Teletrabalho regista os números baixos desde o início da pandemia

Mais de 450 mil pessoas trabalharam sempre, ou quase sempre, em casa, durante os últimos três meses do ano passado.

Os números do desemprego em Portugal não se alteraram muito ao longo do último trimestre de 2021. A taxa de desemprego foi de 6,3%, contra os 6,1% do trimestre anterior.

Há, no total, quase 4.9 milhões de pessoas empregadas, um número praticamente igual aos meses de Julho, Agosto e Setembro.

Nas comparações com os outros países da União Europeia (UE), verifica-se que a taxa de desemprego entre os jovens portugueses (22,6%) foi a quarta mais alta na UE, no terceiro trimestre do ano passado. Só Espanha, Grécia e Itália apresentam taxas mais altas, entre os mais novos. A média europeia é 15,9%.

A contabilidade relativa a Outubro, Novembro e Dezembro do ano passado, divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística, também se centra no teletrabalho.

No último trimestre, 9,3% das pessoas em Portugal trabalharam sempre, ou quase sempre, em casa.

Foram 455 mil pessoas a trabalhar longe da empresa – o valor mais baixo desde que esta análise começou a ser elaborada (entre Abril e Junho de 2020).

No trimestre anterior, por exemplo, havia oficialmente 12,6% da população em Portugao no regime de teletrabalho. No final de 2020 a percentagem era de 11,9%.

Entre os trabalhadores remotos 63,8% estão em teletrabalho por causa da COVID-19 (é também o valor mais baixo desde o início da pandemia).

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE