Índia é fundamental para o acesso global a uma vacina contra a covid-19

STR / EPA

A Índia tem potencial para desempenhar um papel fundamental na superação do nacionalismo de vacinas porque é o principal fornecedor de medicamentos para o hemisfério sul.

Começou a grande corrida da vacina contra a covid-19. As empresas farmacêuticas de todo o mundo estão num confronto direto, enquanto os Governos lutam para obter acesso prioritário aos candidatos mais promissores.

Mas uma abordagem do tipo “o mais rico leva tudo” na luta contra a pandemia mais letal de que se tem memória está fadada a ser contraproducente. Se os governos não puderem unir-se para chegar a um acordo sobre uma estratégia global, o sul pode precisar depositar as suas esperanças no poderio manufatureiro da Índia.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, alertou que uma abordagem nacionalista “não ajudará” e retardará a recuperação mundial.

No entanto, o nacionalismo da vacina pesa, com os Estados Unidos, o Reino Unido e a Comissão Europeia a assinar vários acordos de compra antecipada com os fabricantes para garantir acesso privilegiado às doses dos candidatos mais promissores. Só os EUA pagaram mais de 10 mil milhões de dólares por esse privilégio.

A distribuição global ideal de uma vacina contra a covid-19 bem-sucedida iria além de quais países têm os bolsos mais fundos. Em vez disso, priorizaria os profissionais de saúde, seguidos pelos países com surtos graves e, de seguida, aquelas pessoas incluídas em grupos de risco.

A Índia tem potencial para desempenhar um papel fundamental na superação do nacionalismo de vacinas porque é o principal fornecedor de medicamentos para o sul. A organização Médicos Sem Fronteiras chegou mesmo a apelidar o país de a “farmácia do mundo”.

A Índia também tem, de longe, a maior capacidade para produzir vacinas contra a covid-19. O seu papel no fabrico de uma vacina poderia vir de duas maneiras diferentes: produção em massa desenvolvida noutro lugar ou desenvolvimento de uma nova vacina, bem como fabricá-la.

Ampliar vacinas existentes

O Serum Institute da Índia já começou a fabricar a vacina candidata da Universidade de Oxford/AstraZeneca antes mesmo de os testes clínicos terem sido concluídos. Isto evita qualquer atraso subsequente se a vacina for aprovada. É visto por muitos, incluindo o cientista-chefe da OMS, como a vacina com maior potencial.

O Serum Institute, sediado na cidade de Pune, é a maior fabricante de vacinas do mundo e tem um acordo para fornecer 400 milhões de doses até o final de 2020. Também fechou um acordo para a fabricação e comercialização do candidato contra a covid-19 da empresa americana Novavax.

Outra empresa farmacêutica indiana, Biological E (BE), concordou em fabricar a vacina candidata da subsidiária da Johnson & Johnson, Janssen Pharmaceutica NV. A empresa sediada em Hyderabad anunciou desde então a aquisição da Akorn India para aumentar a sua capacidade de produção.

Apesar do sucesso da Índia no fabrico em massa, a transição para a inovação e o desenvolvimento de novos produtos tem sido mais difícil. No entanto, o Serum Institute, Aurobindo Pharma, Bharat Biotech, BE, Indian Immunologicals, Mynvax, Panacea Biotech e Zydus Cadila estão todos a tentar desenvolver as suas próprias vacinas.

O Covaxin da Bharat Biotech atraiu a maior parte da atenção e polémica. O Conselho Indiano de Investigação Médica escreveu a vários hospitais a pedir a sua ajuda para acelerar os testes clínicos do medicamento, que foram desenvolvidos em colaboração com o Instituto Nacional de Virologia.

O objetivo era lançá-lo até 15 de agosto. Apesar de a viabilidade desse cronograma ser amplamente questionada, os testes da Covaxin começaram em Deli, no dia 15 de julho.

Quem fica com as vacinas?

A incerteza reina sobre quem fará com que essas vacinas sejam fabricadas na Índia. Em relação à muito elogiada vacina Oxford/AstraZeneca, Adar Poonawalla, o CEO do Serum Institute, disse, “a maioria das vacinas, pelo menos inicialmente, teriam que ir para os nossos compatriotas antes de ir para o exterior”.

Ele acrescentou que o Governo indiano decidirá quanto os outros países receberão e quando. Numa entrevista posterior, o CEO foi mais longe, acrescentando: “Do que eu produzo, 50% para a Índia e 50% para o resto do mundo“. Ele também disse que o Governo indiano não se opôs a essa ideia.

A diplomacia de vacinas pode entrar em jogo, conforme indicado pelo ministro das Relações Exteriores da Índia, Harsh Shringla, em visita a Dhaka. Ele prometeu que a Índia forneceria vacinas para o Bangladesh em “base prioritária”, afirmando que os “vizinhos mais próximos, amigos e parceiros” da Índia receberão acesso privilegiado.

Enquanto isso, um acordo recente ofereceu uma garantia mais firme de vacinas produzidas pelo Serum Institute a ser fornecidas fora do país. A 7 de agosto, Gavi (a aliança mundial de vacinas) anunciou uma colaboração com o Serum Institute e a Fundação Bill & Melinda Gates.

O acordo dá 150 milhões de dólares em apoio financeiro para o Serum Institute fabricar e fornecer 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para distribuição em países de baixo e médio rendimento em 2021.

O negócio apoiará o fabrico e garante um preço de três dólares por dose. O candidato da AstraZeneca estará disponível para 57 países elegíveis, enquanto o tratamento com Novavax estará disponível para 92.

Com quase 18% da população mundial, a Índia tem uma grande demanda por vacinas contra a covid-19. A proibição de exportação de alguns equipamentos de proteção individual e medicamentos importantes em março abriu um precedente para priorizar o fornecimento para a Índia. Contudo, as proibições duraram pouco e as exportações continuaram.

Graças à sua vasta capacidade de fabricação, a Índia, sem dúvida, exportará vacinas, dando continuidade ao seu papel de “farmácia do mundo em desenvolvimento”. Vinod Paul, presidente da Força-Tarefa Nacional de Covid-19 da Índia, falou abertamente do seu desejo de ver a Índia desempenhar um papel global, dizendo: “A vacina não é apenas para a Índia e os indianos, mas para o mundo e a humanidade”. Será uma questão de tempo.

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas medem temperatura a 4 mil borboletas (e revelam a influência do clima no seu habitat)

Um grupo de cientistas do Reino Unido recolheu 4 mil borboletas selvagens para medir a sua temperaturas, alertando que algumas das espécies mais reconhecidas do país estão em ameaça de colapso, e em risco de …

Teia da morte. Cientistas desenvolvem nova forma de matar células cancerígenas

Um novo estudo sugere que, através de uma interrupção direcionada e localizada da estrutura das células cancerígenas, o seu mecanismo de autodestruição pode ser ativado. As células cancerígenas multiplicam-se de forma incontrolável, levando a um crescimento …

Boavista 2-0 Porto | “Manita” em 45 minutos demolidores

Goleada do “dragão” no Bessa. No dérbi portuense entre Boavista e FC Porto, os campeões nacionais sentiram dificuldades na primeira parte, não conseguiram sequer enquadrar qualquer um dos seus remates, mas na segunda parte tudo …

Magawa, o rato que deteta minas, ganhou uma medalha de ouro

Magawa, um rato gigante africano, foi treinado para descobrir minas terrestres e tem estado ao serviço no Camboja. O animal foi agora proclamado herói e premiado por salvar vidas naquele país. A instituição de caridade britânica …

Cientistas descobrem nova espécie de crustáceo no lugar mais quente da Terra

Uma equipa de cientistas descobriu uma nova espécie de crustáceo de água doce durante uma expedição ao deserto de Lute, no Irão, também conhecido como o lugar mais quente do planeta. Hossein Rajaei, do Museu Estadual …

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …