/

Regresso à normalidade pode começar na primavera, diz consultor da Casa Branca

1

O responsável pela ‘task force’ para o desenvolvimento de vacinas nos Estados Unidos (EUA), Moncef Slaoui, indicou que a vacina contra a covid-19 pode ter um “efeito duradouro”, depois de distribuída, e que a vida pode regressar ao normal a partir da primavera.

“Acho que podemos começar a ver algum impacto nas pessoas mais suscetíveis provavelmente no mês de janeiro e fevereiro”, disse no domingo à CBS News, citado pelo Diário de Notícias. “Mas, em termos populacionais, para que nossas vidas voltem ao normal, estamos falar de abril ou maio”, afirmou.

Slaoui considera “vital” que as pessoas se “confortem com o facto de termos luz ao fundo do túnel”, e que, assim, continuem a usar máscaras e a cumprir as medidas de segurança. Segundo o responsável, dentro de dias a FDA – Food and Drug Administration, irá aprovar a vacina da Pfizer/BioNTech.

Se “for aprovada no dia 10 ou 11, no minuto em que for aprovada, os carregamentos de vacinas vão começar”, assegurou, calculando que estas demorem “cerca de 24 horas” a chegar “aos diferentes locais de vacinação”. “Dentro de, eu diria, 36 horas após a aprovação, a primeira imunização poderia potencialmente ocorrer”, afirmou.

O responsável indicou que os efeitos secundários das vacinas da Pfizer e da Moderna duram cerca de um a dois dias. Com o que se sabe, “não há efeitos adversos graves associados a estas vacinas” e o governo dos EUA está “confiante de que a longo prazo essas vacinas permanecerão muito eficazes e seguras”, declarou.

À CNN, referiu que a eficácia da vacina pode durar “muitos anos”, incluindo em pessoas mais velhas ou vulneráveis, sendo necessário nova vacinação a cada três a cinco anos e que a resposta do corpo humano ao coronavírus será muito mais rápida uma vez a pessoa vacinada. Logo que 70% a 80% da população seja vacinada, “o vírus irá diminuir”, frisou.

Reino Unido começa a vacinação na terça-feira

Vacinas estão a ser enviadas para todo o Reino Unido em contentores frigoríficos, visando um programa de vacinação em massa que se inicia na terça-feira, estimando-se que estejam disponíveis nesse dia 800 mil doses.

Na semana passada, o Reino Unido tornou-se no primeiro país a autorizar a vacina Pfizer-BioNtech para uso de emergência. As vacinas serão administradas em cerca de 50 centros hospitalares na Inglaterra. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte também iniciarão a vacinação na terça-feira.

  ZAP //

1 Comment

  1. Regresso à normalidade começa quando o grande lobby internacional chamado Covid-19 bem entender. Ainda vem aí uma terceira vaga conforme dizem, e depois talvez uma quarta. O negócio está bem montado e vai de vento em popa !

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.