/

Há enfermeiros sem treino a trabalhar nos cuidados intensivos

3

Jean-Christophe Bott / EPA

A presidente do Sindicato de Todos os Enfermeiros Unidos (SITEU), Gorete Pimentel, denuncia que há enfermeiros sem treino a trabalhar em unidades de cuidados intensivos.

“São necessários três a quatro meses para que um enfermeiro seja integrado numa unidade de cuidados intensivos. Estes tempos não estão a ser respeitados, e já há enfermeiros sem treino em unidades de cuidados intensivos”, revela a presidente do SITEU, citada pelo jornal Público.

Além disso, “há instituições que, apesar do grau de exigência de uma Unidade de Cuidados Intensivos, têm quatro enfermeiros para nove doentes em cuidados intensivos, não cumprindo com as dotações mínimas seguras, de dois doentes para um enfermeiro em situação normal sem necessidade de uso específico de Equipamento de Proteção Individual”.

Numa altura em que, mais do que nunca, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) precisa de um reforço de enfermeiros para responder à pandemia de covid-19, Pimentel alega que os concursos para a contratação de novos enfermeiros estão desertos porque o Governo está a oferecer contratos de quatro meses a 6,42 euros à hora.

“Os enfermeiros estão a trabalhar horas intermináveis sem folgas, sem condições de proteção mínimas, expostos ao contágio. E a situação ainda vai piorar mais com a subida esperada de casos nas próximas semanas”, alerta a dirigente sindical, citada pelo matutino.

Para piorar a situação, Gorete Pimentel diz que o número de enfermeiros infetados com o novo coronavírus tem subido a cada dia que passa. “Quem quererá ir para o olho do furacão nestas condições, sem treino e sem equipamento de proteção? Numa altura em que não sabemos quando atingiremos o pico, quanto mais regressar à normalidade?”, questiona-se.

Em resposta ao jornal Público, o Ministério da Saúde realça que o Governo autorizou a contratação de profissionais de saúde necessários à resposta à pandemia.

“Tais contratos, a termo resolutivo certo, por um período de quatro meses, podem ser eventualmente renovados, se necessário e segundo a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), 7,42 euros é o valor base/hora do enfermeiro em início de carreira, a que acresce eventuais suplementos que sejam devidos”, explicou a tutela.

  ZAP //

3 Comments

  1. Enquanto alguns enfermeiros fazem política (como este ou a vigarista da Ordem), outros tem mesmo que ser enfermeiros e trabalhar a dobrar…

    • Esta protagonista Gorete Pimentel, é do Sindicato de Enfermeiros(as) e não da Ordem, mas tem toda a razão Sr. Eu!…. Estes profissionais de Enfermagem tem todo o meu respeito, mesmo se não é a área habitual em que actuam habitualmente !……. Estamos a travar uma guerra desigual, mas esta oportunista ainda não percebeu que todos(as) são poucos !

      • Sim, eu percebi e por isso fiz referência a essa e à outra da Ordem – que nunca teve tempo para ser enfermeira…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.