Gouveia e Melo garante regras mais apertadas na vacinação

Marinha Portuguesa / Facebook

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, novo coordenador da task-force para o Plano de Vacinação contra a covid-19

O novo coordenador da task-force para o Plano de Vacinação contra a covid-19 assegurou, esta quarta-feira, que vai apertar as regras e o controlo do processo, além de exigir uma maior consciencialização dos envolvidos.

“Claro que vamos apertar mais as regras, o aperto das regras é uma coisa importante, e o aperto do controlo também é importante, e também a consciencialização das pessoas que estão no processo”, afirmou aos jornalistas o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, em declarações transmitidas pela RTP3.

Questionado sobre as medidas concretas que vai implementar, o militar jogou à defesa, mas sublinhou que já sabe quais são. “O problema não está no processo em si de vacinação, está nas vacinas chegarem ao país, e é um processo que é macro europeu, pelo que Portugal não pode fazer muito mais“, lançou, garantindo que se sente capaz de ter êxito na nova missão, caso contrário, não teria aceitado o convite do Governo.

Segundo Gouveia e Melo, que reconheceu a existência de falhas na execução do plano de vacinação, “é prioritário atuar em todas as áreas, a começar pelas áreas onde não houve falhas”.

E acrescentou: “Vamos ter de analisar a razão das falhas e tentar evitar que se repitam. Há muita coisa para fazer, a lista é sempre grande. Imagine a complexidade de uma tarefa que é vacinar, grosso modo, duas vezes uma população de 10 milhões de habitantes”.

De resto, o vice-almirante assegurou que “as Forças Armadas apoiam o processo de vacinação e apoiam o Ministério da Saúde”, excluindo qualquer espécie de tomada de controlo das operações.

“O Ministério da Saúde tem uma estrutura que executa a vacinação, é uma estrutura grande, e nós temos de trabalhar com as pessoas que estão no terreno. Não vem ninguém de fora mandar em estruturas que estão a trabalhar no terreno. É um apoio mútuo.”

De acordo com Gouveia e Melo, esta colaboração permite aproveitar a “organização e estrutura” militar e o “conhecimento e saber” dos outros profissionais no terreno. “Estou confiante que vamos conseguir ajudar a vacinar a população portuguesa e, haja vacinas, a vacinar o mais rapidamente possível”, lançou.

Sobre as notícias dos últimos dias sobre as pessoas que estão a ser vacinadas indevidamente, considerou que tal “é lamentável”, nem que fosse um único caso. “Bastava haver um desvio que fosse que era lamentável“, comentou.

Gouveia e Melo disse ainda que, como já faz parte da task-force, apenas terá de se adaptar à nova posição de liderança, uma vez que conhece bem toda a estrutura.

Sobre o papel das Forças Armadas no combate à pandemia, o vice-almirante salientou o trabalho desenvolvido em coordenação com o Ministério, exemplificando com o aumento em 10 vezes da capacidade de resposta dos hospitais militares de Lisboa e do Porto, com o envolvimento de 700 militares no rastreamento de utentes e no apoio ao plano de vacinação.

Nós somos um silent service, gostamos de prestar serviço de forma silenciosa, porque não é estarmo-nos a pôr em bicos dos pés que vai ajudar o povo português. Nós, militares, estamos a ajudar o Ministério da Saúde, quem tem que realmente fazer o processo e o executar é o Ministério da Saúde”, frisou.

Ainda assim, Gouveia e Melo reconheceu que “houve e há sempre, em todos os processos, alguma tendência de desorganização, mas isso faz parte”, apontando para a “cultura militar”, conjugada com as orientações do Ministério da Saúde, como a melhor resposta a dar neste momento.

O novo líder da task-force adiantou ainda que o seu antecessor, Francisco Ramos, que pediu a demissão esta quarta-feira, lhe transmitiu pessoalmente essa sua intenção, considerando que só o próprio pode avaliar se tinha ou não condições para permanecer no cargo.

“Ele achou, de forma muito honrada, que face ao que aconteceu na instituição em que tinha responsabilidade, e também na outra instituição, que é a coordenação da task-force, que não estava em condições de continuar. Tomou uma posição muito honrada e muito nobre”, afirmou.

De acordo com o semanário Expresso, o grupo parlamentar do PSD afirmou ter ficado “surpreendido” com o inesperado adiamento da audição da Comissão Técnica de Vacinação contra a covid-19, prevista para esta quarta-feira, que agora só deverá acontecer a 17 de fevereiro.

Em comunicado, os sociais-democratas lamentam que na reunião da Comissão de Saúde, esta quarta-feira, o PS tenha inviabilizado a audição urgente da Comissão, justificada por “indisponibilidade da mesma”, apesar de a proposta de audição ter sido aprovada “por unanimidade” na Comissão de Saúde, a 6 de janeiro.

O PSD afirma que este adiamento prejudica “seriamente o adequado desenvolvimento do trabalho parlamentar de acompanhamento e fiscalização do processo de vacinação”, sobretudo quando, na melhor das hipóteses, a audição só vai acontecer “um mês após a sua aprovação parlamentar”.

Para o PSD, tratando-se de uma Comissão Técnica constituída por 11 membros, entre os quais um coordenador e um coordenador-adjunto, “não se compreende que, na indisponibilidade do primeiro, não possa ser o segundo a comparecer, eventualmente acompanhado por outros membros”.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Telescópio FAST detetou três misteriosos sinais rádio do ainda jovem Universo

O gigante telescópio chinês FAST (Five Hundred Metre Aperture Spherical Telescope) detetou três misteriosas rajadas rápidas de rádio (FRB) que ocorreram quando o Universo era ainda jovem. As rajadas rápidas de rádio são um dos …

Áustria reitera rejeição de acordo comercial UE-Mercosul

O Governo austríaco, numa carta enviada ao primeiro-ministro, António Costa, reiterou a sua rejeição do acordo comercial UE-Mercosul e apelou a que Portugal, enquanto presidência da União Europeia (UE), “assegure” que a sua votação seja …

Em Málaga, pode comer-se o pão mais caro do mundo. É feito com ouro e prata

É na padaria espanhola Pan Piña que se confeciona aquele que é, de momento, o pão mais caro de todo o mundo. Este é vendido por uma quantia que pode chegar até aos 3.700 euros …

Novas evidências apontam eventual localização dos destroços do MH370. Jornalista sugere que foi abatido

O chefe da busca fracassada pelo voo MH370 da Malaysia Airlines está a pedir um novo inquérito com base em novas evidências que podem finalmente resolver o mistério do desaparecimento da aeronave há sete anos. De …

Cidade nos EUA testou o rendimento básico universal. "Os números foram incríveis"

Além de a percentagem de pessoas que tinham um emprego a tempo inteiro ter subido, os participantes da iniciativa também relataram sentir-se menos ansiosos. De acordo com o estudo publicado esta quarta-feira, citado pela agência …

Belenenses 0-3 Benfica | Vendaval suíço após o descanso

O Benfica venceu o dérbi com a Belenenses SAD, em jogo a contar para 22ª jornada da Liga NOS, por 3-0. Uma partida que teve uma primeira parte mal jogada e com muitas dificuldades para as …

Investigador apresenta nova geração de drones minúsculos e ágeis. São inspirados em mosquitos

Os mosquitos são insetos incrivelmente acrobáticos e resistentes durante o voo, o que os ajuda a navegar entre rajadas de vento, obstáculos e incertezas. Agora, uma equipa de investigadores construiu um sistema que se aproxima …

OMS considera que a pandemia podia ter sido evitada se alguns países não tivessem sido lentos a reagir

O diretor-geral da OMS afirmou esta segunda-feira que alguns países reagiram lentamente à declaração de emergência sanitária global em janeiro de 2020, desperdiçando-se uma "janela de oportunidade" para evitar a pandemia de covid-19. "A 30 de …

Louvre recupera armadura do século XVI roubada há quase 40 anos

O peitoral e o capacete elaboradamente decorados, que estavam desaparecidos desde 1983, datam do século XVI e voltaram finalmente ao museu do Louvre, em França. Quase quatro décadas depois, um peitoral e um capacete do século …

Queixas por cibercrime disparam. Fraude com MB Way foi o crime mais denunciado

O Ministério Público (MP) da Comarca de Lisboa registou 6676 denúncias por crimes informáticos em 2020, um aumento de 15% (mais 998) face a 2019. MB Way é um dos sistemas onde estão associadas mais …