INEM demite diretor regional do Norte que autorizou vacinação de funcionários de uma pastelaria

António Cotrim / Lusa

O conselho diretivo do INEM “aceitou o pedido” do diretor regional no Norte, que colocou o lugar à disposição após autorizar a vacinação contra a covid-19 de profissionais de uma pastelaria no Porto.

“O Conselho Diretivo (CD) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) aceitou o pedido do Diretor Regional do INEM no Norte, que colocou hoje [sábado] o seu lugar à disposição”, lê-se numa nota partilhada no portal do instituto.

O diretor regional do INEM no Norte, António Barbosa, assumiu no sábado que tinha autorizado a vacinação de 11 funcionários de uma pastelaria próxima, tendo rejeitado que se tratasse de favorecimento, mas sim para evitar o desperdício das doses de vacina.

Segundo a sua versão, havia mais 11 vacinas preparadas para o pessoal do INEM do que o que se veio a verificar ser necessário e a alternativa ao que determinou seria o desperdício.

“Atendendo o que está descrito na norma, a alternativa a vacinar cidadãos próximos seria descartar, literalmente deitar ao lixo”, disse, assinalando que obedeceu apenas a um critério de “disponibilidade e proximidade” e não outro.

Na nota divulgada no sábado à noite, o CD do INEM disse aguardar “com serenidade” o desenvolvimento e as conclusões do inquérito que será desenvolvido pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) a este processo de vacinação, “manifestando total colaboração a esse serviço inspetivo para o apuramento dos factos”.

Uma resposta a pedidos de esclarecimento da Lusa referia, contudo, que “os prazos estipulados para administração das vacinas após descongelação e diluição, bem como a logística de todo este processo de vacinação, nomeadamente a exigência de condições de assepsia na sua preparação, não permitiriam a administração destas doses sobrantes a pessoas externas, e em ambientes externos ao INEM”.

Na tarde de sábado, António Barbosa disse ter colocado o seu lugar à disposição da administração – e não apresentado a sua demissão – depois de ter sido noticiado que o instituto tinha vacinado contra a covid-19 funcionários de uma pastelaria no Porto, confirmou à Lusa fonte do instituto.

Segundo o Correio da Manhã, que avançou a notícia, “todo o staff do estabelecimento, situado na porta ao lado do INEM, no Porto, recebeu já as duas doses da vacina”.

A situação do Porto é conhecida após a Associação Nacional de Emergência e Proteção Civil (Aprosoc) ter denunciado, a vacinação de profissionais não prioritários na sede do INEM.

O instituto respondeu então que recebeu 1.174 vacinas, mas como alguns profissionais essenciais não puderam ser vacinados por razões de saúde, sobraram 92 doses que foram dadas a outros funcionários, como forma de evitar desperdícios.

A IGAS anunciou na sexta-feira que vai verificar o cumprimento das normas e orientações aplicáveis ao processo de administração da vacina contra a covid-19.

“Esta inspeção vai abranger, nesta fase, as cinco administrações regionais de saúde, IP, os hospitais, os centros hospitalares e as unidades locais de saúde do Serviço Nacional de Saúde, bem como algumas entidades que integram os serviços centrais do Ministério da Saúde”, adiantou a IGAS numa nota publicada no seu portal eletrónico.

Segundo a IGAS, a inspeção assenta em três vertentes: critérios de seleção das pessoas a vacinar dentro dos grupos prioritários, procedimentos de gestão das doses excedentes e medidas preventivas do desperdício.

Associação de Bombeiros e Proteção civil pede demissão do Conselho Diretivo do INEM

A Associação Nacional de Bombeiros e Agentes de Proteção Civil (ANBAPC) defendeu este sábado a demissão do Conselho Diretivo do INEM, na sequência da polémica.

“Este Conselho Diretivo do INEM não reúne já as condições mínimas necessárias para se manter em funções, estranhando-se que perante tantos “casos” ainda não tenham apresentado o seu pedido de demissão nem o facto da tutela nada fazer nesse sentido, o que nos leva a considerar que o Ministério da saúde está conivente com estas atitudes”, afirma a ANBAPC, em comunicado.

Em causa está, segundo argumenta a ANBAPC, “as recentes notícias vindas a público, já confirmadas por dirigentes do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica), de que foram administradas várias dezenas de vacinas a funcionários não prioritários do instituto e também a trabalhadores de uma pastelaria no Porto.

“Apesar de todos os elogios que o INEM faz aos parceiros, nomeadamente os Bombeiros e a Cruz Vermelha Portuguesa, não se lembrou de os convocar para a administração das vacinas em excesso, sendo que são estes quem garante mais de 85% da emergência médica pré-hospitalar em Portugal, optando por dar esses ‘excedentes’ aos amigos”, criticam.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Cantem todos comigo!
    “Quando nasce um bebé
    É normal é rotina,
    Fazer o teste do pezinho
    Depois vem a vacina.

    É um dever dos pais
    Seus filhos vacinar,
    Ficam imunizados
    Para a vida enfrentar!

    Há cada vez mais filhos,
    O Corona é perigoso.
    A ciência faz milagres
    E o povo está ansioso.

    Venha lá de onde vier,
    Da América ou da China!
    Não importa a origem,
    Nós queremos a vacina.
    Não importa a origem,
    Vamos todos à vacina!!

    (autor: Quim Barreiros)

  2. Agora até querem dar a 2ª dose aos gatunos que se aproveitaram para mamar a 1ª à margem da Lei.
    Vamos lá ver quem se vai demitir agora.. totalmente impensável que os tipos e tipas que ilegalmente obtiveram a 1ª agora esfreguem as mãos com a conivência do estado para levarem 2ª.

    Vamos ver..

    • Neste caso, devem levar a 2a dose… É verdade que tiveram a primeira ilegalmente, mas seria verdadeiramente deitar ao lixo. Ao menos ficam imunizados.

      O que é preciso é seriedade das pessoas que estão nas chefias e também de quem vacina – ou pensam que quem tem as seringas na mão não arranja forma de vacinar uns amigos e meter uns cobres no bolso??? – além de mais controlo e regras mais apertadas e severas. A estes não vai acontecer nada; se fossem parar atrás das grades dois mesitos com anotação no registo criminal, pesariam duas vezes.

    • Atenção que no meio deste buliço todo há casos e casos. Alguns perfeitamente justificáveis. Contudo há-os também absolutamente escabrosos e a merecerem tratamento de guerra. Como é exemplo flagrante o do plastic man, autarca de Arcos de Valdevez. Que já por várias outras indignidades deveria ter sido metido dentro de grades. Porém, desta, sim senhor, por conjugação do anti-desperdício com a necessidade de prevenir-se que possa vir a tornar-se um agente de contágio deverá facultar-se-lhe a 2ª dose. Mas com gartantia de 100% de eficácia: temperada com um cheirinho de cianeto. Por pedagogia.

RESPONDER

Há milhares de trabalhadores sem avaliação na Função Pública

Há milhares de trabalhadores sem avaliação na Função Pública. O Governo está em negociações com os sindicatos para rever o sistema. O Governo e sindicatos da Administração Pública começaram a negociar a revisão do Sistema Integrado …

Maioria dos cuidadores informais desconhecem que podem aceder a um estatuto

A maioria dos cuidadores informais inquiridos num estudo do movimento que lhes quer "dar voz" revela desconhecer o estatuto em vigor há um ano e queixa-se da falta de apoios para prestar cuidados, mas também …

Novo Banco avança com ação contra empresas de Berardo para cobrar 3,5 milhões de euros

O Novo Banco avançou com uma nova ação de execução contra duas empresas de José Berardo, no valor de 3,5 milhões de euros. O Novo Banco interpôs uma ação de execução ordinária contra a Metalgest e …

Fauci prevê que seja retomado o uso da vacina da Johnson & Johnson nos EUA

Anthony Fauci prevê que o regulador norte-americano ponha fim à pausa temporária do uso da vacina da Johnson & Johnson (J&J) contra a covid-19. Acrescentou ainda que acredita que a decisão será tomada até sexta-feira. "A …

Relatório secreto aponta o dedo à CMVM, auditoras e Angola na queda do BES

O Banco de Portugal não será o único culpado pela queda do BES. O Relatório Costa Pinto aponta o dedo à CMVM, à KPMG e PwC, e ao Banco Nacional de Angola. O Relatório Costa Pinto …

Avança 3.ª fase do desconfinamento. Shoppings, lojas, restaurantes e espetáculos de volta

Esta segunda-feira, a generalidade do país avança para a terceira fase do processo de desconfinamento. A última fase acontece daqui a duas semanas, a 3 de maio. Na generalidade do território nacional vai ser possível, a …

José Mourinho despedido do Tottenham

José Mourinho foi despedido do comando técnico do Tottenham. Os maus resultados da equipa ditaram a saída do treinador. A notícia é avançada esta segunda-feira pelo portal britânico The Athletic. O lugar do português já há …

Ventura vai "atrás" de Costa (e espera um milhão de votos nas legislativas)

O Chega organizou, este domingo, uma manifestação contra a ilegalização do partido. André Ventura sublinhou que o partido não tem medo e que "só o povo" pode fazê-lo. O presidente do Chega afirmou, este domingo, que …

Juiz-Anti-Confinamento

"Pelos castelos de Portugal" em protestos ilegais, juiz anti-confinamento não pode ser detido

O juiz Rui Fonseca e Castro, que se tornou conhecido pela postura anti-confinamento tem reunido vários apoiantes em protestos sem máscaras e sem distanciamento social. Mas, apesar da detenção de alguns desses apoiantes, o magistrado …

Navalny. Ministros europeus analisam situação de opositor russo

Os ministros dos Negócios Estrangeiros europeus vão analisar a situação de Alexei Navalny, opositor à Presidência russa cujo estado de saúde se agravou devido à greve de fome que iniciou na prisão, anunciou este domingo …