/

Após críticas dos especialistas, o Natal de Marcelo vai ser diferente

2

Eduardo Costa / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República afirmou na segunda-feira que, durante quatro dias, estaria com diferentes agregados da sua família e dois especialistas consultados pelo semanário Expresso disseram que Marcelo Rebelo de Sousa não estava a dar bom “exemplo”. Na sequência das críticas, o Chefe de Estado garantiu hoje que irá limitar-se a um jantar com cinco pessoas.

Na segunda-feira, Marcelo Rebelo de Sousa deu uma entrevista à TVI na qual confessou que, durante quatro dias, iria estar com vários agregados familiares ou elementos da sua família.

“No dia 24 de dezembro janto com parte da família, são cinco”, contou. No dia 24, há jantar “com outra parte da família, também cinco” e “no dia 26, são 7”. “Não é em minha casa, estou com dúvidas sobre como vão arrumar a mesa. Tento dar o exemplo”, referiu.

Em declarações ao Expresso, Ricardo Mexia, epidemiologista e presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, disse que “devemos reduzir o número de pessoas com quem estamos em cada momento, mas em simultâneo devemos reduzir também o total de pessoas com quem interagimos”.

“Tendencialmente não deveria haver esse grande contacto com tanta gente. Essa não é a ideia, não é isso que temos recomendado às pessoas”, disse o especialista, depois de questionado sobre a declaração do Presidente da República.

Bernardo Mateiro Gomes, médico de Saúde Pública, afirmou que a forma como o chefe de Estado vai celebrar o Natal “é errada, absolutamente errada“.

“Fazer uma dieta social antes do jantar para tentar reduzir o risco”, “não comparecermos se tivermos sintomas ou formos contactos de caso confirmado”, e “estar com o mínimo de pessoas possível e se possível dentro dos contactos habituais” são os três princípios fundamentais apontados pelo médico.

Para Bernardo Mateiro Gomes, a mensagem de Marcelo “é contraproducente“.

“Acaba por acrescentar complexidade a uma circunstância que se quer simples, ainda por cima com um exemplo que é errado. Não tenho dúvidas disto. Quem está a controlar a doença no terreno espera ajuda da comunicação de quem tem palco mediático. É isso que esperamos”, rematou.

Na sequência das críticas de que foi alvo por parte dos especialistas, Marcelo Rebelo de Sousa disse, esta quarta-feira que já só vai fazer uma refeição com cinco pessoas na quadra natalícia.

Em declarações aos jornalistas, depois de entregar as assinaturas necessárias para a candidatura à Presidência da República no Tribunal Constitucional, Marcelo disse ter percebido que os “epidemiologistas ficaram sensibilizados”. Decidiu, então, reduzir as refeições, limitando-se agora a fazer uma refeição já esta quarta-feira à noite, com apenas cinco pessoas.

“Reduzi. Já só há uma refeição com cinco pessoas. Eram três, mas tenho apenas uma refeição, que é logo à noite. Fica o Natal reduzido a hoje à noite“, disse o Presidente da República, citado pelo ECO. “Na quinta-feira e na sexta-feira, 24 e 25, não haverá [encontros familiares].”

À saída do Tribunal Constitucional, o candidato presidencial adiantou também que entregou as assinaturas necessárias para a sua candidatura e o seu orçamento de campanha para as eleições presidenciais, no valor de 25 mil euros. “Não tenciono gastar mais do que isso”, afirmou, em declarações transmitidas pela RTP3.

“A minha ideia hoje é apresentar a candidatura e no futuro é fazer uma campanha pela positiva. Eu não irei fazer uma campanha atacando nenhum candidato nem nenhuma candidata. Direi exatamente aquilo que penso sobre o futuro do país”, acrescentou, citado pela agência Lusa.

  Liliana Malainho, ZAP //

2 Comments

  1. Já agora eu gostava de saber o seguinte,porquê tanta preocupação com o que vai fazer Marcelo?será que o zé povinho não tem mais nada que fazer?somos sem dúvida um povo único!!!!!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.