/

“Todo o cuidado é pouco”. Falsos técnicos de saúde batem às portas a prometer rastreios à covid-19

Angelo Carconi / EPA

A pandemia de covid-19 pode revelar-se o momento ideal para a realização de burlas. A  Associação Portuguesa de Direito do Consumo avisa que é preciso ter cuidado e diz que há pessoas a bater às portas, fazendo se passar por técnicos de saúde. Já há queixas em Portugal, nomeadamente no distrito de Braga.

A Associação Portuguesa de Direito do Consumo garante que os indivíduos andam a bater às portas com o argumento de que são técnicos de saúde e estão prontos a ajudar, mas na verdade o objetivo é apenas burlar as pessoas – realça a Renascença.

Mário Frota, presidente da APDC, explica que as situações são bem encenadas e que os “indivíduos andam bem vestidos, de bata branca e estetoscópio ao peito. Andam a bater às portas, a oferecer os serviços de rastreio do coronavírus”, avisa.

O intuito destes indivíduos é ganhar a confiança das vítimas para depois “impingir produtos caros, mas sem qualquer utilidade, ou infiltram-se nas casas para as assaltarem”, acrescenta o presidente da APDC.

Mário Frota alerta que as autoridades de saúde não estão a fazer rastreios domiciliários à covid-19, pelo que isso tudo não passa de um truque. “Braga já foi palco destes indivíduos sem escrúpulos e há notícias de que tal está a acontecer um pouco por toda a parte”, acrescenta, na esperança que esta onda de burlas seja travada a tempo.

Este tipo de ações não acontecem apenas em Portugal, pois também no país vizinho já há registos de alguns casos. “Em Espanha, 26 pessoas deram entrada nos hospitais por terem ingerido uma solução mineral milagrosa que, dizem, protege dos vírus”, relata ainda Frota.

Desta forma, o presidente da APDC relembra a população, sobretudo os mais idosos, que “todo o cuidado é pouco. Cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém”, remata.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.