Vieira da Silva defende que teletrabalho “levanta problemas muito delicados”

Miguel A. Lopes / Lusa

O ex-ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva

O ex-ministro do Trabalho José Vieira da Silva afirmou que o regime de teletrabalho não deve permanecer como regra após a pandemia, visto que pode potenciar situações de excesso de horas de trabalho difíceis de controlar.

“Nós ainda temos uma lei do trabalho que fixa as 40 horas de trabalho como o limite médio das horas de trabalho. Todos nós ouvimos relatos de pessoas que em teletrabalho trabalham 12 horas seguidas”, indicou, numa entrevista publicada esta quarta-feira no Jornal de Negócios.

Embora considere que existem vantagens nas tecnologias que permitem o trabalho à distância, este não deve substituir totalmente o trabalho presencial.

“A interpenetração da vida pessoal e familiar das pessoas com a vida profissional não é isenta de riscos para a nossa saúde coletiva”, assegurou, apontando: “Tudo isto levanta problemas muito delicados e por isso sou um pouco conservador”.

“Temos de aproveitar, obviamente, mas temos de saber que a organização do trabalho tem aspetos que são positivos do ponto de vista da socialização e do controlo global da sociedade sobre a forma como as pessoas prestam a sua atividade e são remuneradas”, frisou o antigo ministro.

Sobre as medidas de apoio ao emprego necessárias, respondeu que “o papel do Estado na fase de estabilização e recuperação terá de continuar a ser importante”, sublinhando que é preciso ter cautela quando se pensa em soluções que passem por proibir despedimentos.

“Numa crise mais prolongada a decisão de proibir o despedimento é, na minha opinião, um caminho que só pode ser tomado excecionalmente num período muito curto. Porque se uma empresa tem, por exemplo, 500 trabalhadores e tem uma redução de atividade estrutural que a leva a só ser viável com 400, se impedimos essa redução, estamos com elevada probabilidade a condenar os 500 trabalhadores ao desemprego”, sublinhou.

E acrescentou: “Teremos de utilizar toda a panóplia de instrumentos das políticas ativas de emprego, de apoio à contratação, à reconversão profissional, mas também instrumentos de proteção social e de apoio à capitalização das empresas”.

“Não tenho uma visão fechada, a originalidade [da crise] no mau sentido é de tal ordem que nós não podemos fechar a porta a qualquer instrumento”, disse ainda.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. É uma tristeza que este género de pessoa tenho algum crédito para opinar sobre que assunto seja. Assim Portugal não sai da cepa torta. É desesperante chegar à minha idade (61) e continuar a “levar” com estes velhos do Restelo.

    • Tem tanto crédito como tu!…
      Levas com eles e não sais da cepa torta porque queres!!
      Ele não é ministro nem está no governo, portanto, tal como tu, é só mais um a dar a sua opinião!…
      E, se calhar, quem tem 61 anos, tem alguma responsabilidade na situação actual…

  2. Também há muitos a trabalhar 12 e mais horas presencialmente. Nalgumas profissões é a regra. Quantas vezes sem ganharem essas horas.
    Desde que se garanta o nível de serviço, podemos trabalharmos mais horas um dia e pedirmos compensação trabalhando menos noutros. Só temos a ganhar.
    O teletrabalho, quando possível e adequado, representa uma excelente oportunidade a diversos níveis, para todos e deve ser encorajado. Há sim, que modernizar, dar formação e apoios específicos.
    Só para dar alguns exemplos, ao empregador sobra espaço no escritório, o trabalhador terá mais tempo e flexibilidade, e todos nós beneficiamos do facto de haver menos deslocações, com menores despesa, horas de ponta mais desafogadas e poluição reduzida.
    Pensar de outra forma representa um apego ao mais convencional modelo de trabalho, uma forma de expressão dos Velhos do Restelo desajustado face à realidade atual.

    • Concordo com o Nuno. E arrepia-me o desplante deste Sr. Falou do contrato de geração e anos passaram, nada aconteceu é hoje preconiza ideias contrárias; conciliação de vida profissional e familiar, agora vem hipocritamente dizer que para haver teletrabalho é necessário acordo com o empregador e (ridículo) porque esse acordo beneficia o trabalhador. Hipócrita

    • Boa resposta.
      A soluça é fechar o máximo empresas, escolas…
      Vejam o que o governo gastou para abrir várias repartições sem grande necessidade.
      Com novas tecnologias podemos evitar gastos.
      Emails, internet, Skype, menssager, As refeições, as compras tudo isto podemos fazer através da internet.
      Limpo, fácil.
      Distanciando das pessoas, objectos, cheiros, dos contágios…

RESPONDER

Sem decisão da Relação, suspensão de funções a Mexia e Manso Neto caduca. Defesa pede fim das cauções

Esta segunda-feira, expira a medida de suspensão de funções na EDP aplicada a António Mexia e João Manso Neto pelo juiz Carlos Alexandre. A defesa vai pedir a extinção destas medidas e das cauções impostas. De …

Peritos revelam critérios para desconfinar. Escolas e restaurantes devem reabrir após a Páscoa

Presidente da República e Governo ouviram, nesta segunda-feira, as explicações dos especialistas sobre a situação da covid-19 em Portugal. Na reunião no Infarmed, foram apresentados os critérios para o plano de desconfinamento. Os especialistas que têm …

Mourinho revela o acordo que tem com Bale

O treinador português revelou, este domingo, o acordo que tem com o internacional galês para gerir a sua condição física durante os jogos. Este domingo, na vitória em casa frente ao Crystal Palace (4-1), Gareth Bale …

Pensamentos suicidas e a cor da pele do filho. Revelações de Meghan e Harry abalam família real britânica

A aguardada entrevista do duque e da duquesa de Sussex, conduzida por Oprah Winfrey, foi transmitida este domingo e pôs a família real em xeque. O casal, que deu a primeira entrevista desde que renunciou …

Teoria ensinada na escola pode estar errada. Há um "núcleo mais interno" no centro da Terra

Uma equipa de investigadores da Universidade Nacional da Austrália confirmou, rastreando milhares de modelos numéricos, a existência de um "núcleo mais interno" nas profundezas da Terra.  Na escola, costuma-se aprender que o planeta Terra é composto …

"A nossa tradição é mostrar a cara". Suíça aprova em referendo proibição do uso de véu integral

A Suíça aprovou este domingo em referendo, com 51,2% dos votos, a proibição do uso de véu integral, avança a Agência France-Presse (AFP), uma medida que uns dizem ser contra o islamismo radical e outros …

Portugal fecha Europeus de atletismo com três medalhas de ouro e inédito segundo lugar

Portugal, com três títulos nos Europeus de atletismo de pista coberta de Torun, na Polónia, fecha a edição com um inédito segundo lugar no quadro de medalhas, logo atrás da Holanda, que obteve quatro ouros. O …

Constança Bradell já reuniu quase 200 mil euros, mas Kaftrio é só de dispensa hospitalar

Constança Bradell, a jovem de 24 anos que sofre de Fibrose Quística, já reuniu quase 200 mil euros, mas associação lembra que o Kaftrio é só de dispensa hospitalar. Depois do apelo emocionado nas redes sociais, …

Rúben Amorim arrisca suspensão de 1 a 6 anos após acusação de fraude

O Sporting está a ser acusado de fraude na inscrição de Rúben Amorim como treinador. Um caso que resulta de participação feita pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) e que pode valer ao …

MAI impõe mínimo de mulheres no recrutamento para a GNR e PSP

O Ministério da Administração Interna (MAI) vai incluir nas regras de recrutamento em 2021 indicadores mínimos de 15% de mulheres na incorporação para guardas da GNR e de 20% para agentes da PSP. No âmbito da …