/

885 novos casos e cinco mortes. Internamentos continuam em queda

1

Giuseppe Lami / EPA

Portugal registou 885 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal registou, nas últimas 24 horas, 885 novos casos positivos de covid-19 e cinco óbitos.

Lisboa e Vale do Tejo é a região que regista mais infeções, com 330 novos casos de covid-19. Segue-se o Norte (258), o Centro (140), o Algarve (103) o Alentejo (44), a Madeira (8) e os Açores (2).

Dos cinco óbitos, dois foram registados em Lisboa e Vale do Tejo, dois no Centro e um no Notre.

Os internamentos voltam a registar uma descida nas últimas 24 horas. Há 412 doentes internados no país, menos 14 do que os registados no último boletim, e 75 pessoas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), menos três do que na quarta-feira.

Nas últimas 24 horas, 983 pessoas recuperaram da doença, num total de1.014.772 recuperados desde o início da pandemia. Portugal tem hoje 32.166 casos ativos, menos 103 em relação ao dia anterior, e 28.235 contactos em vigilância.

Em relação à matriz de risco, a incidência do SARS-Cov-2 ao nível nacional está nos 137,4 casos por 100.000 habitantes. Se se contar apenas com o Continente, sobe para 140,1 casos/100.000 habitantes.

Já o índice de transmissão R(t) situa-se nos 0,82 no país e nos 0,81 no continente.

Esta quinta-feira, e numa altura em que quase 85% da população portuguesa já está vacinada, António Costa prepara-se para anunciar o levantamento de um conjunto de restrições que vigoraram por causa da covid-19, com efeitos a partir de 1 de outubro.

Espera-se que o Executivo anuncie um conjunto de medidas que passam pelo recuo das máscaras obrigatórias, fim dos espaços com lotação limitada ou certificados obrigatórios.

  Liliana Malainho, ZAP //

1 Comment

  1. É como tenho vindo a dizer… vão acabar com todas as restrições, avante com o excesso de confiança, e depois o bichinho volta em grande. Só precisamos de esperar.
    Beijinho. 🙂

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.