Só 39,5% dos portugueses estão mesmo confinados. Marcelo pede para que levem confinamento a sério

Mário Cruz / Lusa

A análise da consultora PSE indica que os portugueses cumpriram “de forma muito ligeira” a orientação para “ficar em casa”. Marcelo rebelo de Sousa pede para que levem o confinamento a sério e não o encarem como leve ou facultativo, de modo a evitar sobrecarregar ainda mais os serviços de saúde.

De acordo com o Expresso, que cita uma análise da consultora PSE, houve uma redução da mobilidade na sexta-feira, o primeiro dia de confinamento, mas nada que se compare com o primeiro lockdown de março do ano passado.

A percentagem da população que estava em casa na passada segunda-feira, 11 de janeiro, era de 30,5%. Nesta sexta-feira, dia 15, só 39,5% dos portugueses estiveram confinados em casa.

O confinamento em casa de março de 2020 foi muito superior (61%) ao nível atingido desta vez, pelo menos neste primeiro dia.

O Expresso destaca ainda que houve uma redução no Índice de Mobilidade dos portugueses nesta última sexta-feira, que correspondeu a menos 18% em comparação a um dia normal antes da pandemia.

No estudo, é possível também concluir que os dias 24, 28 e 31 de dezembro tiveram um nível de mobilidade muito próximo do verificado esta sexta-feira, no primeiro dia de confinamento.

Este sábado, no final de uma reunião com a estrutura diretiva da Santa Casa da Misericórdia do Barreiro, no distrito de Setúbal, Marcelo Rebelo de Sousa fez um apelo à população para que levem este confinamento a sério.

“Não é de mais apelar a todos para que não vejam este estado de emergência e este confinamento como um confinamento suave, um confinamento leve, um confinamento facultativo, um confinamento que não é para levar a sério“, afirmou o chefe de Estado.

O candidato presidencial apoiado por PSD e CDS realçou que se o dever de recolhimento domiciliário que vigora desde sexta-feira não for respeitado “a primeira consequência imediata é o aumento da pressão sobre as estruturas de saúde, que ninguém deseja e que é mesmo muito indesejável”. “A segunda consequência é alongar o confinamento.”

Marcelo reforçou o apelo para que os portugueses façam “um esforço para levarem a sério este confinamento, como se leva a sério noutras sociedades europeias, porque ele existe porque é necessário”, insistindo que é preciso evitar “situações de stresse, de ambulâncias à espera” nos serviços de saúde e “achatar a curva” de evolução da covid-19.

Questionado se considera que é o Governo que está a passar mal a mensagem ou se são as pessoas que estão a desvalorizar a situação, respondeu: “Provavelmente, como em tudo na vida, são as duas coisas. Quer dizer, nós, responsáveis políticos, devemos ainda insistir mais e passar melhor a mensagem, e as pessoas devem levar a sério”.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Se não fossem atrasados mentais, e impusesem medidas sérias não estavas agora a papaguear.. Qualquer puto com 5 anos faz o que voces teem feito!

    • Estavas? Quem? (Acho que é “estarias”.)
      Vocês? Quem?
      Qual “puto com cinco anos”?

      Não tenho cinco anos. Fiz vinte e nove há dois meses.

  2. Eu estou confinado Sr. Presidente, os valores, o respeito pelas regras fazem parte dos meus princípios, apelo aos portugueses que façam o mesmo se possível, já agora srs. políticos e Sr. Presidente CONFINEM TAMBÉM e SEJAM EXEMPLO!

RESPONDER

Bispo do século XVII foi enterrado com um feto. Cientistas já sabem porquê

Cientistas já sabem porque é que foi encontrado o cadáver de um feto junto dos restos mortais de um antigo bispo de Lund, na Suécia. Peder Pedersen Winstrup foi um bispo de Lund, cidade na atual …

Detenção da autarca de Vila Real de Santo António surpreende PSD. Deputado do PS envolvido no negócio

Esta terça-feira, a presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, foi detida por suspeitas do crime de corrupção num negócio de imobiliário em Monte Gordo.  Fonte da direção do PSD disse, …

Atraso com vacina da Johnson não altera metas do plano de vacinação

O anúncio desta terça-feira do atraso da distribuição da vacina da Johnson & Johnson na Europa não vai afetar o plano de vacinação em Portugal, garantiu a task force. Mais um contratempo para o processo de …

Descoberta de bactérias comedoras de metano numa árvore comum pode ser boa notícia

A descoberta de bactérias que "comem" metano numa árvore australiana comum pode ser uma boa notícia no desafio de reduzir a emissão de gases com efeito de estufa. As árvores são os pulmões da Terra, uma …

Rio diz ser "desejável" que PSD Madeira e Açores excluam Chega de coligações

Em Portugal Continental, o PSD não aceita coligações com o Chega para as próximas autárquicas, sublinhou Rui Rio, que deseja que o mesmo princípio seja seguido nas Regiões Autónoma. Esta terça-feira, Rui Rio reiterou que …

Marcelo começa a despedir-se da emergência e passa a bola ao Governo

Depois do 15.º estado de emergência e com a situação mais controlada, o Presidente da República entende que o ideal é o Governo começar a procurar alternativas legais. Marcelo Rebelo de Sousa espera que o 15.º …

EDP abdicou de decisão do Fisco antes de vender barragens

A EDP abdicou de uma prerrogativa prevista na lei que permitia à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) abrir um procedimento de inspeção prévio antes de concluir a venda das seis barragens ao consórcio francês da …

O chapim-real tem uma cultura (e os "imigrantes" mudam-na para melhor)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Konstanz e do Instituto Max Planck, na Alemanha, descobriu que os chapins-reais são capazes de mudar a sua cultura para se tornarem mais eficientes. Nos animais, "cultura" é qualquer comportamento …

Cabrita promete "as mais profundas transformações" na PSP, GNR e SEF

O ministro da Administração Interna disse esta terça-feira que as reformas que o Governo está a fazer na PSP, GNR e SEF são "as mais profundas transformações" realizadas nas forças de segurança "desde há …

Medina diz que o comportamento de Sócrates "corrói o funcionamento da vida democrática"

Os dirigentes socialistas têm estado num silêncio sobre o caso José Sócrates. Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, reagiu, afirmando que a acusação do juiz de instrução Ivo Rosa é de "enorme gravidade …