50 anos de monarquia e uma guerra de dias. A pandemia “matou” a micronação mais antiga da Austrália

O reinado de 50 anos de uma micronação na Austrália chegou ao fim devido ao impacto económico da pandemia de covid-19, que fez com que o autodeclarado principado se rendesse ao país.

Hutt River, um principado autodeclarado em 1970, que nunca foi reconhecido como um estado soberano, rendeu-se à Austrália devido ao impacto económico da pandemia de covid-19.

As origens de Hutt River como micronação datam de 1970, quando o falecido príncipe Leonard Casley afirmou que explorou um “loophole” legal para criar o principado numa parte isolada da Austrália Ocidental, a 500 quilómetros ao norte da capital do estado, Perth.

Situado em 75 quilómetros quadrados de terras agrícolas, tinha mais do que o dobro do tamanho de Macau, mas era habitado por menos de 30 pessoas.

O principado agiu como uma nação independente. O seu governo concedeu vistos e cartas de condução, emitiu passaportes e moeda, produziu os seus próprios selos, criou a própria bandeira e, segundo consta, operou 13 escritórios no exterior em 10 países diferentes, incluindo os Estados Unidos e França.

Em 1977, quando souve que o Governo australiano estava a perseguir o princiopado por impostos por pagar, o príncipe Leonard decidiu declarar guerra à Austrália. No entanto, a Royal Hutt River Defence Force só foi estabelecida 11 anos depois e incluía exército,  marinha e uma faculdade militar, que desenvolveu manuais de artilharia e programas de treino que foram adotados por afiliados do Exército dos Estados Unidos.

A guerra do príncipe Leonard contra a Austrália durou apenas alguns dias.

Quando o príncipe Leonard morreu em fevereiro do ano passado, deixou para trás uma conta de impostos de 2,15 milhões de dólares, o que obrigou o seu filho e sucessor, o príncipe Graeme Casley, a anunciar na semana passada que o principado venderia as suas terras para pagar a dívida.

“É muito triste ver o seu pai a construir algo durante 50 anos e depois ter de acabar com ele”, disse Casley, em declarações à CNN. “Estamos a viver tempos muito difíceis economicamente e em termos de saúde em todo o mundo devido à covid-19 e estamos a sentir isso também.”

Embora desapontado, Casley diz estar “muito orgulhoso” do que seu pai realizou e espera que a sua história seja lembrada por gerações futuras. “Tenho tantas memórias maravilhosas de viver aqui”, disse. “Depois de a minha mãe falecer (em 2013), passei cinco anos a trabalhar em tempo integral com o meu pai e era mais do que apenas uma relação pai-filho, tínhamos uma relação de trabalho muito profunda. O que ele criou aqui nos últimos 50 anos é incrível, é realmente uma história única sobre a qual as pessoas ao redor do mundo leram e que não será esquecida”.

Micronações são entidades que afirmam ser Estados soberanos, mas não são legalmente consideradas independentes, ao contrário de microestados como a Cidade do Vaticano, que têm soberania reconhecida internacionalmente.

O peculiar principado de Hutt River

A Austrália gerou muito mais micronações do que a maioria dos países. Nas últimas décadas, dezenas dos seus cidadãos declararam independência da Austrália e estabeleceram a sua própria nação dentro de uma nação.

No entanto, nenhuma é tão conhecida como o principado de Hutt River. Enquanto o Príncipe Leonard decidiu separar-se da Austrália por causa do seu desacordo com os regulamentos agrícolas, transformou o principado numa atração turística única, com visitantes a chegar para comprar passaportes, moedas e selos.

A autoproclamada “Família Real” de Hutt River fez um grande esforço para tornar a sua micronação intrigante para os turistas. Os visitantes que chegavam à propriedade eram recebidos por um membro da família, que os ajudava a conseguir o visto de entrada, que custava 2,50 dólares.

Os turistas eram acompanhados pelos edifícios principais do principado por um membro da equipa que explicava a história local. Os viajantes podiam visitar os Correios do principado para enviar uma carta ou comprar selos do Hutt River, ver o Departamento de Memorabilia e na Sociedade Histórica e desfrutar de uma refeição leve nos salões de chá.

Outras atrações incluíram uma capela não denominacional e o Santuário Educacional Sagrado da Princesa Shirley. Com o nome da esposa do Príncipe Leonard, exibia descobertas relacionadas com a religião e a física e foi estabelecido com a ajuda de académicos do Royal College of Advanced Research do principado.

Os visitantes também podiam comprar e gastar o dólar do Hutt River.

Como os destinos turísticos em todo o mundo, o principado ficou vulnerável devido ao impacto económico da pandemia. O turismo foi uma das principais fontes de receita de Hutt River, principalmente nos últimos 15 anos, à medida que a Internet ajudava a espalhar a sua estranha história pelo mundo. O principado está fechado a viajantes desde janeiro.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …