Ministra diz que comarcas têm condições para julgamentos presenciais

José Coelho / Lusa

A ministra da Justiça afirmou, esta quarta-feira, que, em geral, as comarcas têm condições para assegurar a retoma dos julgamentos presenciais nos tribunais ou em equipamentos externos, previsto para a próxima semana.

“Genericamente, penso que as comarcas têm condições para, através de uma boa gestão do agendamento dos atos a praticar presencialmente, conseguirem realizar todos os julgamentos e diligências que envolvam muita gente, com recurso a meios próprios nos tribunais e também a equipamentos sociais que haja na comunidade e que tenham a dignidade adequada”, disse Francisca Van Dunem.

Segundo a ministra, nos casos em que não seja possível acolher nas salas de audiências o número máximo determinado pelas normas da Direção-Geral da Saúde, que reduziu a capacidade das salas a um terço de ocupação, os responsáveis das comarcas podem, em alternativa, recorrer à utilização a espaços externos.

“Sempre foi assim, antes da covid-19 uma comarca onde não havia espaço amplo para se realizar uma diligencia, os órgãos de gestão estabeleciam o contacto com a autarquia ou com instituições locais que tivessem condições para acolher o julgamento”, referiu.

Sempre que não seja possível a realização de atos presenciais, as diligências serão feitas por videoconferência ou videochamada a realizar num tribunal, determina a lei.

No caso de diligências em que intervenham partes, testemunhas ou mandatários maiores de 70 anos ou portadores de doença de risco, a videoconferência ou videochamada será feita através do seu domicílio legal ou profissional.

Outra norma que consta do texto final determina que “os processos executivos (cobrança de dívidas e penhoras) ou de insolvência deixarão, por regra, de ficar suspensos, com exceção das diligências de entrega judicial da casa de família, que serão retomadas após a cessação da situação epidemiológica.

Governo não planeia reduzir férias para apenas um mês

Segundo o presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), foram apresentadas na reunião com a ministra as preocupações dos magistrados referentes à exigida limpeza dos espaços, à ausência de barreiras de proteção nas salas de audiência e à falta janelas ou ar condicionado nas salas em muitos dos 300 tribunais do país.

Em relação à limpeza dos espaços, Manuel Soares disse à Lusa que habitualmente os compromissos com empresas preveem a limpeza de manhã ou de tarde dos locais, mas “o Governo disse que ia estender esses contratos” ou arranjar bolsas de horas ou piquetes para “aumentar a disponibilidade de limpar os diferentes espaços dos tribunais”.

Outra das situações que preocupa a ASJP prende-se com a falta de proteções em acrílico nas salas de audiência que permitiriam que fosse cumprido o distanciamento social exigido.

Manuel Soares defende a colocação de barreiras de acrílico, dado que “permitiria aumentar o número de pessoas por sala”, em vez da opção do cumprimento do distanciamento social tendo as pessoas que usar máscaras e viseiras.

As medidas definidas para os tribunais preveem o distanciamento “não inferior a dois metros” para todos os cidadãos, magistrados e funcionários e as salas de espera e de audiências devem comportar apenas um terço da sua capacidade normal.

Não estando esta questão prevista nas medidas definidas para os tribunais, o presidente da associação disse que os membros do Governo “não a colocaram totalmente de parte” e que vão fazer um levantamento dos espaços em que isso pode ser possível fazer e que seja mais adequado.

Entretanto, a ASJP contratou uma empresa de segurança no trabalho para verificar se os tribunais têm condições para cumprir os requisitos exigidos nesta fase pandémica de Covid-19, antes de recomeçarem as diligências presenciais nos tribunais.

Quanto à possibilidade de haver uma alteração nas férias judiciais desde ano, devido as contingências da pandemia que provocou a atrasos nos processos judiciais, a ministra reiterou que “não há qualquer proposta do Governo nesse sentido”, segundo Manuel Soares.

“A recuperação (da atividade) vai ser tribunal a tribunal, sala a sala, de acordo com as Comarcas. A retoma não vai ser igual em todo o país“, previu ainda António Ventinhas, em declarações à agência Lusa, depois da reunião com o secretário de Estado Mário Belo Morgado.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ministério da Saúde indiano sem dados sobre médicos que morreram de covid-19. Associação fala em 382 óbitos

Depois de o Ministério da Saúde indiano ter afirmado esta semana que o não dispõe dos dados sobre os profissionais de saúde que morreram devido à covid-19, a Associação Médica do país publicou uma lista …

Chega apresenta proposta que prevê castração química para pedófilos

O projeto de revisão constitucional do Chega, entregue hoje no parlamento, prevê a remoção dos órgãos genitais a criminosos condenados por violação de menores, algo que em si mesmo encerra dúvidas de conformidade com a …

Fluminense: as derrotas pós-Evanilson e as quatro ausências de Fred

O reforço do FC Porto deixou a equipa brasileira que, desde essa transferência, contabiliza mais derrotas do que vitórias. A instabilidade de Fred não ajuda. Portugal continua mais atento ao Flamengo do que ao Fluminense, mesmo …

MP suíço pede 28 meses de prisão para presidente do PSG e 3 anos para Valcke

O Ministério Público suíço pediu, esta terça-feira, uma pena de 28 meses de prisão para Nasser Al-Khelaïfi, presidente do Paris Saint-Germain, e de três anos para Jérôme Valcke, antigo número dois da FIFA. Trata-se dos primeiros …

Empresa japonesa cria lâmpada UV inócua para humanos que inativa coronavírus

Uma empresa japonesa desenvolveu uma lâmpada de radiação ultravioleta que inativa o novo coronavírus, recorrendo a um comprimento de onda que um estudo científico diz ser inócuo para os seres humanos. A lâmpada Care 222 foi …

Trump pede à ONU atribuição de sanções à China por ter "ocultado factos relevantes"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, exortou hoje as Nações Unidas a “pedirem responsabilidades à China” pela sua atuação na fase inicial da expansão da pandemia de covid-19. Na sua intervenção durante o debate geral da …

Há um "clima de medo e insatisfação" nas Forças Armadas, diz Associação de Sargentos

O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), Lima Coelho, disse à Rádio Renascença que se vive um "clima de medo e insatisfação nas Forças Armadas", que inclui ameaças, avaliações injustas, demora excessiva das reclamações …

Teletrabalho e questões ambientais são prioridade para o PS no início da sessão legislativa

A líder parlamentar do PS afirma que duas das principais prioridades da sua bancada no início da presente sessão legislativa vão passar pela regulamentação do teletrabalho e pela aprovação de uma lei de bases do …

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie

A justiça alemã abriu um novo inquérito contra o principal suspeito do desaparecimento de Maddie McCann, relativo à violação de uma jovem irlandesa, em 2004, anunciou, esta terça-feira, o procurador de Brunswick. "Posso confirmar que investigamos …

Mais de metade dos portugueses acredita que os fundos europeus vão ser mal geridos

Mais de metade dos portugueses (60,6%) acredita que os fundos europeus que Portugal vai receber para fazer face à pandemia vão ser mal geridos, revela uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e …