Pandemia pode causar “fome de proporções bíblicas”

United Nations Photo / Flickr

A pandemia de coronavírus poderá levar o mundo a enfrentar fome generalizada “de proporções bíblicas” dentro de alguns meses caso não sejam tomadas ações imediatas, alertou o diretor da agência de ajuda alimentar da Organização das Nações Unidas (ONU).

Como apontou a NPR, aproximadamente 135 milhões de pessoas em todo o mundo viviam à beira da fome em 2019, de acordo com o Programa Alimentar Mundial. Um relatório realizado pela ONU e por outras organizações, divulgado na quinta-feira, mostra que pelo menos 265 milhões de pessoas estarão nessa situação em 2020, devido à pandemia.

Citado pelo Guardian, o diretor executivo do Programa Alimentar Mundial, David Beasley, disse que 30 países em desenvolvimento podem atingir uma situação de fome generalizada e, em 10 desses – Iémen, Congo, Afeganistão, Venezuela, Etiópia, Sudão do Sul, Síria, Sudão, Nigéria e Haiti -, já existem mais de um milhão de pessoas à beira da fome.

“Não estamos a falar de pessoas que vão dormir com fome”, disse o responsável ao Guardian. “Estamos a falar de condições extremas, estado de emergência – pessoas a caminhar literalmente para a beira da fome. Se não conseguirmos comida para essas pessoas, elas vão morrer”, sublinhou.

Esta “é mais do que apenas uma pandemia – está a criar uma pandemia de fome. É uma catástrofe humanitária e alimentar”, frisou Beasley, que levou a sua mensagem ao conselho de segurança da ONU na terça-feira, alertando os líderes mundiais para uma ação rápida e pedindo que adiantassem cerca de dois mil milhões de dólares (cerca de 1,8 mil milhões de euros) em ajuda prometida.

“Há um risco real de que possam morrer mais pessoas devido ao impacto económico da Covid-19 do que pelo próprio vírus”, notou o responsável, citado pelo Washington Post.

O Guardian informou que são necessários 350 milhões de dólares (aproximadamente 323 milhões de euros) para reforçar a rede que levará alimentos e material médico – incluindo equipamentos de proteção individual – para os locais onde essa ajuda é necessária.

Mesmo antes da crise de Covid-19, Beasley apelava para um aumento do financiamento de ajuda alimentar aos países mais necessitados, cujos sistemas alimentares estavam em rutura devido aos conflitos e aos desastres naturais.

O diretor executivo do Programa Alimentar Mundial, David Beasley

“Já dizia que 2020 seria o pior ano desde a Segunda Guerra Mundial, com base no que previmos no fim do ano passado”, indicou o diretor executivo. A pandemia, que ninguém poderia prever, “levou-nos a um território desconhecido”, salientou. “Agora, esta é uma tempestade perfeita. Estamos a prever uma fome generalizada de proporções bíblicas”.

Avançando que é impossível prever como estará a situação daqui a quatro semanas, Beasley defendeu que “se conseguirmos dinheiro e mantivermos as cadeias de suprimentos abertas, poderemos evitar a fome. Podemos parar com isso se agirmos agora”.

O diretor executivo do Programa Alimentar Mundial pediu aos países que não implementem proibições de exportação ou outras restrições que possam influenciar o fornecimento de alimentos além-fronteiras. Defendeu ainda que o dinheiro, por si só, não será suficiente. “Precisamos de dinheiro e acesso – não um ou outro, ambos”, declarou.

O responsável apontou para uma queda acentuada nas remessas para o exterior que prejudicará países como o Haiti, o Nepal e a Somália; uma perda de receita no turismo que terá impacto negativo na Etiópia, por exemplo; e o colapso dos preços do petróleo, que prejudicará países de baixa receita, como o Sudão do Sul, onde o petróleo representa 99% do total das exportações.

O relatório da ONU apresentado na quinta-feira revelava que os refugiados estão “particularmente vulneráveis” aos impactos económicos e à doença. “A Covid-19 é potencialmente catastrófica para milhões que já só estão presos por um fio”, disse o economista-chefe da agência, Arif Husain, num comunicado divulgado com o relatório.

“É um golpe para milhões [de pessoas] mais, que só podem comer se tiverem um salário”, acrescentou Husain. “Só era preciso mais um choque – como a Covid-19 – para empurrá-los para além do limite. Precisamos agir coletivamente agora para mitigar o impacto desta catástrofe global”, frisou.

“Estamos juntos nisto. Podemos impedir que isso se torne uma fome generalizada. Mas precisamos agir com rapidez e inteligência”, apontou ainda Beasley, diretor executivo do Programa Alimentar Mundial, que, em 2019, ajudou 100 milhões de pessoas, com um orçamento de cerca de 7,5 mil milhões de dólares (à volta de 6,9 mil milhões de euros).

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha sem mortes pelo segundo dia consecutivo. Há 41 mil profissionais de saúde infetados

Espanha registou esta terça-feira o segundo dia consecutivo sem mortes associadas à covid-19, mantendo-se o total 27.127 de óbitos desde o início da pandemia, anunciaram as autoridades de saúde. O ministério da Saúde de Espanha informou …

Petição pela "anulação imediata" do Avante já conta com mais de 16 mil assinaturas

Uma petição online para a "anulação imediata" da Festa do Avante!, a festa anual organizada pelo PCP, conta já com mais de 16 mil assinaturas. Às 10:30 desta quarta-feira, a petição, disponível no portal Petição Pública, …

Venda de Wendel ao Everton sofre revés. Nápoles e Nice entram em jogo

A licença de trabalho pode deitar por terra uma eventual transferência de Wendel para o Everton. O Nápoles é o favorito na corrida à sua contratação, mas o Nice também está atento. As negociações entre o …

Celebrações do 10 de junho só terão oito pessoas. “É como achei que devia ser o 25 de abril e o 1º de maio”

A “cerimónia simbólica” comemorativa do Dia de Portugal que se realizará no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, terá apenas oito presenças, incluindo o chefe de Estado e o presidente desta edição do 10 de Junho, …

O futebol português está de volta. Uma corrida de dois cavalos e a montra para Amorim

A bola volta hoje a rolar em Portugal após a interrupção devido à pandemia de covid-19. Regresso o futebol que tão bem conhecemos, mas de uma forma como nunca vimos antes. Estádios desertos e jogos quase …

Cientistas identificam fóssil do inseto mais antigo do mundo

Um fóssil de um milípede descoberto em 1899 é o inseto mais antigo do mundo, concluiu um novo estudo. O espécime em causa tem 425 milhões de anos. Uma equipa de investigadores da Universidade do Texas …

Jorge Jesus renova com o Flamengo por mais uma época

O treinador português anunciou, esta quarta-feira, que vai ficar mais uma época nos brasileiros do Flamengo, até junho de 2021. "Digam à nação que fico!". É esta a frase que acompanha a fotografia publicada, esta quarta-feira, …

Governo deixa cair lay-off simplificado. Novo apoio vai variar em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em lay-off que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou esta terça-feira a ministra do …

Grupo de precários da Casa da Música dispensado de serviço via e-mail "meia hora depois" de uma vigília de protesto

Cerca de 13 trabalhadores "precários" da Casa da Música, no Porto, foram dispensados dos concertos que tinham alocados para o mês de junho. Em declarações à Lusa, Hugo Veludo, um dos 13 assistentes de sala …

Sete detidos em operação na Quinta da Fonte ficam em prisão preventiva

Os sete homens que foram detidos numa operação policial no bairro da Quinta da Fonte, em Loures, na segunda-feira, ficaram em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, revelou à agência Lusa a Polícia …