/

Governo vai comprar mais 500 mil vacinas para a gripe do que em 2019

António Cotrim / Lusa

O Governo vai comprar este ano mais 500 mil vacinas para a gripe do que em 2019, revelou esta sexta-feira o secretário de Estado da Saúde.

Na conferência de imprensa desta sexta-feira para atualização de informação sobre a pandemia de covid-19, António Lacerda Sales adiantou que o Governo vai investir mais de 13,6 milhões de euros na compra de dois milhões de vacinas contra a gripe para a próxima época gripal, que será crítica porque decorrerá em simultâneo com a covid-19.

O governante disse que o Conselho de Ministros autorizou “a despesa para aquisição de vacinas para a próxima época gripal” e “Portugal pretende adquirir dois milhões de doses de vacinas”. Trata-se de um aumento de 34% e de mais 500 mil doses em relação à última época gripal, disse o governante. “O Governo pretende fazer este esforço significativo, muito além da previsão inicial que era de um aumento de 5,4% das doses, num investimento global de 13,6 milhões, valor sem IVA”.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, a próxima época gripal será “crítica do ponto de vista potencial de carga doença resultante de duas epidemias de doenças respiratórias em simultâneo”, a gripe e a covid-19, e “prevê-se, e é bom que assim seja, uma maior procura de vacinas conjura a gripe sazonal por parte dos grupos de risco e da população em geral”.

António Lacerda Sales disse que “chegaram esta semana a Portugal 44 ventiladores provenientes da China, 20 dos quais de uma doação para o Centro Hospitalar do Algarve e os restantes de aquisição central e que chegarão em breve a diferentes unidades do Serviço Nacional de Saúde” (SNS).

“Durante as próximas semanas, continuarão a chegar aviões com ventiladores cruciais para robustecer o nosso SNS e para a preparação de uma eventual segunda vaga de epidemia”, adiantou. “Preparamo-nos para o pior e esperamos o melhor. Continua a ser este o nosso caminho”, rematou o secretário de Estado.

Portugal regista 1.289 mortos associados à covid-19 em 30.200 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia esta sexta-feira divulgado.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.