Uso de máscara pode salvar 130 mil vidas nos EUA até final de fevereiro, revela estudo

As medidas de distanciamento social, principalmente o uso de máscaras em público, podem salvar até 130 mil vidas nos Estados Unidos (EUA), revelou um novo estudo divulgado na sexta-feira.

Em abril, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, escolheu um único modelo de previsão da disseminação do coronavírus. As estimativas desse simulador revelaram-se mais otimistas do que outros algoritmos, projetando muito menos mortes por covid-19, cálculos esses que atraíram fortes críticas dos epidemiologistas.

“Acreditamos que está a chegar uma grande vaga no inverno”, disse durante uma conferência Christopher Murray, principal autor do novo artigo e diretor do Instituto de Avaliação e Métricas de Saúde da Universidade de Washington (IHME). Nesta altura, essa vaga já não é totalmente evitável, mas “expandir o uso da máscara é uma das vitórias fáceis para os Estados Unidos”, afirmou o especialista, citado pelo Stat.

Este nova estimativa, publicada no Nature Medicine, mostra que poderá haver, aproximadamente, meio milhão de mortes relacionadas à covid-19 nos EUA até o final de fevereiro e que à volta de 130 mil podem ser evitadas com o uso de máscara. Segundo os autores, as máscaras podem reduzir o risco de infeção em cerca de 40%.

“Os números exatos são impossíveis de prever”, disse Ruth Etzioni, especialista do Centro de Pesquisa do Cancro Fred Hutchinson e da Universidade de Washington, que não esteve envolvida nesta nova pesquisa. “O que deve impulsionar as políticas [de saúde] é a diferença entre os cenários com e sem máscaras”.

O trabalho inicial da equipa do IHME, realizado na primavera, não modelar as taxas de transmissão e períodos de incubação do vírus, mas sim encaixou os país em dados de surtos noutros locias, com os casos a aumentar e a cair simetricamente.

As projeções do IHME também oscilaram bastante ao longo do tempo. Como apontou Nicholas Reich, um estatístico da Universidade de Massachusetts, cuja equipa compara vários modelos estatísticos diferentes para a covid-19, essas projeções “eram imprecisas”.

O IHME então mudou para uma forma mais tradicional de modelar doenças infeciosas, que visa calcular a cascata matemática da transmissão: o número de pessoas suscetíveis à doença; quantas foram expostas, quantas infetadas e quantas se recuperam e adquiriram, assim, imunidade, pelo menos temporária.

GovBogotá / Fotos Publicas

Assim que o instituto mudou a abordagem, disse Nicholas Reich, as “suas previsões mais recentes para prazos curtos, submetidas ao Centro de Previsão COVID-19, tiveram um desempenho razoavelmente bom relativamente à precisão. Não é o melhor modelo, mas parecem estar a fazer previsões de curto prazo razoavelmente precisas”, esclareceu.

No entanto, quanto mais se avança no tempo, maior é a incerteza das projeções. A equipa usou dados de todos os estados do país relativamente aos casos e a outras variáveis ​​- como dados de deslocação, flutuações sazonais de pneumonia, níveis de uso de máscara – para projetar como o ajuste dessas variáveis ​​pode alterar os resultados.

Esse tipo de análise não visa apontar a eficácia do uso de máscara na redução da propagação de doenças, sendo apenas um dos muitos dados que os investigadores inseriram no seu modelo. A sua previsão surge de uma meta-análise feita a estudos anteriores revistos ​​por pares e impressões que examinaram especificamente essa questão.

“Não é uma previsão em si, porque os resultados são condicionados por suposições muito específicas, como a eficácia das máscaras”, acrescentou Nicholas Reich.

Segundo o Stat, este tipo de análise pode fornecer uma dicas sobre a direção que se deve seguir para manter o maior número possível de pessoas seguras.

“Não precisamos de um modelo para nos dizer que devemos usar máscaras, não precisamos de um modelo para nos dizer que, se continuarmos do jeito que estamos, teremos dezenas de milhares de mortes a mais nos próximos meses”, referiu Ruth Etzioni. “Mas, às vezes, quando vemos um modelo, as curvas e os números, isso assusta-nos de forma apropriada”, sublinhou.

“Um modelo como este pode ser muito importante para os governadores que estão realmente a tentar fazer algo para impor o uso das máscaras. Politicamente isso não é popular, então pode tornar as coisas difíceis para um governador que está a tentar fazer o que é certo. Modelos como este podem fornecer um tipo de evidência que apoie essas políticas”, concluiu.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …

O novo amplificador de guitarra tem maior capacidade de encaixe (e é mais poderoso)

Em 2016, o engenheiro eletrónico Chris Prendergast lançou um projeto Kickstarter para o amplificador de guitarra portátil JamStack. Este encaixava-se num pino de correia e emitia sons gerados por um smartphone. Agora foi lançada a …

Etiópia. Comissão de direitos humanos denuncia massacre de 600 civis na região de Tigré

A organização independente que investiga acusações de violência contra civis na Etiópia corroborou o relatório da Amnistia Internacional que denunciou a chacina de pelo menos 600 pessoas na região de Tigré, no Norte do país. Segundo …