“É uma decisão que desejávamos não ter que tomar.” Parlamento aprova estado de emergência

Miguel A. Lopes / Lusa

Não foi de “ânimo leve” que se votou, esta quarta-feira, o decreto presidencial que declara estado de emergência. O decreto foi aprovado com votos favoráveis de todas as bancadas, à exceção da abstenção do PCP, Verdes, Iniciativa Liberal e Joacine Katar Moreira.

“É uma decisão que todos desejávamos não ter que tomar”, começou por afirmar Ana Catarina Mendes, líder parlamentar do PS, na sua intervenção na Assembleia da República.

“Sabemos que está em causa um valor importante, o da proteção da vida de todos os que estão hoje ameaçados pela pandemia que atingiu o país, a Europa e o mundo, mas sabemos também que por maior que seja a ameaça a enfrentar temos sempre que equilibrar segurança e liberdade. Não nos faz falta um excesso securitário”, disse.

O PS defendeu assim que “os poderes ampliados do Estado” devido ao estado de emergência “devem ser usados com ponderação e proporcionalidade”, e pediu “firmeza e equilíbrio”. “Confiamos que o Governo usará plenamente dessa ponderação e proporcionalidade.”

Rui Rio, presidente do PSD, já se tinha mostrado favorável à declaração do estado de emergência na sequência da pandemia de Covid-19 e ofereceu colaboração ao Governo que, neste combate, “não é de um partido adversário”.

O líder social-democrata anunciou que a sua bancada “apoia o decreto e votará a favor”, indicando que “é preciso que o país saiba que o PSD apoia o Governo neste combate”. “Tudo que pudermos, ajudaremos. Desejo-lhe coragem, nervos de aço e muita sorte, porque a sua sorte é a nossa sorte.”

O PCP tinha já avisado que iria abster-se na proposta de declaração de estado de emergência, por considerar que este só deveria ser adotado em caso de incumprimento das medidas decididas.

João Oliveira defendeu que a Constituição prevê situações de alerta, contingência e calamidade, “devendo o Governo avaliar em cada circunstância a aplicação de cada um desses regimes específicos” Ao mesmo tempo, o líder parlamentar comunista elogiou a dedicação dos profissionais de saúde e o cumprimento “generalizado e voluntário” pelas populações das medidas já adotadas.

“A declaração do estado de emergência não deve ser decidida em função de considerações abstratas e teóricas, exige a verificação fundamentada da existência de um quadro excecional”, frisou.

Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, admitiu o estado de emergência, avisando que este instrumento “excecional e transitório” não pode “servir para suspender a democracia nem direitos essenciais”. “Pela parte do Bloco de Esquerda, admitimos este instrumento, considerado necessário pelo Presidente da República e a que o governo é favorável, conscientes das dificuldades que enfrentamos.”

Não podemos tolerar quem se aproveita da crise. Para agir, precisa de instrumentos. Para isso – e só para isso – deve servir o Estado de Emergência”, disse a coordenadora do BE, Catarina Martins, no debate que decorreu no Parlamento.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Harry Potter. HBO Max trabalha em possível série de televisão

A saga Harry Potter pode estar a caminho da televisão. Segundo o The Hollywood Reporter (THR), o projeto ainda está em fase inicial, mas os diretores executivos da HBO Max já estão em reuniões com …

Intrigante sistema de seis exoplanetas com movimentos rítmicos desafia teorias de formação planetária

Com o auxílio de vários telescópios, incluindo o VLT (Very Large Telescope) do Observatório Europeu do Sul (ESO), os astrónomos descobriram um sistema com seis exoplanetas, cinco dos quais estão presos numa dança rítmica rara …

Boavista 0-2 Sporting | Leões garantem dérbi confortável

O Sporting cumpriu a sua “obrigação” e foi vencer por 2-0 a casa do Boavista, numa 15ª jornada fundamental, uma vez que na próxima segunda-feira a formação de Alvalade recebe o Benfica, no grande dérbi …

Violino põe em risco compromisso da Alemanha de devolver objetos saqueados pelos nazis

Um violino com 300 anos está no centro de uma disputa que ameaça minar o compromisso da Alemanha em devolver objetos saqueados pelos nazis. Ninguém sabe por que Felix Hildesheimer, um negociante de instrumentos musicais judeu, …

Consumo de álcool aumentou durante a pandemia de covid-19

Embora o consumo de álcool tenha aumentado mais entre os jovens, os adultos mais velhos, sobretudo os que sofrem de ansiedade e depressão, também revelaram estar dentro desta tendência. “O aumento do consumo de álcool, especialmente …

Alphabet diz adeus ao Loon, projeto que queria espalhar Internet através de balões

O projeto da Alphabet que tinha como objetivo levar Internet às partes mais remotas do mundo "perdeu o fôlego" e os seus responsáveis decidiram pôr-lhe um ponto final. Num comunicado divulgado na última sexta-feira, Alastair Westgarth, …

Estudo identifica cidades europeias com maior mortalidade devido à poluição do ar

Madrid, Antuérpia e Torino (em Espanha, Bélgica e Itália, respetivamente) lideram o ranking de mortes associadas à poluição por dióxido de azoto (NO2). Já a maior mortalidade atribuível a partículas finas é encontrada em cidades …

Fim do Flash Player colapsou sistema de estação ferroviária chinesa

O sistema ferroviário na cidade de Dalian, no nordeste da China, ficou paralisado por causa da desativação do programa Flash Player da Adobe. A Adobe encerrou o suporte técnico do seu player de multimédia Flash Player …

Eis o que o mundo pode aprender com o confinamento da China

O confinamento na China tem apresentado resultados excecionais no controlo da pandemia, à custa da perda de liberdade das pessoas. Ainda assim, há muito que se pode aprender com o exemplo chinês. Colocar o autoritarismo contra …

Descoberto fármaco "100 vezes mais potente" contra a covid-19 (e "nasceu" das seringas-do-mar)

Uma equipa internacional de investigadores descobriu um medicamento antiviral que é "100 vezes mais potente" do que o remdesivir no tratamento da covid-19. Trata-se de um fármaco usado para tratar um cancro sanguíneo, que só foi …