Vem aí a “tempestade perfeita”. Plano do Governo não prepara SNS para o Inverno

Giuseppe Lami / EPA

Figuras de destaque da Saúde apelam ao Governo para avançar já com as medidas que estão em falta, para garantir que o Serviço Nacional de Saúde é capaz de responder aos portugueses no Inverno, no “cenário de tempestade perfeita”.

O apelo surge depois de profissionais de saúde e bastonários terem criticado o Ministério da Saúde por não ouvir quem está no terreno.

A carta, assinada por Luís Campos, da Federação Europeia de Medicina Interna, Kamal Mansinho, infecciologista, Paulo Telles de Freitas, diretor de Medicina Intensiva do Hospital Amadora-Sintra, Victor Ramos, da Escola Nacional de Saúde Pública, e Constantino Sakellarides, ex-diretor-geral da Saúde, foi publicada na sexta-feira pelo Expresso e avisa o Governo que o pior ainda está para vir.

“Se até aqui não fomos sujeitos a um teste de stresse máximo e a resposta foi eficaz graças à dedicação dos profissionais, à paragem da atividade programada e à redução da procura, corremos o risco de o próximo inverno pôr a nu fragilidades críticas do SNS, como reduzida integração entre os cuidados, falta de recursos humanos e financeiros e excesso de centralismo nas decisões”, lê-se.

“As urgências hospitalares vão colapsar […] o internamento irá transbordar” e teremos “muitos médicos, enfermeiros, assistentes técnicos e operacionais exaustos”, adianta ainda a missiva.

O frio, a gripe, as listas de espera, a eventual segunda vaga e a restante atividade vão colocar Portugal “perante circunstâncias excecionais e problemas complexos, que exigem medidas excecionais, atempadas, construídas de forma participada, com o acordo dos vários grupos profissionais”.

“A Saúde não planeou, não teve uma estratégia. Já pedimos o plano para o inverno e estamos à espera que nos chamem. O plano já devia estar feito há pelo menos um mês”, critica Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, em declarações ao semanário.

A responsável sublinha que a vacinação contra a gripe é uma das medidas essenciais e que o plano de vacinação anda não chegou. Por sua vez, Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, destaca que, no terreno, o receio de uma segunda vaga é grande.

“Temos de saber com tempo o que vamos fazer aos mais de 100 mil doentes crónicos institucionalizados e, no inverno – quando todos tiverem febre, tosse e dor de garganta -, saber como passar a mensagem de que é preciso presumir que todos têm covid e devem ficar em casa, exceto se tiverem falta de ar ou complicações de outras doenças”, disse.

Já a bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins, questionou se o Governo vai aproveitar os 3.500 farmacêuticos para administrarem vacinas e evitar a concentração nos centros de saúde. Para já, ainda não há uma resposta para esta pergunta.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Com os governos portugueses é tudo em cima do joelho e á ultima da hora. Quando as calamidades estão a cair em cima é que tentam fazer algo, que sai quase sempre uma valente M—- até lá andam a passear como se nada fosse. A desgraça só acontece aos outros… COITADOS do povo porque os politicos são a pior GENTALHA que existe. NÃo querem saber do povo para NADA, só para ir votar, até ver porque daqui a nada estamos num estado ditador e aí já nem p/ votos precisam do povo. Auto elegem-se… Acordem.

  2. Os profissionais de saúde tiveram o que pediram, a Champions em Portugal… votaram neles aguentem se com eles, eu não votei neles e tenho de aturar a merda que fazem durante os anos que lá estão…

    Se querem melhores resultados façam escolhas diferentes…

  3. SABIAM QUE…

    1 – De 1 a 26 Julho 2020 temos um excesso de mortalidade (NÃO Covid-19: 1738) +12x a mortalidade Covid-19 de Julho 2020 (143)
    2 – De 1 a 26 Julho 2020 MORRERAM EM EXCESSO (NÃO Covid-19) MAIS PESSOAS (1738) DO QUE AS QUE MORRERAM DE COVID-19 DESDE MARÇO ATÉ AGORA (1719)
    3- O excesso de mortalidade total (NÃO Covid-19) de Março 2020 a 26 Julho 2020 (em relação à média do mesmo período de 2015-2019) é de 3568

    Mais dados em https://www.facebook.com/MariaSpinola/posts/10224128755863916

    E a juntar a tudo isso, ainda temos isto (e NÃO é de agora): https://youtu.be/J7YogYD2JOg?t=5m7s

    • O problemas das pessoas é este tipo de desinformação. A taxa de mortalidade de Covid-19 é baixa porque houve e há medidas para ajudar a manter essa taxa de mortalidade baixa. Vejam a taxa de mortalidade no Brasil, EUA, Inglaterra, Holanda, Suécia… onde as medidas foram muito menores do que as adoptadas em Portugal.
      Se começarmos a ignorar as medidas de precaução, rapidamente vamos entupir os serviços de urgência do SNS e com isso a taxa de mortalidade irá disparar… afinal temos o exemplo do que aconteceu em Itália, onde inicialmente também foi ignorada a gravidade do Covid-19 e foi o que foi, nem as agências funerárias tinham mãos a medir para enterrar os mortos…
      Quanto mais rapidamente seguirem as medidas de prevenção, mais rapidamente conseguimos vencer o virus. Mas para isso é preciso que TODOS sigam as medidas de prevenção para acabarmos com as cadeias de transmissão…
      Virem com teorias de que as taxas de mortalidade são mais baixas que noutras doenças em nada nos vai ajudar a combater a pandemia…
      E caso não se lembrem, uma infecção por Covid-19, em 50% dos casos, deixa mazelas nos pulmões e cérebro, sendo que muitas mortes podem advir mais tarde após infecção pelo Covid-19: https://tvi24.iol.pt/tecnologia/estudo/o-que-a-covid-19-pode-fazer-ao-nosso-cerebro

      • Mike,

        Primeiro, o que foi feito é passado. Agora é hora de olhar para o futuro e não deixar morrer pessoas em excesso por outras causas que não o Covid-19. Ou seja, não deixar a taxa de mortalidade disparar, quer seja covid-19, ou não.
        Neste momento, a taxa de mortalidade NÂO Covid-19 já disparou!!!
        O que estamos a fazer para reverter isso?

        Nota: No entanto, existem muitas imprecisões em relação ao que escreveu, e apenas vou mencionar a maior imprecisão: “Quanto mais rapidamente seguirem as medidas de prevenção, mais rapidamente conseguimos vencer o virus. Mas para isso é preciso que TODOS sigam as medidas de prevenção para acabarmos com as cadeias de transmissão…” –> o vírus só se vence quando ficar endémico e não irá desaparecer tão rápido https://www.facebook.com/falaportugal/videos/922204144929270

        Ou seja, temos de saber viver com ele, e proteger os grupos de risco, que NÃO é isso que temos feito. Por exemplo, nos lares. Porque andaram testar a tordo e a direito à caça de assintomáticos, e porquê deixaram de testar sistematicamente os lares?

  4. Pois, no início não faltaram gabarolices de que tudo marchava sobre rodas, quando demos por ela, estávamos nos primeiros lugares europeus como dos piores, o outono/inverno aproximam-se a passos largos, o caos nos hospitais de todos os invernos é bem conhecido, imagine-se agora com o Covid 19 à mistura, muitos de nós iremos ser rejeitados e as condições de trabalho dos nossos profissionais de saúde nem é bom pensar e no final o resultado será o mesmo que acontece todos os anos com os fogos, muitas promessas e no final tudo na mesma. A prevenção em qualquer dos casos será a arma mais eficaz, mas os políticos não se dão a tal trabalho que até ficaria mais barato.

RESPONDER

O uso doméstico de carvão na China resulta em mortes prematuras

Um novo estudo indica que, na China, a poluição da queima de carvão residencial causa um número desproporcional de mortes prematuras por exposição a poluentes minúsculos inaláveis, conhecidos como PM2.5. A combustão do carvão por centrais …

Estudo alerta para níveis preocupantes de produtos químicos tóxicos no leite materno

Um novo estudo, que analisou o leite materno de mulheres americanas quanto à contaminação por PFAS, detetou o produto químico tóxico em todas as 50 amostras testadas, e em níveis quase 2.000 vezes mais altos …

Dinheiro, imóveis e arte. João Rendeiro perde fortuna para o Estado

Um milhão e meio de euros em numerário, contas e ativos bancários, obras de arte e quatro imóveis em Lisboa, Cascais e Oeiras vão ser arrestados a João Rendeiro, ex-presidente do Banco Privado Português (BPP). Segundo …

A primeira eco-casa impressa em 3D "nasceu" em Itália

A empresa de impressão 3D WASP e o Mario Cucinella Architects concluíram a casa TECLA. É o primeiro modelo de habitação eco-sustentável a ser construído a partir de matérias-primas locais usando tecnologia de impressão 3D.  O …

Partido de Le Pen desviou 6,8 milhões de fundos europeus, segundo jornal francês

O partido francês de extrema-direita União Nacional (RN, sigla original), liderado por Marine Le Pen, terá desviado 6,8 milhões de euros de fundos do Parlamento Europeu, revela este domingo um inquérito policial noticiado pelo Le …

Proporção divina. Antiga fórmula grega pode ser responsável pelo sucesso dos musicais

Desde 1972, quando "Jesus Christ Superstar" estreou na Broadway, os mais populares musicais quase unanimemente empregaram uma fórmula centenária conhecida como “a proporção divina” - e, surpreendentemente, parecem tê-lo feito acidentalmente. A proporção divina é um …

Egito já iniciou obras de alargamento do Canal do Suez

A Autoridade do Canal do Suez iniciou este sábado obras para ampliar dez quilómetros do troço sul, onde o navio Ever Given encalhou em março passado, causando o bloqueio de uma das vias de navegação …

Museu do Prado descobre erro de 500 anos numa das suas esculturas

O Museu do Prado, em Madrid, descobriu que uma das suas esculturas, que se pensava ser do século XV, é afinal uma obra do século XX. Em comunicado, o museu espanhol explicou que a escultura – …

Costa entrou em “modo avestruz” e Cabrita é uma “mancha”. Líder do CSD não poupa nas críticas

Francisco Rodrigues dos Santos fez duras críticas ao primeiro-ministro, António Costa, e ao ministro da Administração Interna, Eduarda Cabrita. O presidente do CDS-PP disse que o primeiro-ministro entrou "em modo avestruz no caso João Galamba" referindo-se …

Morreu o prefeito de São Paulo que venceu a covid-19, mas que perdeu a batalha para o cancro

O prefeito da cidade brasileira de São Paulo, Bruno Covas, morreu este domingo, aos 41 anos, vítima de cancro, segundo a imprensa brasileira e várias personalidades que nas redes sociais têm lamentado a sua morte. Bruno …