Chega prefere “estado de emergência mais aliviado” a situação de calamidade

O deputado único e líder do Chega, André Ventura, defendeu hoje “um estado de emergência mais aliviado e claro” para as próximas semanas, ao invés da declaração da situação de calamidade, apontando que é “uma mera mudança discursiva”.

“Um estado de emergência mais aliviado e claro é a solução que o Chega propõe”, refere Ventura numa nota enviada à agência Lusa, advogando que “mais vale manter o quadro jurídico de emergência com um alívio de restrições claro, um conjunto de novos sinais de permissão de atividades económicas e um calendário gradual”.

O líder demissionário do Chega aponta que “o Governo prefere o estado de calamidade ao estado de emergência como uma mera mudança discursiva, sem se perceber muito bem que restrições se alteram”.

“O próprio primeiro-ministro garante que o confinamento vai continuar, independentemente de tudo o resto”, acrescentou.

Salientando que a declaração da situação de calamidade poderá “provocar um grande imbróglio jurídico”, o deputado salienta que “pode parecer que o Governo quer concentrar todos os poderes e evitar a ação quer do Presidente da República, quer da Assembleia da República, pois é sabido que para decretar o estado de calamidade basta a decisão do Governo e do primeiro-ministro”.

André Ventura questiona ainda: “com vários constitucionalistas a apontar para os problemas sérios que podem ser colocados perante o estado de calamidade, como Jorge Bacelar Gouveia e Vital Moreira, que vantagem teremos com esta mudança?”.

Ao contrário do estado de emergência, que é proposto pelo Presidente da República e vai a votos no parlamento, depois de um parecer do Governo, a declaração de calamidade é da responsabilidade exclusiva do Executivo, através de uma resolução do Conselho de Ministros.

Na sexta-feira, o Governo admitiu estar a equacionar decretar a situação de calamidade pública por causa da pandemia de covid-19 a partir de 03 de maio, quando cessar a vigência do atual período de estado de emergência em Portugal.

“Esses cenários ainda a ser estudados e não há decisões tomadas. Até ao Conselho de Ministros da próxima quinta-feira consideraremos várias hipóteses. Mas a situação de calamidade pública é uma delas”, disse à Lusa fonte do Governo.

De acordo com a Lei de Bases de Proteção Civil, a resolução do Conselho de Ministros que decreta a situação de calamidade pode estabelecer “limites ou condicionamentos à circulação ou permanência de pessoas, outros seres vivos ou veículos”, assim como “cercas sanitárias e de segurança”.

Tanto o primeiro-ministro como o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disseram esperar que o atual período de estado de emergência, o terceiro decretado neste contexto de pandemia de covid-19, seja o último.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A tecnologia ressuscitou o "plágio" de escritores medievais

Os trabalhos de autores medievais foram "ressuscitados" com a tecnologia do século XXI numa inesperada colaboração na Universidade de St Andrews, na Escócia. Um arquivo das obras de autores ingleses medievais, que revelava uma visão internacional …

Num cenário apocalíptico, a espécie humana poderia sobreviver "com populações na casa das centenas"

Cientistas de todo o mundo debruçam-se sobre a preparação das populações (e de abrigos) para sobreviver a um possível apocalipse. Para o antropólogo Cameron Smith, não seria necessário um número muito elevado de pessoas, desde …

Príncipe Harry diz que viver com a família real é "uma mistura entre o Truman Show e estar num zoo"

Depois de uma entrevista a Oprah Winfrey, o duque de Sussex faz novas revelações numa nova entrevista e descreve como era a sua vida antes de ir viver, primeiro para o Canadá e, depois, para …

Pentear o cabelo pode tornar-se uma tarefa mais fácil com a ajuda de um robô

Uma equipa de cientistas desenvolveu recentemente um braço robótico com uma escova de cabelo macia, equipada com uma câmara que ajuda o braço a "ver" e a avaliar a ondulação, para oferecer ao utilizador uma …

Benfica 4-3 Sporting | Águia vence dérbi espectacular

Mas que grande dérbi! Benfica e o novo campeão Sporting presentearam os adeptos com um jogo espectacular, um dos melhores dos últimos anos em Portugal, com futebol de ataque e golos, muitos golos. Foram nada menos …

Portugal é o 2.º país com mais divórcios e menos casamentos na UE

A taxa de casamentos na União Europeia caiu drasticamente nos últimos 55 anos, ao mesmo tempo que a taxa de divórcios subiu. Portugal é o segundo país onde esta tendência mais prevalece. De acordo com dados …

"É parte da nossa identidade". Pequena cidade na Suécia luta para preservar uma antiga língua moribunda

A organização Ulum Dalska, sediada numa pequena cidade sueca chamada Älvdalen, tem uma missão. Durante décadas, os seus membros têm trabalhado arduamente para ajudar a salvar a língua elfedaliana, um remanescente do nórdico antigo. "Tivemos a …

Papa diz que abuso infantil é uma espécie de “assassinato psicológico”

O Papa Francisco criticou hoje o abuso infantil dizendo que é “uma espécie de ‘assassinato psicológico’ e, em muitos casos, um cancelamento da infância” e pediu para “parar de encobrir” o fenómeno da pedofilia. Francisco falava …

Jerónimo considera “precipitado” discutir Orçamento de 2022 e “deitar borda fora” o atual

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou hoje “no mínimo precipitado” antecipar a posição do partido sobre o próximo Orçamento do Estado e “deitar borda fora” a concretização do atual. À margem de uma visita …

Plano da CIA para capturar Bin Laden originou um problema de saúde pública no Paquistão

Um novo estudo indica que um plano secreto da CIA para capturar Osama Bin Laden, no início de 2011, teve como consequência uma queda significativa das taxas de vacinação no Paquistão. O plano, que usava uma …