Governo confirma “desconfinamento a conta-gotas”. Medidas pós-Páscoa decididas na próxima semana

António Pedro Santos / EPA

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou esta sexta-feira que “temos condições para continuar o plano de desconfinamento”.

No briefing após o Conselho de Ministros, no Centro Cultural de Belém, Mariana Vieira da Silva, ministra de Estado e da Presidência, alertou que, “apesar de estarmos na zona verde da matriz, isso não significa que possamos fazer todas as coisas, mas que há condições para prosseguir” com o plano de desconfinamento previsto.

A governante confirmou ainda que as medidas que entram em vigor dia 5 de abril, após a Páscoa, só serão decididas no dia 1. É uma “decisão de cautela e alerta”, disse.

A ministra da Presidência insistiu na expressão de “desconfinamento a conta gotas” e disse que, para que se mantenha o que está previsto para dia 5 de abril – regresso à escola dos 2º e 3º ciclos e a abertura das esplanadas e cafés – “precisamos de nos manter na zona verde e em segurança”.

Sobre a matriz e a forma como se adapta ao plano de desconfinamento, “ninguém fará destas linhas absolutos travões”, assegurou a ministra apontando, no entanto, o risco de se ultrapassar o R. “Com incidências muito baixas, temos mais margem de viver com pequenas alterações ao R do que se existirem grandes incidências”.

Questionada sobre a manutenção do estado de emergência até maio, Mariana Vieira da Silva lembrou que o Governo tem feito a avaliação dos melhores mecanismos legais para funcionar. “Neste momento, para garantir a adoção das medidas temos de continuar em estado de emergência. É preciso garantir a segurança jurídica“.

Em relação à testagem, Mariana Vieira da Silva disse que serão feitos testes mais massificados onde haja mais de 120 casos por 100 mil habitantes. Além disso, “vão existir testes no regresso às aulas” do Ensino Superior.

“Estamos a fazer neste momento a testagem nas escolas e a procurar cobrir os concelhos onde a incidência é superior a 120 novos casos por 100 mil habitantes. A prioridade é essa. Primeiro estão previstas ações de testagem no contexto escolar e ensino superior, mas depois vamos procurar atuar nos concelhos que vão tendo mais incidência de casos, de setor a setor”, explicou.

Já sobre ao teletrabalho, a ministra disse que a medida “reduz bastante a circulação” e confirmou que o regime geral vai ser prorrogado até ao final do ano. Mariana Vieira da Silva disse não estarem previstas alterações para já. O Governo avisará atempadamente sobre o assunto, mas só depois de terminar o estado de emergência.

Mariana Vieira da Silva disse que o lay-off pago a 100% “é um esforço que continuará”, mas isso não significa que o governo não tenha as suas “prerrogativas constitucionais e não as vá exercer”.

Questionada sobre os apoios sociais, aprovados no Parlamento pela oposição, a ministra da Presidência não quis fazer comentários, dizendo apenas que “a lei travão existe”.

Assim, o Governo pode pedir a fiscalização ao Tribunal Constitucional dos apoios sociais aprovados em coligação negativa no Parlamento por preverem um aumento de despesa para lá do orçamentado.

  Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …

Luis Díaz será a prioridade do Newcastle

Valor de mercado será agora inacessível para os clubes italianos, escreve-se... em Itália. O novo Newcastle deverá atacar o mercado do futebol com estrondo, possivelmente já daqui a pouco mais de dois meses, e a prioridade …