De norte a sul, continuam os casos de vacinação indevida. Já são mais de 340

Christian Bruna / EPA

Autarcas, dirigentes de lares, e funcionários da Segurança Social e do INEM estão no centro dos casos de vacinação indevida denunciados em vários pontos do país, alguns a ser alvo de inquéritos por parte do Ministério Público.

O primeiro caso de vacinação que violou os critérios estabelecidos no Plano Nacional de Vacinação contra a covid-19 a ser denunciado envolveu José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, que justificou ter sido vacinado na qualidade de presidente da fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, que gere o lar onde, em agosto do ano passado, um surto fez 18 mortos.

Depois desta atuação ter sido condenada pelo coordenador da task-force responsável pelo plano de vacinação, Francisco Ramos, que considerou tratar-se de “um uso indevido da vacina”, sucederam-se os casos de outros autarcas como Francisco Araújo, presidente da Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez e provedor da Santa Casa da Misericórdia local, ou de Elisabete Adrião, vereadora da Câmara do Seixal e responsável pelo Núcleo Local de Inserção de Sesimbra (NLI).

A situação mais polémica verificou-se, no entanto, no Centro Distrital de Setúbal do Instituto da Segurança Social (ISS), cuja diretora, Natividade Coelho, apresentou a demissão, a 29 de janeiro, depois de, na véspera, a SIC ter noticiado que 126 funcionários daquele organismo público tinham sido vacinados indevidamente.

O Instituto da Segurança Social abriu um processo de averiguações urgente com vista ao apuramento dos factos e, em resposta a uma pergunta da agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR), confirmou que este é um dos casos em que, até ao momento, o Ministério Público (MP) já instaurou inquérito.

De acordo com a PGR, foram também já instaurados inquéritos relativamente aos casos que envolvem o INEM de Lisboa e o do Porto. Os dois casos foram denunciados pela Associação Nacional de Emergência e Proteção Civil (APROSOC), que divulgou que o presidente do INEM, Luís Meira, “contrariou as indicações do Ministério da Saúde e vacinou dezenas de profissionais não-essenciais e que não são profissionais de saúde”.

Segundo a APROSOC, o presidente do INEM “requisitou dezenas de vacinas a mais para imunizar funcionários do instituto, prestadores de serviços e colaboradores externos, parte dos quais seus amigos pessoais, violando as indicações do plano de vacinação”.

Na sequência da denuncia, o diretor regional do INEM no Norte, António Barbosa, assumiu que tinha autorizado a vacinação de 11 funcionários de uma pastelaria próxima, alegando tratar-se de uma opção para evitar o desperdício das doses da vacina. A polémica acabou, no entanto, por levar à demissão deste responsável.

Nos últimos dias vieram ainda a público alegados usos indevidos de vacinas no Centro de Apoio a Idosos de Portimão (cujos órgãos sociais foram incluídos na lista dos prioritários), e no Hospital Narciso Ferreira, em Vila Nova de Famalicão, (cujo administrador incluiu a filha e a mulher na lista de profissionais prioritários).

Além dos casos referidos, estão também a ser investigados pelo MP o lar da Santa Casa da Misericórdia de Bragança, onde terão sido vacinados todos os órgãos sociais, e a Santa Casa da Misericórdia do Montijo, cujo provedor terá incluído a mulher na lista de vacinação.

Entretanto, a agência Lusa noticiou que tanto a costureira como a mãe do presidente do Centro Social e Paroquial de Alfena (CSPA), em Valongo, foram vacinadas, em janeiro, juntamente com utentes e funcionários na instituição.

O pároco Manuel Fernando Silva explicou que a mãe, embora não seja funcionária nem utente, “faz vivência na instituição e tem contacto constante no seu interior”. A costureira acabou por ser vacinada por ter havido “sobra de vacinas”, acrescentando que, como tem um atelier de costura com os utentes, esse “contacto mais ou menos frequente” levou a direção a “encarar que era de acautelar essa situação também”.

Segundo o jornal online Observador, o pároco de Valongo do Vouga e Macinhata do Vouga, no concelho de Águeda, também foi vacinado fora da vez. João Paulo Sarabando Marques, que diz não ter pedido nada, recebeu a primeira dose a pedido da Fundação da Nossa Senhora da Conceição.

A SRCentro da Ordem dos Enfermeiros também recebeu uma denúncia de vacinação indevida na Associação de Solidariedade Social de Farminhão (ASSF), em Viseu. Entre os dirigentes e outros funcionários não prioritários que receberam a vacina estão o presidente da direção, Duarte Coelho, a sua filha, que é vice-presidente, bem como a mulher, voluntária na cozinha.

Ainda de acordo com o mesmo jornal digital, a presidente da Câmara de Portimão, a socialista Isilda Gomes, também já recebeu as duas doses da vacina. A autarca foi incluída na lista dos profissionais que iriam trabalhar no hospital de campanha que foi recentemente erguido no recinto do Portimão Arena.

A justificação da presidente do município é que é também, por inerência, presidente da Proteção Civil de Portimão e está a trabalhar como voluntária no hospital de campanha afeto ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) a intermediar as videochamadas entre os doentes e os familiares.

Ministério empenhado em que situação não se repita

O Ministério da Saúde considerou já “inaceitável” qualquer utilização indevida de vacinas, alertando que este ato pode ser “criminalmente punível”, e pediu à task-force que prepare uma lista de suplentes de outras pessoas prioritárias para evitar que estes casos aconteçam.

Esta segunda-feira, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, afirmou que haverá “tolerância zero” para vacinações indevidas e confirmou que o plano de vacinação contemplará listas suplementares para as vacinas sobrantes.

A ministra da Saúde, Marta Temido, disse também que o Ministério está empenhado em que os casos de incumprimento “sejam tratados adequadamente”, porque o processo de vacinação “não pode sofrer fragilidades”.

A governante afirmou ainda que todas as situações que tenham sido reportadas como desvios às regras do plano de vacinação, que merecem “veemente repúdio”, “serão investigadas por quem de direito e serão retiradas as consequências após a investigação”.

Temido disse que “não há processos” em que não se faça antes uma “investigação exata e concreta” e acrescentou que, desde a semana passada, a Direção-Geral das Atividades em Saúde está a avaliar e a auditar semanalmente o processo de vacinação em curso.

Em declarações ao jornal Correio da Manhã, fonte da task-force responsável pela vacinação admitiu que já foram indevidamente vacinadas mais de 340 pessoas, a maior parte em IPSS, e que este número “peca, com toda a certeza, por defeito”.

De acordo com o matutino, estes casos podem configurar crime de abuso de poder, peculato ou até apropriação ilegítima, que podem ser punidos com penas até oito anos de prisão.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

29 COMENTÁRIOS

  1. O que mais me chateia mais no meio disto tudo nem é o facto de terem sido vacinados antes de quem realmente precisa. São cobardes a olharem apenas por si e por quem lhes é próximo… nada de novo portanto.

    O que me chateia mesmo são as desculpas esfarrapadas que este tipo de gente está habituado a dar. Eles não querem saber do que pensamos nem se acreditamos ou não. Justificam o injustificável como lhes dá na real gana e siga. Nunca lhes acontece coisa nenhuma. No limite demitem-se e daqui a 2 ou 3 meses estão já noutro tacho qualquer. Vejam o caso do senhor do INEM que, como não sabe fazer contas (coitado!), pediu doses a mais e depois, para que não se estragassem, teve que as dar em que lhe aparecia à frente.

    Este tipo de comportamento mais não é que a ponta de um iceberg nojento de impunidade, compadrios e abusos de poder. A boa maneira Tuga de olhar apenas para o próprio umbigo e ir fazendo uns favorzitos pelo caminho para mais tarde poder cobrar.

  2. A Presidente da Câmara de Portimão faz visitas online a infectados com o Covid e por isso teve que ser vacinada !!!
    Espectáculo !!!

    • Acho que a história não é bem assim etter…

      O que me pareceu ouvir: Em Portimão há uma iniciativa qualquer (não sei se da camara ou de outra entidade) de voluntários estarem JUNTO de doentes com Covid e possibilitarem o contacto destes com os seus familiários através de videochamada (ou meio análogo).
      A presidente da camara seria um desses voluntários. Estando em contacto com os doentes, devido ao voluntariado a desenvolver no âmbito da tal iniciativa, estaria ‘justificada’ a vacina.

      Pelo menos foi o que me pareceu ouvir,

      • Não está em contacto com os doentes. Apenas contacta online. Vi hoje mesmo a reportagem.
        Infelizmente o governo uma vez mais deu azo a que estas situações acontecessem.
        Este é seguramente o pior governo da história de Portugal. Nunca se conseguiu reunir tanta incompetência num dado momento do tempo a dirigir o país.

        • Até aqui enfim que alguém diz a realidade deste país.

          Este é seguramente o pior governo da história de Portugal. Nunca se conseguiu reunir tanta incompetência num dado momento do tempo a dirigir o país.

            • Não. Os gajos responsáveis pelas mortes dos incêndios, pelo processo Tancos, pela nomeação do procurador europeu, pela morte do cidadão ucraniano, pela desgraça do combate à pandemia, pela nomeação do António Domingues para a CGD, pelo plano de vacinação, pela “suspensão” das aulas para todos, pelas negociatas do lítio e do hidrogénio, pelo aumento louco da dívida pública… e por muito mais… São esses!

  3. Em comparação com esses sanguessugas sem vergonha, funcionários de serviços de secretarias de hospitais não têm qualquer direito a vacinas??? Multem, prendam ou escondam esses trastes, porque parece-me que estão sujeitos a apanhar algo que não covid… Uma surra não seria mal aplicada, já que não têm medo de nada!

  4. Espero que para estes “chicos espertos” que se apropriaram, sem dizer nada à DGS, não haja perdões globais. Espero mesmo que haja MÃO PESADA, para não voltar a acontecer. Que sirvam de exemplo e sejam afastados dos cargos que ocupavam.

  5. Ainda não percebi tanto alarido, num país em que a corrupção graça e povo acha aceita, era óbvio que esses Boy’s e amigos fossem usar toda a sua influencia para imunizarem-se. Quando deveríamos crucificar quem aceitou as lista de pessoas prioritárias sem qualquer escrutínio, temos de ouvir um Boy do PS nomeado por tudo menos por competência a coordenar o plano de vacinação, debitar ou desviar as atenções invocando baboseiras sobre os votantes do Chega só faltando argumentar que a culpa disto é do Chega. E assim se passa entre as gotas de agua e daqui a uns tempos será condecorado e enviado para um tacho mais interessante.

  6. Oh At´, que alívio, que já não restava mais ninguém em quem votar.
    Eu próprio também faço voluntariado, mas só depois da vacina estar activa.
    Para depois notar que nem tenho tempo. Se a Sra Presidente da Câmara de Portimão tiver tempo a sobrar, devia de pensar bem o que é ser um político e usar o tempo para descobrir quem deve ser vacinado(a) na 1ª vaga. Especialmente com as vacinas irem todinhas para o RU-Brexit e a Suécia. Pelos vistos para isto não tem tempo mas como bem disse a chefe dos enfermeiros, mesmo sendo PSD, é até uma forma de arte que desculpas as pessoas conseguem imaginar. A PdaCdeP tem as costas quentinhas, faz parte da secção do PS que no PSD são chamados ‘os barões’. Até me disseram que nem mora em Portimão mas em Lagoa (Ferragudo). Quando são as autarquias?

  7. Estamos em Portugal, a terra do favor, do compadrio e da cunha. Eu só estou surpreendido é serem só 340 casos. Tivera eu tb uma cunha dessas e eram 341 😉

  8. Não faltam “artistas”… a melhor vigarice com as vacinas que vi até agora foi esta:
    “Covid-19: milionário e companheira fingem ser pobres para receberem vacina antecipadamente”
    tvi24
    2021-01-31 12:01

  9. Eu nem preciso de fingir de ser pobre e ainda não estou vacinado, bem estou mas não contra Covid.
    Até nem me interessam estas merdas de vacina de Pfizer, até podia dar uma reação involuntária e da Astra que é bife.
    Espero até haver coisas como Moderna ou mesmo Jansen

  10. “Tolerância zero”. Sim, deve ser isso. Vamos todos aguardar pacientemente a ver se há pelo menos um dessas centenas de bandalhos que sofra algum castigo

  11. O engraçado é que, lembram-se das 1ª vacinas a chegarem com a policia, carros, motos, GNR e PSP á porrada para ver quem protegia as vacinas tão valiosas que eram tão importante para os prioritários! mas para quê se agora qualquer pessoa as leva e entrega a quem quiser, mas agora bem o melhor nós TUGAS somo o único país com vacinas a mais do que a população neste momento, pois elas sobram em todas as autarquias, acreditam TEMOS SOBRAS, para quê então tanto aparato policial com a chegada das vacinas, se até temos sobras?….. ao que a hipocrisia chegou tinha vergonha de me sentar á mesa e ver a televisão e saber que os outros precisavam mais de que eu.

  12. Isto é a cultura do desleixo e do oportunismo, sempre houve! Mas com a “democracia” e a libertinagem é ver qual consegue chegar mais além!

RESPONDER

Medina apresenta auditoria sobre manifestações em Lisboa “nos próximos dias”

O Presidente da Câmara de Lisboa revelou que “na sequência da auditoria”, que será conhecida nos próximos dias, irá tomar “as medidas para assegurar que não voltam a acontecer” falhas na proteção de dados de …

As abelhas-operárias reproduzem-se fazendo clones (quase perfeitos) de si mesmas

Uma equipa de investigadores da Universidade de Sydney descobriu que as abelhas-operárias, uma espécie encontrada na África do Sul, se reproduzem fazendo clones quase perfeitos de si mesmas. Algumas pesquisas anteriores indicavam que algumas abelhas-operárias se …

"Quero entender o que aconteceu comigo": Eriksen já reagiu ao colapso em campo

O internacional dinamarquês Christian Eriksen já reagiu à sua queda inanimada dentro do relvado, dizendo que está melhor e que quer entender o que aconteceu. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do Grupo …

Segunda tentativa. Ricardo Salgado começa hoje a ser julgado no âmbito da Operação Marquês

O ex-banqueiro Ricardo Salgado, de 76 anos, deverá começar a ser hoje julgado por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros, no âmbito do processo Operação …

Partilha de publicação sobre recandidatura de Rui Moreira foi “erro de funcionária”

Autarquia portuense diz que publicação sobre recandidatura de Rui Moreira no site da Feira do Livro foi um erro já assumido por uma funcionária. Este domingo, o PSD-Porto acusou o independente Rui Moreira de “utilização de …

Teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de hoje. Exceto em quatro concelhos

O teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de hoje, passando a ser recomendado na generalidade do território de Portugal continental, exceto nos quatro concelhos que apresentam taxas de incidência de covid-19 superiores aos limites …

Variantes do coronavírus podem escapar dos anticorpos espalhando-se através de supercélulas

Variantes do coronavírus, como a britânica e a sul-africana, podem escapar dos anticorpos espalhando-se através de supercélulas, revela um novo estudo. Os anticorpos que criamos depois de sermos infetados com um vírus ou vacinados contra ele …

Estudo apresenta nova visão sobre a forma como os continentes se formaram

Um estudo liderado por geólogos da Monash University apresenta uma nova visão sobre a forma como os primeiros continentes da Terra se formaram. Apesar da Terra se ter formado há mais de 4,5 mil milhões de …

Cientistas descobrem novo exoplaneta semelhante a Neptuno

Uma equipa internacional de colaboradores, incluindo cientistas do JPL da NASA e da Universidade do Novo México, descobriram um novo exoplaneta temperado, do tamanho de Neptuno, com um período orbital de 24 dias orbitando uma …

Feira do Livro do Porto partilha recandidatura de Moreira. "Foi erro de funcionária"

A câmara do Porto explicou que a partilha do ‘post’ sobre a recandidatura de Rui Moreira feita este domingo na página de Facebook da “Feira do Livro do Porto” se deveu a “erro de uma …