Exemplo de Costa sobre o Natal é o que os portugueses não devem fazer, diz especialista

Hugo Delgado / Lusa

Para que se fale mais do que é realmente eficaz no combate à pandemia um médico de medicina familiar lançou uma petição pública “em sentido inverso”, apelando para a cooperação do “único órgão de soberania” capaz de a travar: os portugueses.

A “Petição pública dos médicos ao povo português” teve uma adesão “muito satisfatória” e já conta com 1440 assinaturas, o que surpreendeu o médico de medicina geral e familiar e professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Carlos Martins, que redigiu o texto no domingo e tem recolhido mensagens de apoio de muitos colegas, adiantou à Lusa.

O texto da petição pública, é um apelo dos médicos para que os portugueses cumpram medidas de proteção e higiene básicas, repetidas desde o início da pandemia pelas autoridades de saúde, mas também para que as pessoas se abstenham de contactos sociais.

Carlos Martins rejeita o discurso constante de medidas para a “salvação do Natal”, defendendo que o exemplo pessoal dado pelo primeiro-ministro, António Costa, sobre a sua gestão familiar dos encontros desta época festiva, com reuniões familiares em dias diferentes, é exemplo do que não se deve fazer, sublinhando que é importante que as pessoas minimizem o número de contactos.

No texto pede-se aos portugueses que assumam que, para que o próximo seja normal, “este Natal vai ser diferente”, passado apenas com o agregado familiar, estendendo a precaução a eventos de empresas, defendendo que será “necessário evitar essa forma de convívio”. Carlos Martins defende que se isto não acontecer “a pandemia vai descontrolar-se e descontrolada já ela está”.

O professor universitário critica o espaço mediático completamente ocupado “com controvérsias e medidas legais” em vez de se focar nas questões essenciais de combate à pandemia. “É preciso sensibilizar os cidadãos para regras tão simples, mas que não estão a ser cumpridas”, disse.

O especialista defendeu que as férias escolares de Natal deviam ser alargadas de duas para quatro semanas, como forma de travar contágios, uma vez que discorda da “retórica em relação às escolas”, com as autoridades de saúde a insistirem que são responsáveis por uma percentagem residual de infeções.

Cita ainda estudos internacionais que questionam essa ideia, referindo também que em Portugal há um desconhecimento sobre a origem da infeção numa parte significativa dos casos positivos, ao que acresce que entre os jovens as infeções são muitas vezes assintomáticas.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não sou especialista mas penso que a continuar assim ou os laboratórios se viram para a descoberta de medicamentos que curem este Vírus ou vamos piorar mais ainda tanto em Portugal como no Mundo, a vacina segundo especialistas ela não cura, senão cura há que investigar e se possível rápido medicamentos para acura, já está há vista que confinamento não está a dar o resultado que esperávamos

RESPONDER

Imagens mostram construção de instalação nuclear secreta em Israel

Está a ser construída uma instalação nuclear secreta em Israel, diz a Associated Press depois de analisar imagens de satélite. Os trabalhos estão a decorrer a poucos metros do antigo reator do Centro de Pesquisa …

Supremo confirma prisão efetiva de cinco anos e oito meses de João Rendeiro

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou a nulidade do acórdão que proferiu em janeiro e confirmou, assim, a condenação do antigo presidente do BPP. Num acórdão datado da passada quarta-feira, e a que a agência …

Portugal regista mais 33 mortes e 1071 novos casos de covid-19

Portugal registou, este sábado, mais 33 mortes e 1071 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 1071 novos …

Ana Gomes revela que Europol está pronta para investigar o Chega

A Europol está disponível para "ajudar as autoridades portuguesas" a investigar eventuais ligações do Chega de André Ventura a "actividades criminais internacionais". É Ana Gomes quem o revela depois de ter enviado uma participação ao …

João Almeida termina Volta aos Emirados no pódio, o seu primeiro numa prova do World Tour

O ciclista português, da equipa Deceuninck-QuickStep, assegurou, este sábado, o primeiro pódio numa prova do World Tour, ao ser terceiro na Volta aos Emirados Árabes Unidos, após a sétima e última etapa. João Almeida concluiu a prova …

Alemanha vai autorizar vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos

A Comissão Permanente para a Vacinação na Alemanha vai alterar a recomendação que limitava o uso da vacina da farmacêutica AstraZeneca para maiores de 65 anos. O anúncio foi feito, este sábado, por Thomas Mertens, chefe da …

Éter, Teia e Tutti-Frutti. PS e PSD decidem "os bons e os maus" entre uma centena de autarcas suspeitos

PS e PSD estão na recta final da escolha dos candidatos às próximas eleições autárquicas e os dois partidos coincidem na forma como estão a avaliar os potenciais candidatos que estão envolvidos em processos judiciais. …

"Lei Khashoggi". Estados Unidos restringem vistos a 76 cidadãos sauditas

Os Estados Unidos anunciaram a restrição à atribuição de vistos a 76 cidadãos da Arábia Saudita acusados de "ameaçar dissidentes no estrangeiro", nomeadamente o jornalista saudita assassinado, em outubro de 2018, na Turquia. Segundo o secretário …

OMS quer isenção de direitos de propriedade intelectual para vacinas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reclamou, esta sexta-feira, o uso de "todas as ferramentas" para aumentar a produção de vacinas contra a covid-19, incluindo a transferência de tecnologia e a isenção de direitos de …

PS propõe que independentes possam usar símbolos e siglas nas freguesias

A líder parlamentar do PS anunciou, este sábado, que o partido vai apresentar duas alterações à lei eleitoral autárquica através de um projeto de lei que deverá entrar no Parlamento na segunda-feira. Em declarações ao jornal …