Estado de emergência acaba a 2 de maio. “Não é o fim do surto”, avisa Marcelo

Manuel de Almeida / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou esta terça-feira que não renovará o estado de emergência, que terminará assim a 2 de maio.

Em declarações aos jornalistas depois de reunir com especialistas em epidemias, o chefe de Estado confirmou que, para já, o estado de emergência não será renovado por causa da pandemia de covid-19, mas deixou um aviso: “Não há facilitismos”.

O fim do estado de emergência não é o fim do surto“, frisou.

Marcelo Rebelo de Sousa disse ainda esperar não ter que voltar a decretar estado de emergência no país, mas, se necessário for, votará a ponderar a situação. “Espera-se não se necessário recorrer ao estado de emergência, se for necessário será ponderado”

De acordo com o Presidente da República, esta decisão foi tomada juntamente com o primeiro-ministro, António Costa, e continuará a ser avaliada por especialistas, que há cerca de um mês aconselham e ajudam a guiar as decisões do Governo.

“Aquilo que ouvimos foi no fundo chamar a atenção para esta terceira fase e como é importante ir acompanhado a par e passo o que é feito, avaliando e quando necessário intervindo”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Segundo o chefe de Estado, que falava aos jornalistas no Infarmed, em Lisboa, Portugal vai entrar agora numa “terceira fase” do combate à propagação da covid-19, que “continua a ser de controlo da situação”, mas com “uma retoma ou uma abertura – qualquer dos termos se pode aplicar – por pequenos passos”.

A reunião desta terça-feira no Infarmed antecede o Conselho de Ministros de quinta-feira, onde o Governo irá decidir quais os setores da economia que vão retomar a atividade no dia 4 de maio e nas quinzenas seguintes.

Calamidade pública em cima da mesa

Na passada sexta-feira, o Governo admitiu estar a equacionar declarar a situação de calamidade pública por causa da pandemia de covid-19 a partir de 3 de maio, quando cessar a vigência do terceiro período de estado de emergência em Portugal.

Esta informação sobre o período seguinte ao previsível fim do estado de emergência foi transmitida à agência Lusa por fonte oficial do Executivo, depois de o jornal online Observador ter avançado com esta notícia.

Ao falar ontem sobre essa hipótese, António Costa insistiu que “o fim do estado de emergência não significa o regresso à normalidade” em Portugal, nem “o fim da emergência que constitui a covid-19″.

Portugal regista esta terça-feira 948 mortos associados à covid-19, mais 20 do que na segunda-feira, e 24.322 infetados (mais 295), indica o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Comparando com os dados de segunda-feira, em que se registavam 928 mortos, constatou-se um aumento de óbitos de 2,2%. Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (24.322), os dados da DGS revelam que há mais 295 casos do que na segunda-feira, representando uma subida de 1,2%.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Pois não sr. Presidente! O surto só acaba com a remoção completa dos virús e parasitas, incluindo os de génese político-adiministrativa.

RESPONDER

Concelho de Portalegre registou o seu primeiro caso (e revela "segredo" para combater pandemia)

Um comportamento recatado e os habitantes sempre alerta com "o bicho" são apontados como os "segredos" que têm "protegido" Fronteira (Portalegre) da covid-19, que só esta semana registou o primeiro infetado desde o início da …

Rio de Janeiro vai ter "réveillon" com espetáculos e fogo de artifício (mas sem público)

O Rio de Janeiro encerrará 2020 com espetáculos e concertos ao vivo em seis palcos montados na cidade brasileira, mas aos quais o público não terá acesso devido à pandemia. Apenas poderá vê-los nas redes …

GP de Portugal. Há 14 casos de covid-19 em equipas de Fórmula 1

Em conferência de imprensa, a Proteção Civil do Algarve revelou que foram identificados 14 casos de covid-19 entre pilotos e staff de equipas da Fórmula 1 que estiveram em Portimão. Foram identificados 14 casos de covid-19 …

Islâmicos "têm o direito" de matar franceses. Twitter retira comentário de ex-primeiro-ministro da Malásia

A rede social Twitter retirou um comentário controverso do antigo primeiro-ministro malaio ​​​​​​​Mahathir Mohamad, relativo ao debate desencadeado pelas palavras do Presidente francês, Emmanuel Macron, sobre o islão. Numa série de mensagens, em que Mahathir Mohamad …

Governo pondera decretar recolher obrigatório e restrições em mais municípios

O Governo está a avaliar avançar com o recolhimento obrigatório e alargar as restrições impostas em Paços de Ferreira, Felgueiras e Lousada a mais municípios, recusando, no entanto, um novo confinamento geral, disse hoje o …

Gigante americana Walmart retira (temporariamente) armas e munições das prateleiras

A gigante de distribuição norte-americana Walmart decidiu retirar temporariamente armas e munições das prateleiras das suas lojas, anunciou na quinta-feira um porta-voz da cadeia. A medida preventiva foi tomada a cinco dias de uma eleição presidencial …

BE afasta para já estado de emergência e defende requisição civil na saúde

A coordenadora do BE afastou para já a necessidade de um novo estado de emergência e defendeu que o Governo utilize toda a capacidade instalada na saúde, se necessário recorrendo à requisição civil dos setores …

Sismo de magnitude 7 abala Turquia e Grécia e provoca mini-tsunami. Pelo menos 4 pessoas morreram

Quatro pessoas morreram no oeste da Turquia, depois de um forte terramoto de magnitude 7 atingir o Mar Egeu na tarde desta sexta-feira. O abalo derrubou edifícios em áreas costeiras e fez pelo menos 120 …

EDP desiste de processo contra o Estado, mas vai levar tarifa social a Bruxelas

A EDP desistiu da litigância judicial com o Estado sobre a contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE), mas vai pedir à Comissão Europeia uma análise sobre o mecanismo de financiamento da tarifa social a …

"Fora com os pretos". Universidades e escolas de Lisboa vandalizadas com mensagens racistas

Várias universidades e escolas secundárias da região de Lisboa foram vandalizadas com mensagens de teor racista e xenófobo. "Viva a Europa Branca" ou "Fora com os pretos" são algumas das frases escritas. Várias pessoas denunciaram esta …