Na fase inicial da pandemia, o setor privado “não quis e não entrou no combate à pandemia”

EMCDDA / Wikimedia

Ana Jorge, ex-ministra da Saúde

A antiga ministra da Saúde Ana Jorge considera que os privados podem ser envolvidos na luta contra a pandemia, recebendo doentes não covid-19, mas avisa que é preciso um “equilibro” nessa ação, depois de estes não terem entrado no “combate” numa primeira fase.

Ministra da Saúde em dois governos socialistas, Ana Jorge foi hoje recebida em Belém pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que tem estado a ouvir personalidades ligadas à área da saúde.

Questionada pelos jornalistas após a audiência, a antiga governante considerou que “o envolvimento do setor social e privado faz sentido ser pensado” e disse julgar que está a ser pensado, mas frisou que na fase inicial da pandemia o setor privado “não quis, e não entrou no combate à pandemia”.

“Também não sei se do ponto de vista técnico faria sentido ou se não foi melhor o serviço público ter assumido o seu controlo”, disse, acrescentando que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) deu uma boa resposta por estar bem organizado.

Ana Jorge disse que esse envolvimento dos privados deve ser feito por exemplo com as administrações regionais de saúde e principalmente para a área de doentes não covid-19. Mas terá de ser, avisou, contratualizado, e não ser visto como uma “questão de oportunidade” para desvios, quer financeiros quer de profissionais (a passarem do setor público par ao privado). “Este equilíbrio tem de ser encontrado”, disse.

Ana Jorge defendeu o uso crescente de máscaras, que permitem proteger da covid-19, mas também de outros vírus, falou da importância da vigilância dos lares, e disse que é preciso medidas de contenção para não pressionar mais o sistema de saúde, mas ao mesmo tempo pensar nos doentes que não são covid-19 e que não podem ter medo de ir às instituições de saúde, e que estas têm de ter capacidade de atendimento.

É importante “abrir os Centros de Saúde, não basta fazer atendimento telefónico”, e é preciso que os profissionais de saúde tenham cuidado, mas não medo, afirmou.

Ana Jorge considerou que a situação de covid-19 não está descontrolada, embora haja que fazer reforço de alguns atendimentos, nomeadamente a capacidade da saúde pública.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.343 pessoas dos 121.133 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Ao tempo que o sector privado devia ter sido chamado, nem que fosse só para as outras doenças também elas graves já aliviava o SNS e os profissionais de saúde sempre podiam descansar em vez de andarem sobre carregados em horas de serviço, é impossível uma pessoa quase sem descanso dar o rendimento que uma que esteja mais folgado seja em que área for.

  2. E o problema é que, muitas vezes, os profissionais de saúde prestam serviço no público e no privado, onde a prestação passa por “dar o litro” o que piora bastante a situação. Mas os médicos deviam entregar-se mais ao serviço público já que foi o estado que pagou a sua formação e os privados não investiram nela um único cêntimo!!!!

RESPONDER

Espanha, França e Bélgica com descida de casos. Itália limita Natal e Madrid cancela festas de Ano Novo

Madrid, assim como Paris e Bruxelas, têm boas notícias - mas não o suficiente para suavizar medidas. Já em Itália há restrições adicionais e a cidade de Londres também considera também passar ao nível três, …

UE dá exemplo de Portugal para defender salário mínimo europeu

O comissário europeu do Emprego, Nicolas Schmit, diz esperar um acordo ou pelo menos "bastante progresso" sobre a proposta comunitária para garantir salários mínimos adequados em todos os Estados-membros da União Europeia (UE) e dá …

Na primeira fase, será possível administrar 400 mil doses de vacinas “numa semana a dez dias”. Segunda ronda pode ser crítica

Os especialistas já fazem previsões. Se por um lado a primeira fase da vacinação contra a covid-19 se adivinha rápida, a segunda será poderá ser muito complicada. Os representantes dos profissionais dos centros de saúde - …

Bruxelas conclui que Zona Franca da Madeira violou regras e quer devolução das "ajudas indevidas"

A Comissão Europeia (CE) conclui que o regime da Zona Franca da Madeira (ZFM) desrespeitou as regras de ajudas estatais, pois abrangeu empresas que não contribuíram para o desenvolvimento da região, pelo que Portugal deve …

Chuva de críticas ao plano nacional de vacinação: "É vasto em imprecisões e impreparações"

Francisco Rodrigues dos Santos considerou que "faltou planeamento" no plano de vacinação português e observou que "basta comparar" com aqueles anunciados "na Alemanha, no Reino Unido ou em Espanha para perceber que há diferenças abismais". O …

O corpo ideal? O mistério das enigmáticas figuras pré-históricas de Vénus pode ter sido resolvido

Um dos primeiros exemplos mundiais de arte, as enigmáticas estatuetas de "Vénus" esculpidas há cerca de 30 mil anos, intrigaram os cientistas durante quase dois séculos. Agora, o mistério das estranhas figuras pode ter sido …

Nova geringonça à vista? Rui Rio mostra-se disposto a governar mesmo sem vencer eleições

São muitos os sinais que tem dado. Rui Rio está disponível para liderar uma futura maioria de direita se esta vier a surgir no quadro de futuras eleições legislativas - mesmo que o PSD seja …

Cientistas encontram nova criatura gelatinosa no fundo do mar (mas podem nunca mais voltar a vê-la)

Uma equipa de investigadores da Administração Nacional de Pesca Oceânica e Atmosférica (NOAA) revelou que descobriu Duobrachium sparksae, uma nova espécie de ctenóforo - ou águas-vivas-de-pente. A descoberta foi feita remotamente usando imagens de vídeo de …

Costa anuncia hoje medidas que vão vigorar nos períodos de Natal e de passagem de ano

O primeiro-ministro anuncia hoje as medidas de combate à covid-19 enquadradas pelo decreto presidencial de estado de emergência, que indicativamente vigorará até 7 de janeiro, incluindo os períodos de Natal e de passagem de ano. Na …

Especialistas explicam de que forma o novo coronavírus pode afetar o cérebro

Através do uso de amostras de tecido de pacientes que já morreram, uma equipa de investigadores conseguiu desvendar os mecanismos pelos quais o coronavírus é capaz de chegar ao cérebro de pacientes com covid-19 e …