“Temos de ser fiscais de nós próprios”. Praias reabrem a 6 de junho

João Relvas / Lusa

O Conselho de Ministro avaliou, esta sexta-feira, as medidas para a nova fase de desconfinamento, que começa na próxima segunda-feira, dia 18 de maio.

Terminou a reunião do Conselho de Ministros para avaliar as medidas da primeira fase de desconfinamento e decidir quais são as que farão parte da segunda. Em conferência de imprensa, o primeiro-ministro, António Costa, começou por dizer que “se manteve a tendência” e que o número de caso positivos “continua a manter-se estável”.

O governante acrescenta que o risco de transmissibilidade (RT) está nos 0,97, sendo que o pico de casos verificado na semana passada se deveu a um foco numa empresa na Azambuja.

“As primeiras medidas de desconfinamento, que tomámos há 15 dias, não alteraram a tendência de controlar a evolução da pandemia”, diz Costa, e, por isso, “não há razão para adiar ou retroceder” as medidas previstas para segunda-feira.

O primeiro-ministro diz que 97% dos doentes estão a ser tratados em casa, 2,3% está nos hospitais e só 0,5% está em cuidados intensivos, acrescentando que a capacidade de resposta do SNS continua “a dar garantias que sem riscos da saúde pública podemos avançar na estratégia de confinamento”.

Costa acrescenta que Portugal continua a ser o “quarto país com o maior numero de testes realizado por milhão de habitantes”, ficando apenas atrás da Lituânia, do Chipre e da Dinamarca.

Desta forma, o governante avança que Portugal pode dar um “novo passo na atividade comercial”, sendo que, de acordo com as normas acordadas entre DGS e AHRESP, poderão reabrir lojas com porta aberta para a rua até 400m2 ou partes de lojas até 400m2 (ou maiores por decisão da autarquia); restaurantes, cafés e pastelarias com lotação a 50% e esplanadas.

Relativamente às dificuldades do setor da restauração, o primeiro-ministro diz compreender que estas medidas sejas “fortemente restritivas”, mas garante que quer que se criem condições para que, “a partir de junho, se possa dar um passo em frente e tirar esta limitação de lotação”.

Regresso às escolas e creches

Para o regresso às escolas, nomeadamente dos 11.º e 12.º anos, ou 2.º e 3.º anos de outras ofertas formativas (com horário das 10h00 às 17h00), António Costa refere que vão ser disponibilizadas 4,2 milhões de máscaras, 17 mil litros de desinfetante, 620 mil luvas, 966 mil aventais e 22.500 viseiras.

As aulas presenciais serão lecionadas apenas nas disciplinas com exames nacionais, as restantes serão lecionadas através de ensino à distância, acrescenta o primeiro-ministro, considerando que é “muito importante que se aproveite a conclusão deste 3.º período para treinar aquilo que vai ser o próximo ano letivo“.

As creches também vão reabrir na próxima segunda-feira, um tema que o primeiro-ministro sabe ser “sensível”. A abertura é feita “com opção de manter o apoio à família caso os pais decidam continuar em casa”, num período de “15 dias de adaptação”.

Costa afirma que já foram testados 23.085 funcionários das creches, um número que representa cerca de 80% do universo total.

Os museus, monumentos e palácios também abrem na segunda-feira, um “dia simbólico” por ser o Dia Internacional dos Museus, recorda o primeiro-ministro.

Visitas aos lares e retoma das celebrações religiosas

O governante reconhece que esta questão tem sido “particularmente dura para as famílias”, avançando que vai ser possível retomar as visitas aos lares na segunda-feira, mas com regras, uma vez que os idosos são um grupo de risco.

O passo que vai ser dado é para “quebrar o isolamento, mas com cautelas, para preservar a saúde dos idosos”, refere Costa, explicando que só poderá haver um “visitante por utente, uma vez por semana (no máximo de 90 minutos), com marcação prévia”.

Relativamente às celebrações religiosas comunitárias, o primeiro-ministro refere que poderão voltar “no dia 30 de maio, de acordo com regras definidas entre a DGS e cada uma das confissões”.

O que volta a abrir a partir de 1 de junho

De acordo com o chefe do Executivo, a partir de 1 de junho o teletrabalho passa a ser parcial e poderão reabrir as Lojas do Cidadão; as lojas com área superior a 400m2 e/ou inseridas em centros comerciais; creches, pré-escolar e ATLs; cinemas, teatros, salas de espetáculos e auditórios.

Sobre o regresso aos postos de trabalho, com a implementação do teletrabalho parcial, Costa afirma que “era muito importante que as empresas ensaiassem rotinas de trabalho alternado e de rotações semanais ou mensais”. E garante que os transportes públicos terão capacidade para enfrentar o aumento da taxa de utilização.

No que toca ao regresso às praias, que tanto tem sido falado nos últimos dias, António Costa avança que se fará a abertura da época balnear no dia 6 de junho, recordando que “nem a água das piscinas nem do mar constituem risco para saúde pública”.

No entanto, o primeiro-ministro alerta que tem de se manter o distanciamento físico de 1,5 metros entre diferentes grupos e o afastamento de três metros entre chapéus de sol, toldos ou colmos.

Nos toldos, colmos e barracas de praia, “em regra, cada pessoa ou grupo só pode alugar de manhã (até 13h30) ou tarde (a partir das 14h00)”, com o máximo de cinco utentes. Estão interditas as atividades desportivas com duas ou mais pessoas, exceto atividades náuticas, aulas de surf e desportos similares.

O governante informa ainda que vai haver uma aplicação (Infopraia), na qual será possível  ver a ocupação de cada praia numa espécie de semáforo, sendo que verde significa uma ocupação baixa (1/3), amarelo uma ocupação elevada (2/3) e vermelho uma ocupação plena (3/3).

Costa diz ainda que se houver acumulações excessivas em algumas praias, estas podem ser interditadas. No que toca ao estacionamento, as “forças de segurança serão muito rigorosas na sua fiscalização“, alerta.

Neste caso, o primeiro-ministro recorda que “temos de ser fiscais de nós próprios” porque “não é possível estar na praia com um polícia ao lado de cada um”. “Se assim o soubermos fazer e fizermos como temos feito, com enorme disciplina, todos podemos ter as férias a que temos direito e gozar o direito de ir à praia”, acrescenta.

Em resposta aos jornalistas, Costa afirma que o estado de calamidade irá ser prorrogado, mantendo-se o dever geral de recolhimento. No entanto, refere, “os passeios são possíveis, seja para atividade física, seja para passeio normal, em família”.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros entretanto divulgado, foi aprovada “a resolução que prorroga a declaração de situação de calamidade até às 23h59 do próximo dia 31 de maio, dando continuidade ao processo de desconfinamento iniciado a 30 de abril, sem colocar em causa a evolução da situação epidemiológica em Portugal”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

MP suíço pede 28 meses de prisão para presidente do PSG e 3 anos para Valcke

O Ministério Público suíço pediu, esta terça-feira, uma pena de 28 meses de prisão para Nasser Al-Khelaïfi, presidente do Paris Saint-Germain, e de três anos para Jérôme Valcke, antigo número dois da FIFA. Trata-se dos primeiros …

Empresa japonesa cria lâmpada UV inócua para humanos que inativa coronavírus

Uma empresa japonesa desenvolveu uma lâmpada de radiação ultravioleta que inativa o novo coronavírus, recorrendo a um comprimento de onda que um estudo científico diz ser inócuo para os seres humanos. A lâmpada Care 222 foi …

Trump pede à ONU atribuição de sanções à China por ter "ocultado factos relevantes"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, exortou hoje as Nações Unidas a “pedirem responsabilidades à China” pela sua atuação na fase inicial da expansão da pandemia de covid-19. Na sua intervenção durante o debate geral da …

Há um "clima de medo e insatisfação" nas Forças Armadas, diz Associação de Sargentos

O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), Lima Coelho, disse à Rádio Renascença que se vive um "clima de medo e insatisfação nas Forças Armadas", que inclui ameaças, avaliações injustas, demora excessiva das reclamações …

Teletrabalho e questões ambientais são prioridade para o PS no início da sessão legislativa

A líder parlamentar do PS afirma que duas das principais prioridades da sua bancada no início da presente sessão legislativa vão passar pela regulamentação do teletrabalho e pela aprovação de uma lei de bases do …

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie

A justiça alemã abriu um novo inquérito contra o principal suspeito do desaparecimento de Maddie McCann, relativo à violação de uma jovem irlandesa, em 2004, anunciou, esta terça-feira, o procurador de Brunswick. "Posso confirmar que investigamos …

Mais de metade dos portugueses acredita que os fundos europeus vão ser mal geridos

Mais de metade dos portugueses (60,6%) acredita que os fundos europeus que Portugal vai receber para fazer face à pandemia vão ser mal geridos, revela uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e …

CMVM avança com suspensão de ex-secretário de Estado da Energia da OMIP

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) notificou, esta segunda-feira, o ex-secretário de Estado da abertura de um processo para a sua suspensão da administração da OMIP, alegando "dúvida fundada" quanto à adequação aos …

Satélite mostra preparativos de desfile na Coreia do Norte (e há quem desconfie da presença de novos TEL)

Novas fotografias tiradas por satélite e analisadas hoje pelo portal especializado 38North mostram os preparativos para um grande desfile militar na capital da Coreia do Norte, que a 10 de outubro comemora a fundação do …

Cartéis mexicanos ganharam cerca de 40 mil milhões de euros em apenas 2 anos

Os grupos criminosos do México ganharam cerca de mil milhões de pesos (perto de 40 mil milhões de euros), entre 2016 e 2018, revelou na segunda-feira a Unidade de Inteligência Financeira (UIF) do Governo mexicano. Durante …