Só um novo confinamento em dezembro pode salvar o Natal, garantem Nóbeis da Economia

PopTech / Flickr

Esther Duflo – Nobel da Economia em 2019

Esther Duflo e Abhijit Banerjee, prémios Nobel da Economia de 2019, propõem quarentena em França em dezembro, para que seja possível “festejar o Natal”. O casal acredita que só assim será possível festejar a quadra sem proibir as reuniões de família ou ter de fechar o país nos meses seguintes. O governo francês já se pronunciou e garantiu que isso não vai acontecer.

A franco-americana Esther Duflo e o seu marido, Abhijit Banerjee, publicaram um texto este sábado no diário francês Le Monde, no qual aconselham o presidente Emmanuel Macron a decretar um novo confinamento ao país no período entre 1 e 20 de dezembro, de modo a que as famílias possam reunir-se no Natal com menos risco de contágio.

“É uma solução com o mérito de pela primeira vez nos anteciparmos ao vírus de forma clara, uniforme e transparente. E poderia ser vista como o preço a pagar por uma recompensa imediata, um esforço coletivo para salvar o Natal”, escreveu o casal na publicação que escreveu.

Olivier Véran, ministro da Saúde francês, veio este domingo garantir que não vai haver confinamento “preventivo”, pois o governo não tem como objetivo “parar a vida económica, social, cultural, desportiva e familiar. Por isso estamos a tomar decisões adaptadas à seriedade do momento”, diz o DN.

Contudo, os economistas têm uma visão diferente. “Da maneira como estão as coisas, a hipótese de um confinamento generalizado precisamente na altura do fim de ano não pode ser posta de parte. O número de casos novos de covid-19 está a aumentar regularmente desde o início de agosto, e mais rapidamente em França que nos países vizinhos”, escreveram, justificando assim a sua perspetiva protecionista.

O casal que ganhou o Prémio Nobel da Economia no ano passado, defende que a descida das temperaturas, vai criar as condições para “um aumento cada vez mais rápido dos casos no outono, e para um recrudescimento catastrófico da doença, e portanto das hospitalizações e das mortes”, com a consequente “sobrelotação dos hospitais”.

Concluem ainda que, se nada for feito para que tudo isto seja evitado, será necessário proceder a um reconfinamento generalizado, mas já “tarde de mais” – ou, em alternativa, fechar tudo exatamente na altura do Natal.

A situação em França tem sido alvo de constantes preocupações. Com um aumento regular e drástico do número de casos diários, o governo decretou um novo fecho de restaurantes e bares em Marselha – a cidade mais afetada – e instituiu novos horários em 12 grandes cidades, incluindo Paris. Ainda assim, uma nova quarentena parece estar fora dos planos do executivo francês.

ZAP //

 

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Exmos senhores prémios nobeis!!!!Deixam de planar desçam a terra!!! Gostaria de saber que tipo de comércio tem vocês!!! O que querem vender??? Natal / família e os outros dias? Não temos famílias???? Ou é só uma questão económica !!!!???? Assim acabam as extravagâncias natalícias montes de presentes acúmulos ao pé da árvore de natal! Acabou o quem dá mais e melhor……..E já agora teses dessas são desnecessárias ……….

RESPONDER

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …

"Cibermáfia". Rede de criminosos "lavou" milhões de euros em Bancos portugueses

Uma rede de criminosos com origem na Europa de Leste montou um esquema de lavagem de dinheiro roubado em ataques informáticos através de Bancos de países como Portugal. Esta "cibermáfia", como é apelidada pelo Jornal de …

Diplomatas chineses e taiwaneses entram em confronto físico nas ilhas Fiji

Diplomatas da China e funcionários do Governo de Taiwan entraram em confronto físico durante uma receção nas ilhas Fiji, que marcou o dia nacional de Taiwan, ilustrando a crescente tensão entre Pequim e Taipé. A luta …

Mais 1.949 infetados, 17 mortes e 966 recuperados. Portugal passa barreira dos 100 mil casos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.949 casos de covid-19, 17 mortes associadas à doença e 966 recuperados, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde publicado esta segunda-feira. O número total de infeções …