/

“Mais um entrave” ou “é uma excelente ideia”. Testes para ter acesso a restaurantes dividem opiniões

Patrícia de Melo Moreira / AFP

A medida ainda não está fechada, mas já está a dividir opiniões na área da restauração. Uns consideram-na benéfica, outras dizem que poderá ser “um entrave”.

A Associação Nacional de Restaurantes manifestou esta quarta-feira o receio de que a eventual obrigatoriedade de testes negativos à covid-19 para acesso aos restaurantes, exigida pelas autoridades, venha a constituir “mais um entrave”, e afaste muitos clientes deste serviço.

A posição da Associação Nacional de Restaurantes – Associação para Defesa, Promoção e Inovação dos Restaurantes de Portugal (PRO.VAR), emitida em comunicado, surge na sequência de uma notícia do Observador, segundo a qual o Governo está a estudar a possibilidade de introduzir testes à covid-19 para o acesso aos restaurantes.

A medida, segundo o jornal online, seria aplicada ao fim de semana, e nos restaurantes dos concelhos de risco muito elevado, para permitir aos que têm de fechar às 15h30 possam continuar abertos até mais tarde, desde que os clientes apresentem um teste negativo à covid-19.

Para a PRO.VAR, “a medida deve ser muito bem ponderada, pois já existem demasiadas regras e restrições e esta pode destruir a réstia de esperança para muitos empresários, que já dão como perdida parte do verão”.

“Teme-se que a medida possa ser mais um entrave e afastar muitos portugueses dos restaurantes, contudo, se o Governo vier a optar por esta solução, a medida deverá ser progressiva e acompanhada por uma mudança da matriz de risco”, argumenta ainda a associação.

A entidade representante do setor da restauração defende que “o Governo deve desde já estabelecer regras para uma segunda fase e logo que esteja garantida a vacinação e emissão do certificado digital, à maioria dos portugueses, possam ser permitidas a criação de zonas “Covid Free”, nos estabelecimentos de restauração, onde sejam totalmente eliminadas as restrições, como o afastamento, máscara e horários”.

A PRO.VAR entende que “é chegado o momento do Governo assumir que os critérios que definem a matriz de risco e consequentemente as regras de confinamento, devem ser alterados, de modo a garantir que a testagem obrigatória seja apenas exigida nas regiões onde existe maior pressão de internamentos, permitindo assim que o setor salve parte do verão e os portugueses possam estar em locais seguros e controlados para as suas festas”, sustenta ainda, no comunicado.

Por outro lado, vários restaurantes ouvidos pelo ECO veem esta possível medida com bons olhos.

No caso do restaurante “O Louro & Salsa” – que se situa no concelho de Albufeira, ou seja, um dos que tem que fechar as 15h30 aos fins de semana – o proprietário alerta que, para além desta restrição, que não é benéfica para o setor, ainda há o problema da falta de turistas, que não está a permitir ao trabalhar a todo gás.

Já em Lisboa, a restauração também tem que fechar portas aos fins de semana pouco depois da hora de almoço. O proprietário do Restaurante Belmiro referiu ao ECO que a possibilidade avançada na imprensa é uma “excelente ideia” e só o facto de estarem abertos durante o dia todo de sábado “seria fantástico”, defende Belmiro Jesus.

No Porto, que agora também corre o risco de ficar na mesma situação,  o proprietário e chefe da Churrasqueira Portuguesa da Maia Steakhouse também concorda “a 100%” com esta possibilidade. “É preciso fazer alguma coisa para continuarmos a trabalhar. É melhor isso do que ter que fechar às 15h30 ao fim de semana”, destaca António Sequeira.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A medida ainda não está fechada, nem é oficial. Segundo o Observador, para já, certo é que não se irá aplicar aos almoços durante a semana.

De qualquer das formas, todos os proprietários ouvidos pelo ECO dizem que os testes à covid-19 devem ser comparticipados pelo Governo.

  ZAP // Lusa

 

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.