Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Mohamed Hossam / EPA

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira.

As descobertas sobre os efeitos de um grupo de anti-histamínicos existentes no mercado foram alcançadas ao analisar amostras em laboratório e numa análise detalhada de quase 250 mil registos médicos de pacientes da Califórnia, explica uma nota da Universidade de Saúde da Florida.

Os resultados preliminares revelam que o uso da hidroxizina, da difenidramina e da azelastina está associado a “uma probabilidade reduzida de dar positivo no teste ao SARS-CoV-2, o vírus responsável pela covid-19″, frisou o imunologista e professor daquela instituição, David Ostrov.

“Depois, descobrimos que estes medicamentos específicos mostravam atividade antiviral direta contra o SARS-CoV-2 em laboratório”, acrescentou.

Os dados do estudo, que tem como investigadora principal Leah Reznikov, professora da Universidade da Florida, podem apoiar o lançamento de um ensaio clínico aleatório e controlado para determinar se o uso de anti-histamínicos específicos “pode tratar ou mesmo prevenir a covid-19 em humanos“, diz o comunicado.

“O facto de estes medicamentos inibirem realmente o vírus em laboratório não significa necessariamente que o inibam ativamente em pessoas, mas podem fazê-lo”, disse Ostrov, sublinhando que não foi estabelecida uma “relação de causa e efeito formal”, o que explica a necessidade de investigações adicionais.

O trabalho dos investigadores centrou-se na enzima conversora de angiotensina (ACE2), uma proteína e “porta de entrada” que o vírus usa para invadir as células humanas, e na análise de quase um quarto de milhão de pacientes da Califórnia.

Descobriram que as pessoas com 61 ou mais anos que tinham tomado certos anti-histamínicos tinham menores probabilidades de ter resultado positivo no teste ao novo coronavírus do que aquelas que não tomavam os medicamentos.

Mais tarde, descobriram que a hidroxizina, a difenidramina e a azelastina “revelaram efeitos antivirais diretos e estatisticamente significativos” sobre o SARS-Cov-2.

Segundo Reznikov, os dados sugerem que estes três anti-histamínicos podem interromper as interações do vírus com a ACE2 ou unir-se a outra proteína que interfira com a replicação viral.

Os investigadores sublinharam, no entanto, a importância das pessoas não se automedicarem com estes anti-histamínicos como medida de prevenção ou tratamento da covid-19 e que qualquer tipo de utilização diferente da indicada na bula deve ser consultada junto do médico.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Mais próximos do normal". Espanha levanta obrigação de máscaras no exterior na próxima semana

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou hoje que as máscaras vão deixar de ser obrigatórias nos espaços exteriores em Espanha a partir de sábado, dia 26 de junho. "Este será o último fim de semana com …

"É o Governo que tem poder de decidir", diz Marcelo sobre Lisboa

O Presidente da República, que se encontra nos Estados Unidos, escusou-se a comentar as medidas sanitárias decretadas pelo Governo em relação à Área Metropolitana de Lisboa. O Chefe de Estado voltou a frisar à RTP que …

Em Portugal, cinco pessoas morreram após terem vacinação completa. Números não são "preocupantes"

Segundo a Direção-Geral de Saúde, 1.231 pessoas ficaram infetadas com covid-19 já depois de ter concluído o processo de vacinação há 14 dias, 26 delas estão internadas. A Direção-Geral da Saúde (DGS) reportou a existência de …

Aulas acabam hoje para 240 mil alunos. Ano correu "melhor que o anterior, com menos aprendizagens perdidas"

O ano letivo termina hoje para os 9.º, 10.º e 11.º anos.Para cerca de 240 mil alunos hoje é dia de despedidas, depois de mais um ano afetado pela covid-19 que levou a que parte …

Benfica pode perder Grimaldo e Nuno Tavares, mas tem trunfo do Brasileirão na manga

Confrontado com a possibilidade de perder os seus dois laterais-esquerdos, Álex Grimaldo e Nuno Tavares, o Benfica estuda a contratação de Guilherme Arana. O Benfica pode perder dois laterais-esquerdos neste mercado de transferências. A situação de …

Se Portugal tiver 11 Sérgios Conceição "pode estar muito perto de ganhar" à Alemanha

A última vitória de Portugal frente à Alemanha foi no Euro 2000, na Holanda, com uma goleada de 3-0 graças a um hat-trick de Sérgio Conceição. Na antecipação do novo embate entre as duas equipas …

Rui Moreira recandidata-se ao último mandato com a promessa de um "futuro ainda melhor" para o Porto

O atual presidente da Câmara do Porto afirmou, esta quinta-feira, querer concluir os projetos que a pandemia da covid-19 "atrasou" e ter condições para "projetar um futuro ainda melhor" para a cidade. "Quero concluir os projetos …

Nomeações para o Estado são uma "prática abusiva" e estão "viciadas"

Sete em cada dez dirigentes da Administração Pública nomeados pelo Governo, após passarem o crivo da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap), já ocupavam o cargo em regime de substituição. Neste regime, …

Genk e Antuérpia querem "roubar" Vertonghen a custo zero

Genk e Antuérpia estão a tentar que o Benfica rescinda contrato com Jan Vertonghen para que possam avançar para a contratação a custo zero do internacional belga. Aos 34 anos de idade, Jan Vertonghen não caminha …

Em 2013, Costa decidiu que a CML só enviaria dados à PSP e MAI. Ordem não foi respeitada

António Costa, então presidente da Câmara de Lisboa, decidiu em 2013 que não competia à autarquia estabelecer medidas de segurança, pelo que a partir dali a única coisa que os serviços iriam fazer era reencaminhar …