Parlamento aprova renovação do estado de emergência. IL votou contra

Mário Cruz / Lusa

O decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril foi aprovado, esta quinta-feira, no Parlamento.

De acordo com a rádio TSF, a renovação do estado de emergência foi aprovada com os votos a favor do PS, PSD, BE, CDS-PP e PAN, com o voto contra da Iniciativa Liberal e as abstenções do PEV, PCP, Chega e da deputada não inscrita Joacine Katar Moreira.

Na Assembleia da República, o primeiro-ministro lembrou que faz hoje um mês que foi detetado o primeiro caso de covid-19 em Portugal e alertou que “doença vai continuar a evoluir”.

António Costa considerou que “não renovar seria dar a mensagem errada“, já que “se há 15 dias era necessário, hoje é imprescindível”. “O esforço que foi feito até agora é comprometido” se não se continuar com o recolhimento social das últimas semanas, destacou ainda.

O deputado único do IL, João Cotrim Figueiredo, afirmou que esta prorrogação é um “voto de confiança ao Governo”, mas frisou que o chefe do Executivo não merece confiança por várias razões.

Merece confiança um primeiro-ministro que disse que as medidas eram suficientes e agora quer endurecer as medidas? Que assegurou que nada faltava ao SNS para ser desmentido pelo setor? Que há mais de uma semana prometeu abrir os dados epidemiológicos e não o fez?”, questionou o deputado, citado pelo jornal Observador.

“Há 15 dias demos o benefício da dúvida, agora não damos. Votaremos contra“, afirmou Cotrim Figueiredo.

O Presidente da República propôs, esta quarta-feira, ao Parlamento a renovação do estado de emergência, depois de ter recebido parecer favorável do Governo, que se reuniu em Conselho de Ministros extraordinário para esse efeito.

No debate parlamentar, o presidente do PSD defendeu que, sem a aplicação do estado de emergência, a evolução da covid-19 teria sido “um desastre” e deixou um aviso à banca.

“A banca deve muito, mesmo muito, a todos os portugueses e impõe-se agora que ajude quer as famílias quer as empresas. A banca não pode querer ganhar dinheiro com a crise”, avisou Rui Rio, recebendo palmas da sua bancada.

Para o líder do PSD, a banca deve ter “lucro zero” nos exercícios de 2020 e 2021. “Se a banca apresentar em 2020 e em 2021 lucros avultados, esses lucros avultados serão uma vergonha e uma ingratidão para com os portugueses”, disse.

Por sua vez, o líder parlamentar do CDS-PP pediu a clarificação e eventual agravamento de medidas, mas alertou que “unidade não significa unanimismo”.

“Temos de pedir ao Governo que estas medidas sejam clarificadas, que seja evidente o que as pessoas podem e não podem fazer e se o Governo admite introduzir um quadro sancionatório adequado e proporcional”, afirmou Telmo Correia.

Esquerda pede medidas sociais

A líder do Bloco de Esquerda concorda com a renovação do estado de emergência, mas recordou que “a resposta à pandemia não é apenas sanitária”, mas também “económica e social”.

Catarina Martins lembrou que o objetivo do Executivo deve ser “proteger o emprego e salários, combater a especulação de preços, reduzir ou suspender o pagamento de bens e serviços fundamentais”.

O PCP voltou a manifestar as suas reservas ao estado de emergência e pediu medidas para que o “problema de saúde não se transforme num problema social de ainda maiores dimensões”.

“Não é do estado de emergência que o país precisa”, afirmou o líder parlamentar do PCP. “Precisamos que se ponha fim, com firmeza, à leia da selva que começa a abater-se sobre a vida dos trabalhadores e do povo”, avisa João Oliveira.

“É nas decisões políticas que, com ou sem estado de emergência, têm de ser tomadas que devem ser feitas opções que resolvam os problemas que temos e teremos pela frente”, disse ainda.

PAN diz que renovação é “medida lógica”

“Temos hoje indícios de que fizemos bem em decretar o estado de emergência para conter a propagação da covid-19 porque a evolução da situação demonstra uma tendência de contenção da taxa de crescimento de infetados, que terá uma relação com o encerramento das escolas e com as medidas de contenção já implementadas”, afirmou o líder do PAN.

“Estes progressos indiciam que o estado de emergência está a ser eficaz. A medida lógica, baseada na evidência científica, é pois renovar o estado de emergência”, assinalou André Silva.

O líder do PAN pediu que nos próximos 15 dias se mantenham “todas as cautelas” e pediu ao Governo para “ir mais longe em alguns aspetos”.

No debate parlamentar, o deputado do Chega decidiu focar-se na eventual libertação de presos, tendo considerado que o Governo socialista “vai pôr mais bandidos na rua”.

André Ventura contestou um estado de emergência que transforma o país “num dos maiores paraísos da impunidade da União Europeia”, com “uns fechados em casa e outros na liberdade quando Portugal precisa de mais segurança”, cita o Observador.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Apareceu um terceiro monólito metálico. Agora, foi numa montanha da Califórnia

Um monólito metálico, semelhante aos encontrados há pouco tempo no deserto de Utah, nos Estados Unidos, e na cidade romena de Piatra Neamt, surgiu agora no estado norte-americano da Califórnia. A estrutura foi encontra na …

AEK 2 - 4 Braga | “Guerreiros” saqueiam Atenas e apuram-se

O SC de Braga garantiu esta quinta-feira o apuramento para os 16 avos-de-final da Liga Europa. Os minhotos foram à Grécia bater o AEK por 4-2, graças a uma exibição personalizada, num jogo em que …

Ciclone mortal deixou uma praia da Índia coberta de ouro

Centenas de pescadores, mulheres e crianças no distrito de East Godavari, no estado de Andhra Pradesh, no sul da Índia, passaram o fim de semana a vasculhar a praia local em busca de ouro. Após o …

O Flamengo de Jorge Jesus foi "um mero acidente de percurso"

2019 foi uma exceção para a equipa brasileira que, depois de ter vencido (quase) tudo, neste ano já foi afastado da Taça do Brasil e da Libertadores: "O português foi embora e com ele toda …

Concorrência condena MEO a pagar 84 milhões por combinar preços com a NOWO

A Autoridade da Concorrência (AdC) aplicou uma coima de 84 milhões de euros à MEO por combinar preços e repartir mercados com a operadora NOWO nos serviços de comunicações móveis e fixas. “A Autoridade da Concorrência …

PEV quer reverter privatização dos CTT. PS admite todos os cenários

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) defendeu hoje, no parlamento, a “reversão da nacionalização” dos CTT, e ouviu o PS admitir “todos os cenários”. Numa declaração política no parlamento, o deputado José Luís Ferreira afirmou que, …

Voltar à normalidade "não está longe, mas não é já", avisa Pfizer

O administrador executivo da Pfizer, Albert Bourla, apelou na quarta-feira para que os governos de todo o mundo não reabram as suas economias demasiado depressa devido ao otimismo gerado pelas vacinas de covid-19. Bourla, de 59 …

Biden quer retomar acordo nuclear com o Irão, embora reconheça que será "difícil"

O vencedor das eleições presidenciais norte-americanas, Joe Biden, pretende retomar o acordo nuclear com Irão antes mesmo de novas negociações, assumiu o democrata numa entrevista ao New York Times. Joe Biden afirmou, durante a campanha eleitoral, …

Processo de reprivaticação da Efacec atrasado devido à discussão do OE2021

Apesar de as avaliações no âmbito do processo de nacionalização e futura reprivatização da Efacec já estarem concluídas, o processo esteve condicionado pela discussão do Orçamento de Estado para 2021 (OE2021). De acordo com o Jornal …

Costa sobre vacinação: “Há uma luz ao fundo do túnel, mas o túnel é muito comprido e penoso”

O primeiro-ministro, António Costa, advertiu esta quinta-feira que o processo de vacinação terá imponderabilidades externas a Portugal, sendo também complexo ao nível interno, com as dificuldades a aumentarem quanto maior for o universo de cidadãos …