Da incerteza ao alívio. Pai da agressiva resposta da Nova Zelândia explica abordagem

Mário Cruz / Lusa

Michael Baker, o médico que idealizou a resposta agressiva à pandemia por parte da Nova Zelândia, explicou o que inspirou a sua estratégia bem-sucedida.

A Nova Zelândia tem sido amplamente elogiada pela sua resposta agressiva à pandemia de covid-19. No momento da redação deste artigo, o país conta apenas com 14 casos ativos. Michael Baker, o médico que formulou a estratégia de eliminação do novo coronavírus, confessa que, no início, muitos dos seus colegas duvidaram da abordagem radical, resistindo à sua implementação. Agora, estão rendidos.

A Nova Zelândia registou o primeiro caso de infeção a 28 de fevereiro e, à semelhança do resto dos países, planeou, numa primeira fase, aumentar gradualmente as medidas restritivas para controlar o surto. No entanto, Michael Baker, um especialista em saúde pública da Universidade de Otago que integrou o painel consultivo do Governo, insurgiu-se contra a abordagem.

Segundo o New Scientist, Baker inspirou-se num relatório da Organização Mundial da Saúde sobre a China, datado de fevereiro, para chegar à conclusão que a Nova Zelândia poderia impedir a propagação do vírus – e até eliminá-lo completamente – se implementasse um bloqueio rigoroso o mais rápido possível.

A ala que se mostrou contra a ideia de Baker argumentou que a abordagem ideal seria uma mais leve, como a da Suécia. Muitos acreditavam que a disseminação da covid-19 era inevitável e que uma estratégia de eliminação “nunca funcionaria”.

Mas o Governo decidiu optar pelo conselho de Baker, devido ao seu histórico em saúde pública. A 25 de março, com apenas 205 casos, o Governo neozelandês implementou um dos mais rígidos bloqueios do mundo: as pessoas só podia sair de casa por razões essenciais, como comprar comida ou ir ao médico.

Baker sentiu-se “muito emocionado” com a decisão do Governo, mas também ansioso por não saber se a estratégia iria funcionar. Tudo decorreu como Baker havia planeado: colocar o país inteiro em quarentena no início da transmissão comunitária deu às autoridades tempo para fortalecer as capacidades de testagem e rastreamento de contactos.

O país registou apenas 1520 casos covid-19 e 22 mortes até ao momento. A 8 de junho, a Nova Zelândia suspendeu todas as suas restrições, exceto as medidas de controlo de fronteira.

“Houve uma incrível sensação de alívio”, resumiu Michael Baker.

Para proteger a Nova Zelândia contra uma potencial segunda vaga, Baker acredita que é fundamental o uso de máscaras em transportes públicos e instalações de controlo de fronteiras.

Michael Baker, pai da abordagem neozelandesa, está orgulhoso do sucesso do país, mas está consciente de que é muito importante não se tornar complacente ou presunçoso. O especialista adverte que outros países que aparentemente superaram o vírus, como a China e a Coreia do Sul, sofreram surtos subsequentes.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Avaria em rede europeia causou "apagão" parcial em Portugal e falhas no 112

O incêndio que queimou, este sábado, 500 hectares de vegetação no sudoeste de França esteve na origem dos cortes de energia em Espanha e Portugal, segundo a agência francesa Rede de Transmissão de Energia Elétrica …

Um tumor e duas fraturas nas vértebras dificultaram a vida deste dinossauro (mas não o mataram)

Quando foi descoberto na década de 1980, na Argentina, este hadrossauro foi diagnosticado com uma fratura no pé. Porém, uma nova análise agora mostra que este tinha um tumor, bem como duas fraturas nas vértebras …

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, capitão de Abril

O capitão de Abril morreu, este domingo, aos 84 anos, no Hospital Militar, confirmou o presidente da Associação 25 de Abril. A notícia foi confirmada ao jornal online Observador pelo presidente da Associação 25 de Abril, …

Pela primeira vez, cientistas viram chimpanzés a matar gorilas

Investigadores testemunharam, pela primeira vez, chimpanzés e gorilas a lutar entre si, confrontos esses que provocaram a morte de alguns deles. De acordo com o site Science Alert, as duas disputas foram observadas no Parque Nacional …

Vírus com 15 mil anos descobertos no gelo do Planalto do Tibete

Cientistas que estudam glaciares encontraram vírus com quase 15 mil anos em duas amostras de gelo retiradas do Planalto do Tibete, na China. Muitos deles, que sobreviveram porque se mantiveram congelados, são diferentes de todos …

Leite sem lactose em laboratório (e com a ajuda de membranas de óxido de grafeno)

As membranas de óxido de grafeno (uma forma oxidada do material) têm sido muito estudadas para a dessalinização da água e separação de corantes, mas as suas propriedades podem não ficar por aqui. Uma equipa de …

Cientistas criam material de "auto-reparação" mais resistente do mundo (e é perfeito para ecrãs de telemóveis)

Investigadores do Instituto Indiano de Educação e Investigação Científica (IISER, na sigla em inglês) podem ter encontrado o material perfeito para fazer os ecrãs de smartphones: transparente, resistente e que a capacidade de se "auto-curar" …

"A bitcoin vai criar a paz mundial"

A rainha das moedas digitais, se não construir a paz no planeta, vai ajudar na pacificação entre os seres humanos. É a opinião de Jack Dorsey. É o centro de atenções de muitos investidores, é o …

"Burrolandia". Parque temático de burros no México está a tentar salvar estes animais

Um parque temático de burros no México serve de santuário a estes animais que estão aos poucos a desaparecer no país. "O burro ajudou o homem por muito tempo. É hora de retribuirmos o favor", …

Uma mão robótica que joga Super Mario Bros na Nintendo? Sim, existe

Uma equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, imprimiu em 3D peças para criar uma mão robótica capaz de jogar Super Mario Bros na Nintendo.  A mão robótica é totalmente montada com circuitos …