Uso de máscara pode salvar 130 mil vidas nos EUA até final de fevereiro, revela estudo

As medidas de distanciamento social, principalmente o uso de máscaras em público, podem salvar até 130 mil vidas nos Estados Unidos (EUA), revelou um novo estudo divulgado na sexta-feira.

Em abril, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, escolheu um único modelo de previsão da disseminação do coronavírus. As estimativas desse simulador revelaram-se mais otimistas do que outros algoritmos, projetando muito menos mortes por covid-19, cálculos esses que atraíram fortes críticas dos epidemiologistas.

“Acreditamos que está a chegar uma grande vaga no inverno”, disse durante uma conferência Christopher Murray, principal autor do novo artigo e diretor do Instituto de Avaliação e Métricas de Saúde da Universidade de Washington (IHME). Nesta altura, essa vaga já não é totalmente evitável, mas “expandir o uso da máscara é uma das vitórias fáceis para os Estados Unidos”, afirmou o especialista, citado pelo Stat.

Este nova estimativa, publicada no Nature Medicine, mostra que poderá haver, aproximadamente, meio milhão de mortes relacionadas à covid-19 nos EUA até o final de fevereiro e que à volta de 130 mil podem ser evitadas com o uso de máscara. Segundo os autores, as máscaras podem reduzir o risco de infeção em cerca de 40%.

“Os números exatos são impossíveis de prever”, disse Ruth Etzioni, especialista do Centro de Pesquisa do Cancro Fred Hutchinson e da Universidade de Washington, que não esteve envolvida nesta nova pesquisa. “O que deve impulsionar as políticas [de saúde] é a diferença entre os cenários com e sem máscaras”.

O trabalho inicial da equipa do IHME, realizado na primavera, não modelar as taxas de transmissão e períodos de incubação do vírus, mas sim encaixou os país em dados de surtos noutros locias, com os casos a aumentar e a cair simetricamente.

As projeções do IHME também oscilaram bastante ao longo do tempo. Como apontou Nicholas Reich, um estatístico da Universidade de Massachusetts, cuja equipa compara vários modelos estatísticos diferentes para a covid-19, essas projeções “eram imprecisas”.

O IHME então mudou para uma forma mais tradicional de modelar doenças infeciosas, que visa calcular a cascata matemática da transmissão: o número de pessoas suscetíveis à doença; quantas foram expostas, quantas infetadas e quantas se recuperam e adquiriram, assim, imunidade, pelo menos temporária.

GovBogotá / Fotos Publicas

Assim que o instituto mudou a abordagem, disse Nicholas Reich, as “suas previsões mais recentes para prazos curtos, submetidas ao Centro de Previsão COVID-19, tiveram um desempenho razoavelmente bom relativamente à precisão. Não é o melhor modelo, mas parecem estar a fazer previsões de curto prazo razoavelmente precisas”, esclareceu.

No entanto, quanto mais se avança no tempo, maior é a incerteza das projeções. A equipa usou dados de todos os estados do país relativamente aos casos e a outras variáveis ​​- como dados de deslocação, flutuações sazonais de pneumonia, níveis de uso de máscara – para projetar como o ajuste dessas variáveis ​​pode alterar os resultados.

Esse tipo de análise não visa apontar a eficácia do uso de máscara na redução da propagação de doenças, sendo apenas um dos muitos dados que os investigadores inseriram no seu modelo. A sua previsão surge de uma meta-análise feita a estudos anteriores revistos ​​por pares e impressões que examinaram especificamente essa questão.

“Não é uma previsão em si, porque os resultados são condicionados por suposições muito específicas, como a eficácia das máscaras”, acrescentou Nicholas Reich.

Segundo o Stat, este tipo de análise pode fornecer uma dicas sobre a direção que se deve seguir para manter o maior número possível de pessoas seguras.

“Não precisamos de um modelo para nos dizer que devemos usar máscaras, não precisamos de um modelo para nos dizer que, se continuarmos do jeito que estamos, teremos dezenas de milhares de mortes a mais nos próximos meses”, referiu Ruth Etzioni. “Mas, às vezes, quando vemos um modelo, as curvas e os números, isso assusta-nos de forma apropriada”, sublinhou.

“Um modelo como este pode ser muito importante para os governadores que estão realmente a tentar fazer algo para impor o uso das máscaras. Politicamente isso não é popular, então pode tornar as coisas difíceis para um governador que está a tentar fazer o que é certo. Modelos como este podem fornecer um tipo de evidência que apoie essas políticas”, concluiu.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Um terço dos internados em UCI em Lisboa estava vacinado com a primeira dose

Cerca de um terço dos doentes com covid-19 internados em unidades de cuidados intensivos (UCI) na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) já estava vacinado com a primeira dose quando deu entrada no …

Fernando Santos admitiu mudanças. Eis as mexidas que podem acontecer no "onze"

Fernando Santos admitiu promover alterações no onze inicial de Portugal frente à França. Eis a equipa que pode entrar em campo logo à noite. A derrota por 2-4 frente à Alemanha, no segundo jogo da fase …

MP pede pena de prisão efetiva entre dois e três anos para Armando Vara

O Ministério Público (MP) pediu, esta quarta-feira, a condenação de Armando Vara a uma pena efetiva próxima dos três anos de prisão por um crime de branqueamento de capitais, do qual foi pronunciado em processo …

Imunidade de grupo poderá ser atrasada. Jovens com mais de 18 anos vacinados a partir de 4 de julho

Henrique Gouveia e Melo, coordenador da task force para o Plano de Vacinação contra a covid-19, admitiu um atraso de até 15 dias na meta de 70% de população vacinada com a primeira dose, devido …

Supremo espanhol ordena libertação imediata dos nove políticos catalães

O Supremo Tribunal espanhol ordenou, esta quarta-feira, a libertação imediata dos nove líderes independentistas catalães condenados pela tentativa separatista de 2017, depois de o Governo ter concedido um indulto por "razões de utilidade pública". Segundo a …

Corona quer sair do FC Porto e tem uma escolha de eleição

Em final de contrato com o FC Porto, Jesús Corona olha para a porta de saída e vê no Sevilha a escolha de eleição para seguir a sua carreira. Jesús Corona termina contrato com o FC …

Índia alerta para variante Delta Plus, já presente em Portugal. É a chamada "mutação nepalesa"

A Índia alertou, esta terça-feira, para uma mutação da variante Delta, chamada Delta Plus, que já terá sido detetada em nove países, incluindo Portugal. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge confirma que se …

PS acusa Rui Rio de "incoerência" por criticar Governo após palavras de Merkel

Sobre as críticas de Angela Merkel subscritas por Rui Rio, Ana Catarina Mendes lembra que, "em maio, o PSD criticava o Governo por não ter ainda anunciado a abertura aos voos do Reino Unido". A líder …

Arqueólogos investigam mistério de túmulos reabertos há 1400 anos

Um novo estudo mostra que pessoas que viviam na Europa há cerca de 1400 anos tinham o hábito de reabrir túmulos e retirar de lá certos objetos, algo que os arqueólogos ainda estão a tentar …

O dilema de Costa nas negociações: de um lado a esquerda que quer "destroikar", do outro Centeno que deixa avisos

António Costa vai dar início às negociações sobre o Orçamento do Estado em julho, mas está numa encruzilhada: se, de um lado, tem a esquerda a pressioná-lo com o dossiê do Código do Trabalho; do …