/

Moratórias no crédito da banca devem ser prolongadas até final do ano

José Sena Goulão / Lusa

O Correio da Manhã escreve esta terça-feira que o Governo deve prolongar as moratórias de suspensão de pagamentos dos créditos bancários feitos por famílias e empresas, que terminaria no final de setembro, até ao final do ano.

O prazo geral das moratórias devem ser alargado até ao fim deste ano, ou seja, durante mais três meses, mas os setores mais afetados pela pandemia de covid-19, como o turismo, podem ver a extensão vigorar durante prazos maiores, apurou o matutino.

Nos setores mais afetados, a prorrogação pode chegar aos seis meses.

A decisão da extensão do prazo das moratórias está a ser ponderada no âmbito do programa de estabilização económica e social que o Governo tem estado a apresentar aos partidos no início desta semana e que deverá ser tornado público em junho.

As moratórias no pagamento dos créditos bancários são públicas e privadas e abrangem créditos à habitação, ao consumo e a empresas.

Até ao final do mês passado, os bancos receberam quase 569 mil pedidos para a suspensão temporária das prestações do crédito, tendo aprovado cerca de 90% dos pedidos, segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

O governador do BdP, Carlos Costa, já defendeu a prorrogação das moratórias “tão longa quanto possível”. Por sua vez, o presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), Faria de Oliveira, considera que “os interesses são absolutamente os mesmos para a economia e para o sistema bancário”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.