Beber chá e falar sobre o fim da vida. Nem a pandemia acabou com os Cafés da Morte

Os Cafés da Morte são locais especialmente criados para beber chá, comer bolos e falar sobre o fim da vida. Porém, com a pandemia e a morte a ocupar os pensamentos de todos, será que ainda fazem sentido?

Quando a Índia entrou em confinamento, os proprietários do Talking Death, um local em Mumbai onde os clientes podiam beber chá, comer bolos e pensar na brevidade da vida, estavam a pensar na sua própria morte.

Como muitos outros encontros afetados pelas regras de permanência em casa durante a pandemia, Talking Death teve de passar a ser online. Porém, os dois psicólogos que o iniciaram, Devaunshi Mehta e Zena Yarde, temiam que, com a morte nos noticiários todos os dias, as pessoas não quisessem perder tempo a pensar nisso.

Por outro lado, de acordo com o Vice, depois de se adaptarem ao regime online, Mehta e Yarde perceberam que era útil para aqueles que queriam discutir os seus medos – mesmo que os números tenham caído em comparação com as reuniões presenciais.

“Algumas pessoas disseram: ‘Oh, graças a Deus! Existe uma plataforma para falar sobre isso’. Queriam realmente falar sobre a morte, especialmente desde que estamos cercados por ela”, disse Mehta.

Yarde também observou que o acesso à Internet permitiu a participação de visitantes internacionais. “Tivemos alguém do Canadá que se juntou a nós. E o anterior, tivemos alguém de Boston”, referiu.

Misturando religião, filosofia e cafeína, a miríade de Cafés da Morte da Ásia também surgiu em Hong Kong, Coreia do Sul, China, Tailândia e Singapura, seja em encontros informais ou negócios temáticos. Os participantes fazem um lanche e pensam sobre o fim inevitável da sua existência ou o que pode acontecer depois.

Muitos também estão localizados em países com tradições e influências budistas, que enfatizam ideias de renascimento após a morte, de acordo com Alastair Gornall, professor assistente de Estudos do Sul e Sudeste Asiático na Universidade de Tecnologia e Design de Singapura.

Em Singapura, o consultor financeiro Raj Mohammad começou a organizar reuniões informais em vários cafés ao redor da ilha para discutir a morte há cerca de cinco anos, com a intenção de fazer com que as pessoas a aceitassem como parte da vida.

Localizado num bairro nobre da capital tailandesa Banguecoque, o Kid Mai Death Awareness Cafe leva a reflexão um passo adiante e oferece aos clientes a oportunidade de se deitarem num caixão e beberem bebidas que os lembra da natureza finita da vida.

O professor assistente Veeranut Rojanaprapa criou o café para a sua tese de doutorado em filosofia e religião na Saint John’s University, na Tailândia, onde a maioria da população é budista.

A Tailândia já não está em confinamento e os casos de transmissão local são quase inexistentes. Mesmo com poucas restrições, o café recebe cerca de 20 clientes nos dias de semana e 50 nos fins de semana. Rojanaprapa disse que, antes do vírus, veria o dobro desses números.

No entanto, Rojanaprapa não vê uma ligação entre o menor comparecimento e relutância em ser lembrado da morte durante a pandemia. Não há planos de fechar o café e o professor acredita que as coisas vão recuperar-se assim que o vírus for derrotado.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …

O novo amplificador de guitarra tem maior capacidade de encaixe (e é mais poderoso)

Em 2016, o engenheiro eletrónico Chris Prendergast lançou um projeto Kickstarter para o amplificador de guitarra portátil JamStack. Este encaixava-se num pino de correia e emitia sons gerados por um smartphone. Agora foi lançada a …

Etiópia. Comissão de direitos humanos denuncia massacre de 600 civis na região de Tigré

A organização independente que investiga acusações de violência contra civis na Etiópia corroborou o relatório da Amnistia Internacional que denunciou a chacina de pelo menos 600 pessoas na região de Tigré, no Norte do país. Segundo …