/

EUA iniciam fase 3 dos testes de vacina contra covid-19. Trinta mil adultos participam

Massimo Percossi / EPA

A farmacêutica AstraZeneca está a “recrutar 30 mil adultos com 18 anos ou mais, de diversos grupos raciais, étnicos e geográficos, que sejam saudáveis ou que tenham condições médicas estáveis, incluindo aqueles que vivem com VIH, e em risco elevado de contrair infeção pelo vírus SARS-CoV-2”.

Segundo noticiou esta terça-feira o Diário de Notícias, citando a CNN, a farmacêutica avançou que os participantes nesta fase do testes deverão receber duas doses: uns da vacina AZD1222 e outros de placebo, com quatro semanas de diferença.

Esta vacina resulta de uma versão enfraquecida da vacina que infeta chimpanzés e uma proteína do vírus que causa a covid-19. O Reino Unido, o Brasil e a África do Sul já estão a realizar a fase 3 dos ensaios clínicos, enquanto o Japão e a Rússia também esperam para também realizar os testes.

Desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, a AZD1222 é apoiada pelo governo norte-americano. A União Europeia (UE) encomendou 300 milhões de doses – 6,9 milhões da quais para Portugal.

Existem atualmente 130 vacinas contra a covid-19 a serem investigados no mundo.

Ensaio francês com resultados inconclusivos

O laboratório francês Sanofi anunciou esta terça-feira que o ensaio clínico internacional de fase 3, que testou a eficácia do seu medicamento no tratamento de formas graves de covid-19, não obteve resultados conclusivos. O estágio de teste massivo “não atingiu o seu desfecho primário ou secundário, em comparação com o placebo”, disse o grupo.

Por enquanto, a Sanofi e o laboratório americano Regeneron, que co-desenvolveu este medicamento lançado em 2017 para tratar a artrite reumatoide, “não pretendem realizar outros estudos clínicos sobre o Kevzara no tratamento da covid-19”, referiu o comunicado do Sanofi, citado pela agência Lusa.

Este estudo, que avalia a eficácia do Kevzara no tratamento de formas graves de covid-19, incluiu 420 pacientes e foi realizado na Argentina, Brasil, Canadá, Chile, França, Alemanha, Israel, na Itália, Japão, Rússia e Espanha.

Embora “não tenha dado os resultados que esperávamos, estamos orgulhosos do trabalho realizado pela equipa que se encarregou de aprofundar os nossos conhecimentos sobre o uso potencial de Kevzara no tratamento da covid-19 “, sublinhou John Reed, chefe de pesquisa e desenvolvimento da Sanofi, citado no comunicado à imprensa.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 847.071 mortos e infetou mais de 25,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.