“Resistir é preciso. Abram os vossos negócios.” Restaurante em Lisboa faz festa com dezenas de pessoas

(cv) facebook

Sem máscara nem distanciamento social. Foi assim que decorreu o jantar no restaurante Lapo em Lisboa

O restaurante Lapo na baixa de Lisboa, que recusou fechar no dia 15 de janeiro, em pleno Estado de Emergência, transmitiu esta quinta-feira à noite um direto no Facebook. Nas imagens pode ver-se um grupo vasto de pessoas que aparece sem distanciamento físico ou máscara.

O restaurante/associação cultural Lapo, em Lisboa, voltou esta quinta-feira a violar as regras de confinamento e organizou uma festa com várias pessoas, entre elas crianças e idosos.

António Guerreiro, dono do espaço, fez uma transmissão ao vivo, através do Facebook, onde se cantava a “Grândola Vila Morena” e se incentivava ao desrespeito das normas estabelecidas pelo Governo no que diz respeito aos estabelecimentos de restauração.

“Meus amigos, resistir é preciso. Abram os vossos negócios. A liberdade não se pede, exerce-se”, diz o proprietário no início de uma transmissão onde se podem ver pessoas de todas as idades, incluindo uma criança, a conviver em espaços fechados sem qualquer tipo de distanciamento social ou fazendo a utilização da máscara.

Nas imagens, é ainda clara a presença de dezenas de pessoas que convivem com copos de vinho na mão em ambiente festivo.

O restaurante tem defendido o direito à abertura de espaços de restauração, durante o estado de emergência, e a 28 de janeiro os proprietários organizaram um protesto depois de recusarem fechar o estabelecimento. Nessa altura, foram notificados pela PSP e tiveram de pagar uma multa até 20 mil euros.

Durante o direto no Facebook, os proprietários dizem que “só paga coimas quem quiser. As medidas do Governo são ilegais. A Constituição da República Portuguesa é a Lei suprema do país“.

À porta do restaurante havia ainda um manifesto (também publicado nas redes sociais) onde os sócios-gerentes do espaço defendiam que “a defesa da saúde pública não deve nem pode tornar-se um álibi para um atentado contra a vida e a liberdade do povo português”.

“Nós, António Guerreiro e Bruna Guerreiro, sócios-gerentes da empresa Atelier Lapo Lda., decidimos manter o restaurante Lapo aberto, invocando o artigo 21.º da Constituição da República Portuguesa – Direito de Resistência”, alegam no manifesto.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Estranho uma notícia tao fresca,e tao irreverente ainda não ter sido comentada por ninguém!!!
    Será q tao todos com vontade de fazer o mesmo mas não tem colh#€$ pra o fazer? Ninguém fala nesse artigo 21; poucos são os q sabem disso; e muitos são com vontade de fazer o mesmo? Q repercussões vão ter essas pessoas do directo? Quantos tao contaminados nesse espaço? Será q tao? Será q vão contaminar ? Era interessante fazer uma investigação não com o propósito de incriminar mas sim de averiguar o resultado concreto mais detalhado possível de tal ação conjunta desses indivíduos! Perceber se são assim tao irresponsáveis ou se se somos nós assim tao tapados!

    • Oh amigo, é muito simples. Isto era o que se fazia antes da pandemia e deixou-se de fazer porque as pessoas ficaram infectadas. Por outro lado, investigar o quê? Há de haver situações onde não é transmitido e outras onde é. No entanto, a questão não é essa. Mas mesmo que fosse, e isto fosse permitido, levando mais gente a faze-lo, quem pagava tanta investigação para saber como acontece, quem e onde? O que importa é o grau de risco que é elevadíssimo. Quem não entende isto é quem é o verdadeiro “tapado”.

  2. A liberdade exerce-se mas quando esse exercício é feito em sociedade, essa liberdade exige responsabilidade. Isso ou vão todos para uma ilha deserta. Aí podem exercer o que vos der na real gana.

  3. “a defesa da saúde pública não deve nem pode tornar-se um álibi para um atentado contra a vida e a liberdade do povo português”.

    Também se pode ler:

    “O nosso contributo – com a nossa falta de cuidado e falta de empatia – para a morte de milhares não deve nem pode tornar-se um álibi para um atentado contra a vida e a liberdade do povo português”.

    É o que essa gente afirma.

  4. Irresponsabilidade, Egoísmo, Desrespeito por os outros que cumprem, Risco para a Saúde Pública. Estes provocadores podem fazer as “palhaçadas” que entenderem, mas se acabarem numa cama de UCI, que os cuidados Médicos lhes sejam facturados e pagos do próprio bolso, foram identificados portanto a que criar uma lista de incumpridores, e divulga-la a todos os Serviços de Saúde. A Liberdade de fazer o que se quer, não se revendica durante uma situação de pandemia, que custa a vida a milhares de Pessoas. Estes énergumènes não respeitam os outros, portanto não merecem respeito nenhum !

RESPONDER

As abelhas-operárias reproduzem-se fazendo clones (quase perfeitos) de si mesmas

Uma equipa de investigadores da Universidade de Sydney descobriu que as abelhas-operárias, uma espécie encontrada na África do Sul, se reproduzem fazendo clones quase perfeitos de si mesmas. Algumas pesquisas anteriores indicavam que algumas abelhas-operárias se …

"Quero entender o que aconteceu comigo": Eriksen já reagiu ao colapso em campo

O internacional dinamarquês Christian Eriksen já reagiu à sua queda inanimada dentro do relvado, dizendo que está melhor e que quer entender o que aconteceu. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do Grupo …

Segunda tentativa. Ricardo Salgado começa hoje a ser julgado no âmbito da Operação Marquês

O ex-banqueiro Ricardo Salgado, de 76 anos, deverá começar a ser hoje julgado por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros, no âmbito do processo Operação …

Partilha de publicação sobre recandidatura de Rui Moreira foi “erro de funcionária”

Autarquia portuense diz que publicação sobre recandidatura de Rui Moreira no site da Feira do Livro foi um erro já assumido por uma funcionária. Este domingo, o PSD-Porto acusou o independente Rui Moreira de “utilização de …

Teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de hoje. Exceto em quatro concelhos

O teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de hoje, passando a ser recomendado na generalidade do território de Portugal continental, exceto nos quatro concelhos que apresentam taxas de incidência de covid-19 superiores aos limites …

Variantes do coronavírus podem escapar dos anticorpos espalhando-se através de supercélulas

Variantes do coronavírus, como a britânica e a sul-africana, podem escapar dos anticorpos espalhando-se através de supercélulas, revela um novo estudo. Os anticorpos que criamos depois de sermos infetados com um vírus ou vacinados contra ele …

Estudo apresenta nova visão sobre a forma como os continentes se formaram

Um estudo liderado por geólogos da Monash University apresenta uma nova visão sobre a forma como os primeiros continentes da Terra se formaram. Apesar da Terra se ter formado há mais de 4,5 mil milhões de …

Cientistas descobrem novo exoplaneta semelhante a Neptuno

Uma equipa internacional de colaboradores, incluindo cientistas do JPL da NASA e da Universidade do Novo México, descobriram um novo exoplaneta temperado, do tamanho de Neptuno, com um período orbital de 24 dias orbitando uma …

Feira do Livro do Porto partilha recandidatura de Moreira. "Foi erro de funcionária"

A câmara do Porto explicou que a partilha do ‘post’ sobre a recandidatura de Rui Moreira feita este domingo na página de Facebook da “Feira do Livro do Porto” se deveu a “erro de uma …

Emma, uma pequena rinoceronte, viajou para o Japão para encontrar o amor

Uma pequena rinoceronte branca de cinco anos viajou de Taiwan para o Japão. Tudo para encontrar o amor. Tal como muitos humanos, os planos de viagem de Emma acabaram por ter de ser adiados devido ao …