Reino Unido vai iniciar testes com “jovens saudáveis” que aceitem ser infetados. Oferece 5000 euros

Massimo Percossi / EPA

O objetivo da investigação no Reino Unido é saber mais sobre o novo coronavírus com vista ao desenvolvimento de tratamentos e novas vacinas.

Um total de 90 voluntários, jovens e saudáveis, vão ser infetados com o novo coronavírus no âmbito de um estudo a realizar no Reino Unido. A ideia é testar vacinas e tratamentos.

A investigação vai começar nas próximas semanas e, apesar de causar alguma controvérsia, teve aprovação ética. Estima-se que os voluntários vão receber uma compensação de 4.500 libras (pouco mais de 5000 euros) pela sua participação na pesquisa.

Os jovens, que deverão ter idades entre os 18 e os 30 anos, vão ser expostos ao vírus num ambiente seguro e controlado para que os médicos acompanhem a evolução do seu estado clínico.

Importa descobrir a menor quantidade de coronavírus necessária para provocar a infeção, assim como perceber como o sistema imunológico reage a ela, explica um artigo da BBC. São dados essenciais para melhorar o conhecimento da doença, para que novas vacinas e tratamentos eficazes possam vir a ser desenvolvidos.

O perfil dos participantes resulta da intenção de minimizar os riscos pois os jovens saudáveis têm poucas probabilidades de sofrerem as formas mais graves e complicadas da doença, adiantou Peter Openshaw, professor de medicina experimental do Imperial College London:

“Esperamos que o estudo ofereça uma visão única sobre como o vírus funciona e nos ajude a entender quais as vacinas com maior capacidade para prevenir a infeção”, disse à BBC um responsável da equipa pelo plano de vacinação britânico.

Segundo o que foi explicado, os selecionados para o teste têm de passar por vários exames médicos. Posteriormente vão ser internados no hospital Royal Free, em Londres, para cumprir um período de quarentena de dois dias. Serão depois infetados, através do nariz, e manter-se-ão sob vigilância permanente durante pelo menos duas semanas.

Durante a pesquisa vai ser utilizada a variante do vírus que circulou no Reino Unido mais ou menos a meio do ano de 2020 que será produzida em laboratório.

Após os voluntários terem alta, todos serão acompanhados durante um ano, de forma a serem avaliados também os sintomas de longa duração.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mesmo depois da morte de Ihor, centro do aeroporto ainda tem videovigilância "muito limitada"

Um ano e meio após a morte de Ihor Homeniuk, o centro de instalação temporária do aeroporto de Lisboa (CIT) continua sem cobertura total de câmaras de videovigilância em zonas comuns. A situação atual distancia-se daquilo …

Liveblog Autárquicas. Afluência de 20,94% até às 12h

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Arqueólogos desenterram (acidentalmente) ossadas com 800 anos no Peru

Os restos mortais de oito pessoas, com aproximadamente 800 anos de idade e enterrados com alimentos e instrumentos musicais na mesma câmara funerária, foram encontrados ao sul de Lima, no Peru, durante a instalação de …

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …