Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Mohamed Hossam / EPA

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira.

As descobertas sobre os efeitos de um grupo de anti-histamínicos existentes no mercado foram alcançadas ao analisar amostras em laboratório e numa análise detalhada de quase 250 mil registos médicos de pacientes da Califórnia, explica uma nota da Universidade de Saúde da Florida.

Os resultados preliminares revelam que o uso da hidroxizina, da difenidramina e da azelastina está associado a “uma probabilidade reduzida de dar positivo no teste ao SARS-CoV-2, o vírus responsável pela covid-19″, frisou o imunologista e professor daquela instituição, David Ostrov.

“Depois, descobrimos que estes medicamentos específicos mostravam atividade antiviral direta contra o SARS-CoV-2 em laboratório”, acrescentou.

Os dados do estudo, que tem como investigadora principal Leah Reznikov, professora da Universidade da Florida, podem apoiar o lançamento de um ensaio clínico aleatório e controlado para determinar se o uso de anti-histamínicos específicos “pode tratar ou mesmo prevenir a covid-19 em humanos“, diz o comunicado.

“O facto de estes medicamentos inibirem realmente o vírus em laboratório não significa necessariamente que o inibam ativamente em pessoas, mas podem fazê-lo”, disse Ostrov, sublinhando que não foi estabelecida uma “relação de causa e efeito formal”, o que explica a necessidade de investigações adicionais.

O trabalho dos investigadores centrou-se na enzima conversora de angiotensina (ACE2), uma proteína e “porta de entrada” que o vírus usa para invadir as células humanas, e na análise de quase um quarto de milhão de pacientes da Califórnia.

Descobriram que as pessoas com 61 ou mais anos que tinham tomado certos anti-histamínicos tinham menores probabilidades de ter resultado positivo no teste ao novo coronavírus do que aquelas que não tomavam os medicamentos.

Mais tarde, descobriram que a hidroxizina, a difenidramina e a azelastina “revelaram efeitos antivirais diretos e estatisticamente significativos” sobre o SARS-Cov-2.

Segundo Reznikov, os dados sugerem que estes três anti-histamínicos podem interromper as interações do vírus com a ACE2 ou unir-se a outra proteína que interfira com a replicação viral.

Os investigadores sublinharam, no entanto, a importância das pessoas não se automedicarem com estes anti-histamínicos como medida de prevenção ou tratamento da covid-19 e que qualquer tipo de utilização diferente da indicada na bula deve ser consultada junto do médico.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …

China anuncia fim de novas centrais a carvão no estrangeiro

Segundo os especialistas, o impacto da medida deverá depender da forma como será implementada, podendo ter um grande impacto na luta contra as alterações climáticas. Num anúncio bem recebido por ativistas e organizações ambientes, a China …

Roménia vai distribuir €200 mil a quem tiver vacinação completa contra a covid-19

A Roménia anunciou uma "lotaria de vacinação" que distribuirá prémios de até 200.000 euros entre aqueles que tiverem a vacinação completa, na tentativa de elevar a taxa de imunização, a segunda mais baixa da União …