Asymptomatique, télétravailler e coronapiste. Bíblia da língua francesa adaptou-se à pandemia

A pandemia de covid-19 mudou as nossas vidas e até os dicionários se viram obrigados a adaptar-se a este período excêntrico. Asymptomatique, télétravailler e coronapiste são algumas das palavras que farão parte da edição de 2022 do dicionário Le Petit Larousse.

Uma das bíblias da língua francesa, Le Petit Larousse, deverá incluir, já no próximo ano, um número recorde de novas palavras. Muitas delas são fruto da pandemia de covid-19.

A edição de 2022 do famoso dicionário ilustrado contém 170 entradas adicionais para refletir o que os editores descrevem como “um ano sem precedentes de desafios”, tanto na saúde como na linguagem.

“Nunca vi uma mudança linguística tão grande“, começou por dizer Bernard Cerquiglini, professor de linguística e assessor científico do Le Petit Larousse, ao France Info.

“Faz-me lembrar o que aconteceu durante a revolução francesa, uma convulsão, o surgimento de novas palavras e significados e, acima de tudo, uma apropriação coletiva da língua”, acrescentou.

Os substantivos Sars-CoV-2 e covid-19 estão entre as novas entradas e assumem a forma feminina “la”.

Asymptomatique (“assintomático”); quatorzaine (“período de quarentena de 14 dias”); réa (“reanimação” ou “tratamento intensivo”); e télétravailler (“teletrabalho”) também vão entrar no dicionário francês.

Menos óbvia é a palavra coronapiste (palavra francesa para “ciclovia corona”), uma ciclovia introduzida durante a crise de covid-19.

Outras palavras que serão incluídas no dicionário, publicado pela primeira vez em 1905, refletem eventos que chegaram às manchetes dos jornais franceses no ano passado, como o assassinato de George Floyd.

A nova edição do Le Petit Larousse incluirá a palavra racisé, adjetivo para designar “alguém que é objeto de perceções e/ou comportamentos racistas”.

O comité Larousse é formado por 40 pessoas: 20 funcionários e 20 assessores externos de diversas áreas, incluindo ciências, artes, gastronomia e tecnologia.

Normalmente, são necessários cerca de três anos de uso generalizado para uma palavra ser escolhida, em comparação com os 10 anos exigidos pelo dicionário da Académie Française. Além disso, o comité limita-se, geralmente, à entrada de cerca de 150 novas palavras.

A pandemia de covid-19 obrigou o dicionário francês a mergulhar na crise sanitária. Mas não foi o único.

O confinamento de quase quatro meses na Alemanha também não colocou restrições ao seu idioma de palavras multissilábicas. Os alemães inventaram mais de 1.200 palavras para descrever as regras e realidades da vida em tempo de pandemia.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Primeira-ministra da Finlândia sob polémica. Pequenos-almoços em família custavam 850 euros por mês

A primeira-ministra finlandesa indicou esta terça-feira ter renunciado "definitivamente" ao reembolso das despesas feitas com os pequenos-almoços tomados na residência oficial, na esperança de pôr fim a uma polémica que envenenou a sua campanha para …

Manuel Ugarte dividido entre Benfica e Sporting

Depois das notícias que mencionam o interesse de Benfica e Sporting em Rony Lopes, os dois clubes disputam agora a contratação de Manuel Ugarte, do Famalicão. Uma das revelações desta temporada da Liga NOS, Manuel Ugarte …

Biden assinala massacre de Tulsa em visita histórica

Joe Biden tornou-se o primeiro Presidente dos Estados Unidos a participar nas cerimónias de homenagem às vítimas do massacre de Tulsa, no estado de Oklahoma. O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deslocou-se terça-feira a Tulsa …

Menina de oito anos morre após sentir-se mal em escola na Covilhã

Uma menina de oito anos, aluna da escola de S. Silvestre, na Covilhã, morreu na terça-feira, depois de se ter sentido mal, disse à agência Lusa, o presidente do Agrupamento de Escolas Pêro da Covilhã, …

Snowden liga escândalo da espionagem na Europa a Joe Biden

O Presidente francês, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, pediram esta segunda-feira um “esclarecimento total” à Dinamarca e aos EUA sobre as alegações de espionagem. Edward Snowden responsabiliza o atual Presidente norte-americano, Joe …

Pedrinho custou ao Benfica mais de 1,5 milhões de euros por cada 90 minutos

O Benfica pagou 18 milhões de euros por Pedrinho no último verão. O brasileiro fez pouco mais de mil minutos, custando, em média, mais de 1,5 milhões de euros por cada 90 minutos. Pedrinho foi um …

Maioria das casas do Zmar nunca foi legalizada

A maioria das 260 casas de madeira que fazem parte do empreendimento turístico Zmar nunca foram legalizadas, confirmou a Câmara de Odemira. Só 98 habitações é que tinham licença. "O RECAPE [Relatório de Conformidade do Projeto …

A maioria das histórias sobre a origem do Homem não bate certo com os fósseis conhecidos

Alguns fósseis dão-nos informação sobre os aspetos essenciais de primatas e a evolução humana, incluindo a natureza dos nossos últimos ancestrais comuns. Mas dezenas de tipos de fósseis têm características que não encaixam nas teorias …

Carlo Ancelotti volta ao Real Madrid seis anos depois

O treinador italiano Carlo Ancelotti vai regressar ao Real Madrid seis anos depois, anunciou hoje o clube madrileno, revelando que o contrato será válido por três temporadas. "O Real Madrid comunica que Carlo Ancelotti será o …

Prazo para ultimar o adeus a Netanyahu termina às 23h59. Mas ainda há muitos obstáculos

O relógio não pára em Israel. Esta quarta-feira, às 23h59 (hora local, menos duas em Portugal continental), termina o prazo para o centrista Yair Lapid apresentar um Governo ao Presidente e afastar Benjamin Netanyahu do …