OMS alerta para “explosão” de casos de covid-19 na Europa. Mais um milhão de casos dentro de poucos dias

Minsa

A Europa está a passar por uma “explosão” de casos e a taxa de mortalidade atribuída à covid-19 está a crescer, alertou o diretor regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), pedindo aos governos para implementarem medidas “direcionadas e proporcionais”.

A Organização Mundial da Saúde disse, esta quinta-feira, que está a presenciar uma “explosão” de casos na região e alertou para um “momento difícil” à medida que as taxas de mortalidade em vários países aumentam.

“Vemos uma explosão no sentido em que são precisos apenas alguns dias para ocorrer na região europeia um aumento de um milhão de casos”, disse à AFP Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa.

Kluge, que segundo o jornal Público estava a usar máscara enquanto era entrevistado através do computador, disse ainda que a taxa de mortalidade está a aumentar “pouco a pouco”. “Vai ser um momento difícil, precisamos de ser honestos acerca disso”, disse.

Apesar do rápido aumento de casos, Kluge afirmou que o encerramento de escolas deve ser visto como medida de último recurso. “Precisamos de manter as escolas abertas porque não podemos permitir que exista uma geração perdida por causa da covid-19”, disse.

No entanto, o diretor regional também pediu “medidas direcionadas e proporcionais” e enfatizou que os governos devem ter em conta dois factores: a coerência, “para que as pessoas saibam que as nossas posições não mudaram”, e a previsibilidade, “para que as pessoas saibam que se um determinado limite for atingido terá as suas consequências”.

Além disso, Kluge apelou ao uso generalizado de máscaras. “Com o uso de máscaras e o controlo das reuniões sociais podemos salvar 266 mil vidas até fevereiro em toda a região europeia”, explicou.

E embora gerir esta pandemia seja a prioridade, o diretor regional da OMS disse ainda que existem lições a retirar no caso de um vírus ainda mais perigoso aparecer.

“Imagine que a covid era tão facilmente transmitida quanto o sarampo ou tão letal quanto o Ébola. Precisamos de aproveitar esta oportunidade para nos prepararmos para o futuro”, referiu.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.