/

Trump diz que diretrizes mais rigorosas para aprovação de vacina são “jogada política”

2

Yuri Gripas /ABACA / POOL

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse, esta quarta-feira, que a Casa Branca “pode ou não” aprovar novas directrizes da Food and Drug Administration.

As novas diretrizes para aprovação de vacina contra a covid-19 exigem a participação de peritos externos antes de a Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês) aprovar uma vacina. Em causa está, assim, a inclusão de mais um processo de verificação para a autorização de emergência de qualquer potencial vacina.

De acordo com jornal norte-americano The New York Times, Trump considera que essa hipótese “soa a jogada política” e contraria os especialistas do Governo, que, horas antes, em declarações ao comité de Saúde do Senado, realçaram a importância de ter um processo rigoroso que garanta a segurança de uma futura vacina.

Quatro dos principais responsáveis de saúde do Governo norte-americano reforçaram a sua confiança na FDA perante um painel do Senado, destacando que a ciência e os dados – e não a política – orientam as decisões.

No mesmo comité, o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci, afirmou que uma “grande parte” da população dos Estados Unidos não será vacinada contra a covid-19 este ano.

De acordo com a emissora norte-americana CNN, se uma vacina for aprovada até ao final do ano, Fauci considera que, em novembro ou dezembro, “não vai ser uma grande proporção da população” a ser vacinada.

Fauci acrescentou que, a partir de janeiro e fevereiro e até abril, os Estados Unidos vão possivelmente adquirir cerca de 700 milhões de doses.

A prioridade será dada aos profissionais de saúde e aos norte-americanos que pertencem a grupos de risco.

Trump ataca McCain

De acordo com o Diário de Notícias, Trump recorreu ao Twitter para atacar John McCain, após a viúva ter dado o seu apoio a Joe Biden nas eleições. “Somos republicanos, sim, mas sobretudo americanos. Há apenas um candidato nesta corrida que defende os nossos valores como nação, ou seja, Joe Biden“. “Joe e eu nem sempre concordamos nos temas, e sei que ele e John certamente tiveram algumas discussões apaixonadas, mas ele é um homem bom e honesto. Ele vai liderar-nos com dignidade”, escreveu Cindy McCain.

O Presidente atacou o republicano, senador pelo Arizona falecido em 2018, e uma das poucas vozes a fazer-lhe frente no Partido Republicano.

“Mal conheço Cindy McCain além de a ter colocado num comité a pedido do seu marido”, escreveu. Trump criticou ainda as “más decisões sobre guerras sem fim” e a sua lei sobre cuidados de saúde para os veteranos de guerra. “Nunca fui fã do John”, continuou.

Trump criticou o adversário democrata, dizendo que “Joe Biden era o cachorrinho de John McCain” e concluiu: “Cindy pode ficar com o Joe Sonolento!”, concluiu o presidente.

Trump elogia agressão policial a jornalistas

O DN adianta que, num comício em Pittsburgh, Pensilvânia, Trump ridicularizou os jornalistas que cobriram os protestos contra a violência policial e o racismo na sequência do assassínio de George Floyd.

“Por vezes eles agarram. Apanham um tipo. ‘Eu sou um jornalista. Eu sou um jornalista’. Desaparece daqui. Atiraram-no para o lado como se fosse um pequeno pacote de pipocas. Sinceramente, quando se vê a porcaria que todos nós tivemos de levar tanto tempo… Não queremos fazê-lo. Mas quando se vê, é realmente uma bela visão“, disse.

Segundo o DN, os jornalistas australianos da 7News Amelia Brace e Tim Meyers foram vítimas de violência policial nas imediações da Casa Branca, quando os protestos pacíficos que decorriam no dia 2 de junho foram interrompidos por uma carga policial.

Trump também fez troça do pivô da MSNBC Ali Velshi, que foi atingido por uma bala de borracha no final de maio enquanto cobria os protestos sobre a morte de George Floyd às mãos da polícia de Minneapolis.

“Lembram-se daquela bela visão? A rua estava uma confusão. Aquele repórter idiota da CNN foi atingido por uma lata de gás lacrimogéneo. E foi ao chão. ‘Fui atingido. Fui atingido’. Ele foi atingido”, disse Trump.

  ZAP //

2 Comments

  1. É isso e o desinfetante que cura a covid… as “verdades” de Trump são assim. Só lhe falta perguntar o que é que a ciência fez para mais razão do que ele. Isto deixou de ser ridículo. É só mesmo triste.

  2. Esta criatura, afogada em dollars, desde sempre tomou os Eleitores, por imbecis sem precisar tão pouco de o fazer de forma subtil. O Continente Americano, em grande parte, tem a infelicidade de estar nas mãos de Artistas deste género !…..

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.