Da incerteza ao alívio. Pai da agressiva resposta da Nova Zelândia explica abordagem

Mário Cruz / Lusa

Michael Baker, o médico que idealizou a resposta agressiva à pandemia por parte da Nova Zelândia, explicou o que inspirou a sua estratégia bem-sucedida.

A Nova Zelândia tem sido amplamente elogiada pela sua resposta agressiva à pandemia de covid-19. No momento da redação deste artigo, o país conta apenas com 14 casos ativos. Michael Baker, o médico que formulou a estratégia de eliminação do novo coronavírus, confessa que, no início, muitos dos seus colegas duvidaram da abordagem radical, resistindo à sua implementação. Agora, estão rendidos.

A Nova Zelândia registou o primeiro caso de infeção a 28 de fevereiro e, à semelhança do resto dos países, planeou, numa primeira fase, aumentar gradualmente as medidas restritivas para controlar o surto. No entanto, Michael Baker, um especialista em saúde pública da Universidade de Otago que integrou o painel consultivo do Governo, insurgiu-se contra a abordagem.

Segundo o New Scientist, Baker inspirou-se num relatório da Organização Mundial da Saúde sobre a China, datado de fevereiro, para chegar à conclusão que a Nova Zelândia poderia impedir a propagação do vírus – e até eliminá-lo completamente – se implementasse um bloqueio rigoroso o mais rápido possível.

A ala que se mostrou contra a ideia de Baker argumentou que a abordagem ideal seria uma mais leve, como a da Suécia. Muitos acreditavam que a disseminação da covid-19 era inevitável e que uma estratégia de eliminação “nunca funcionaria”.

Mas o Governo decidiu optar pelo conselho de Baker, devido ao seu histórico em saúde pública. A 25 de março, com apenas 205 casos, o Governo neozelandês implementou um dos mais rígidos bloqueios do mundo: as pessoas só podia sair de casa por razões essenciais, como comprar comida ou ir ao médico.

Baker sentiu-se “muito emocionado” com a decisão do Governo, mas também ansioso por não saber se a estratégia iria funcionar. Tudo decorreu como Baker havia planeado: colocar o país inteiro em quarentena no início da transmissão comunitária deu às autoridades tempo para fortalecer as capacidades de testagem e rastreamento de contactos.

O país registou apenas 1520 casos covid-19 e 22 mortes até ao momento. A 8 de junho, a Nova Zelândia suspendeu todas as suas restrições, exceto as medidas de controlo de fronteira.

“Houve uma incrível sensação de alívio”, resumiu Michael Baker.

Para proteger a Nova Zelândia contra uma potencial segunda vaga, Baker acredita que é fundamental o uso de máscaras em transportes públicos e instalações de controlo de fronteiras.

Michael Baker, pai da abordagem neozelandesa, está orgulhoso do sucesso do país, mas está consciente de que é muito importante não se tornar complacente ou presunçoso. O especialista adverte que outros países que aparentemente superaram o vírus, como a China e a Coreia do Sul, sofreram surtos subsequentes.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …

Veto da Índia ao TikTok pode custar mais de 5 mil milhões de euros à ByteDance

O executivo indiano anunciou o bloqueio de 59 aplicações móveis chinesas, assegurando que as aplicações roubam dados dos utilizadores e partilham informações com o governo chinês. O grupo chinês de tecnologia ByteDance, que desenvolveu o TikTok, …

Covid-19. “Exemplo de Portugal mostra muito claramente como a situação é frágil”

A comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, considerou que a situação pandémica é ainda "frágil", dando o exemplo da evolução da covid-19 em Portugal para sustentar que é necessário continuarmos vigilantes. “Penso que o exemplo de …

Catarina Martins diz que há neste momento um acordo entre PS e PSD

A líder do BE, Catarina Martins, considerou hoje que "o Orçamento Suplementar não é uma primeira parte do Orçamento do Estado", mas avisou que o que está a acontecer neste momento no país "é um …

Quase 40% dos restaurantes tenciona avançar para insolvência

Quase 40% das empresas de restauração e bebidas e 18% do alojamento turístico tencionam avançar para insolvência. Os números são resultado de um inquérito mensal da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) esta …

Cientistas ingleses acreditam que um número significativo da população tem imunidade natural ao coronavírus

Cientistas ingleses que estão a desenvolver uma vacina para a covid-19 acreditam que um largo número de pessoas pode ter imunidade natural contra o novo coronavírus, mesmo que nunca tenha sido infetado. Ao Telegraph, citado esta …