Validade do certificado digital vai mudar em Fevereiro

ZAP // Rawpixel

Dose de reforço integrada e certificado passa a ser válido durante nove meses. Quase 14 milhões de certificados digitais em Portugal.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O certificado digital que comprova a vacinação completa de uma pessoa em Portugal, contra a COVID-19, vai deixar de ter a validade de seis meses e passará a ser válido por nove meses. Está alteração vai ter início no dia 1 de Fevereiro.

Cada certificado de vacinação passa também a referir que a pessoa em causa já teve a dose de reforço – como é habitual, esta actualização só está disponível 14 dias depois da administração da vacina.

A informação foi cedida à agência Lusa pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) lembra entretanto que cada país tem as suas regras, incluindo no que diz respeito aos certificados digitais. Por isso, quem viajar deverá confirmar as regras do país para onde se vai deslocar, antes de sair de Portugal. O portal Re-open EU é indicado para esse efeito.

Quase 14 milhões de certificados digitais foram emitidos em Portugal, até agora. Mais concretamente 13.7 milhões. A grande maioria (12.1 milhões) é de vacinação; foram emitidos 1.2 milhões de testagem com resultado negativo e 450 mil de recuperação de infecção.

No dia da elaboração deste artigo, em Portugal a apresentação do certificado digital é obrigatória para entrar em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local, espectáculos culturais, eventos com lugares marcados e ginásios.

Para ter direito a certificado digital de vacinação, a administração da última dose da vacina terá de ter ocorrido, no mínimo, 14 dias antes. Janssen, Pfizer-BioNTech (Comirnaty), Moderna (Spikevax) ou AstraZeneca (Vaxzevria) são as vacinas autorizadas.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.