Junho com número de mortes muito superior ao previsto

8

Christophe Petit Tesson / EPA

Plataforma do Ministério da Saúde admite que mortalidade em Portugal tem estado “muito acima do esperado”. Registo igual, em Junho, só em 1981.

Portugal tem registado muitos mais falecimentos do que é a média, em Junho. É o prolongamento do que aconteceu no mês passado.

A média de falecimentos, numa semana, está em 367 mortos por dia: é um valor 40% acima do habitual.

A Plataforma Nacional de Vigilância da Mortalidade (EVM) do Ministério da Saúde admitiu ao jornal i que a mortalidade neste mês tem estado “muito acima do esperado”.

Ao longo da última semana registou-se um excesso de 513 óbitos e, só na segunda-feira passada, 403 pessoas morreram em Portugal – um número só comparado com o que aconteceu há 41 anos, durante uma onda de calor. Na terça-feira o número terá sido praticamente igual.

Esta subida no número de falecimentos está a verificar-se logo desde o início de Junho, com uma média de mais de 300 mortes por dia.

A pandemia continua a ser responsável por muitos falecimentos mas, no total, a COVID-19 só foi “responsável” por metade dos mortos em excesso na semana passada.

O calor dos últimos dias, com temperaturas a chegar aos 40 graus, pode ter também contribuído para esta contabilidade.

Outros óbitos estarão relacionados com acidentes cardiovasculares, diabetes e problemas respiratórios e uma vigilância menos eficaz de pessoas com doença crónica.

A situação está a ser analisada pela Direcção-Geral da Saúde e pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

  ZAP //

8 Comments

    • e qual é a verdade ?
      Não me vai dizer que estão a encobrir as mortes de covid, essa já eu ouvi, mas o problema nessa lógica é imaginar que Portugal tem uma estripe (que só existe por cá) que mata mais que as estripes de covid nos outros países, porque naqueles países em que ja nem mascara se usa nos transportes públicos, tais como Inglaterra, Dinamarca, Suécia, Noruega, etc … não estão com este problema !!!

      Talvez o filme seja não querer admitir que o problema esteja nas medidas drásticas que tivemos e levaram a “uma vigilância menos eficaz de pessoas com doença crónica.” (como diz a noticia) e agora estamos a pagar por todos os isolamentos e confinamentos … curiosamente como muitos medicos e virologistas avisaram antes de serem calados e apelidados de negacionistas.

      Talvez seja curioso pensar o porque a meio da pandemia se deixou de abrir os jornais com o exemplo da Suécia como o que não se devia fazer, na realidade nunca mais falaram do pais que não confinou e foi contra toda a pressão vinda da Europa 😉

      • Nem 8, nem 80!!
        A Suécia teve quase 3x mais mortes per capita do que os vizinhos (Noruega e Finlândia) e isso devia ser suficiente para se chegar a alguma conclusão…

        • No princípio, sim … mas a longo prazo, vai lá ver os números !!! … já agora, vê também o impacto na economia.

  1. Com o SNS no caos desde falta de médicos de família a meses ou anos de espera por uma consulta, ou cirurgia, o que se espera? Quanto ao covid cada vez as pessoas se questionam mais se o mal está na cura ou na doença, muitas dúvidas sobre a eficácia e benefício das vacinas e muito silêncio dos laboratórios sobre a evolução dos acontecimentos!

    • Arroz outra vez !!! Como explica os que sobrevivem as vacinas e alguns já vão na 4ª dose ?? e muito silêncio dos laboratórios sobre isso quando podiam andar a vangloriar-se.

  2. Não entendi a observação de 41 anos atrás sobre ondas de calor. Em 2013, durante as ondas de calor, 4 dias contaram mais de 400 mortes. Isso há apenas 9 anos. Em 2018, uma onda de calor causou até um dia de mais de 500 mortes. Além disso, nas temporadas de inverno 2009 teve 12 dias de mais de 400 óbitos, 2010 1 dia, 2012 28 dias, 2015 49 dias, 2016 9 dias, 2017 28 dias, 2018 29 dias e 2019 30 dias.

  3. Bem…….vou converter a minha Livraria em Agência Funerária !….É o momento de dizer “Há que fazer por a Vida”.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.