agosto. Apesar de a viabilidade desse cronograma ser amplamente questionada, os testes da Covaxin começaram em Deli, no dia 15 de julho.

Quem fica com as vacinas?

A incerteza reina sobre quem fará com que essas vacinas sejam fabricadas na Índia. Em relação à muito elogiada vacina Oxford/AstraZeneca, Adar Poonawalla, o CEO do Serum Institute, disse, “a maioria das vacinas, pelo menos inicialmente, teriam que ir para os nossos compatriotas antes de ir para o exterior”.

Ele acrescentou que o Governo indiano decidirá quanto os outros países receberão e quando. Numa entrevista posterior, o CEO foi mais longe, acrescentando: “Do que eu produzo, 50% para a Índia e 50% para o resto do mundo“. Ele também disse que o Governo indiano não se opôs a essa ideia.

A diplomacia de vacinas pode entrar em jogo, conforme indicado pelo ministro das Relações Exteriores da Índia, Harsh Shringla, em visita a Dhaka. Ele prometeu que a Índia forneceria vacinas para o Bangladesh em “base prioritária”, afirmando que os “vizinhos mais próximos, amigos e parceiros” da Índia receberão acesso privilegiado.

Enquanto isso, um acordo recente ofereceu uma garantia mais firme de vacinas produzidas pelo Serum Institute a ser fornecidas fora do país. A 7 de agosto, Gavi (a aliança mundial de vacinas) anunciou uma colaboração com o Serum Institute e a Fundação Bill & Melinda Gates.

O acordo dá 150 milhões de dólares em apoio financeiro para o Serum Institute fabricar e fornecer 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para distribuição em países de baixo e médio rendimento em 2021.

O negócio apoiará o fabrico e garante um preço de três dólares por dose. O candidato da AstraZeneca estará disponível para 57 países elegíveis, enquanto o tratamento com Novavax estará disponível para 92.

Com quase 18% da população mundial, a Índia tem uma grande demanda por vacinas contra a covid-19. A proibição de exportação de alguns equipamentos de proteção individual e medicamentos importantes em março abriu um precedente para priorizar o fornecimento para a Índia. Contudo, as proibições duraram pouco e as exportações continuaram.

Graças à sua vasta capacidade de fabricação, a Índia, sem dúvida, exportará vacinas, dando continuidade ao seu papel de “farmácia do mundo em desenvolvimento”. Vinod Paul, presidente da Força-Tarefa Nacional de Covid-19 da Índia, falou abertamente do seu desejo de ver a Índia desempenhar um papel global, dizendo: “A vacina não é apenas para a Índia e os indianos, mas para o mundo e a humanidade”. Será uma questão de tempo.

PARTILHAR

RESPONDER

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …