Von der Leyen pede desculpa a Itália. E homenageia voluntários portugueses

Olivier Hoslet / EPA

Ursula Von der Leyen, presidente da Comissão Europeia

A presidente da Comissão Europeia afirmou-se “orgulhosa”, esta quinta-feira, com os muitos exemplos de solidariedade e humanidade na Europa na resposta à pandemia da covid-19, incluindo em Portugal.

“Não se pode ultrapassar uma pandemia desta escala e com esta velocidade sem a verdade. A verdade sobre tudo: os números, a ciência, as perspetivas, mas também as nossas próprias ações”, declarou Ursula von der Leyen, num debate no Parlamento Europeu, em Bruxelas, sobre a resposta da União Europeia à propagação da covid-19.

Apontando que “é verdade que ninguém estava verdadeiramente preparado para isto”, a presidente da Comissão Europeia assumiu que “também é verdade que demasiados não estavam lá a tempo quando a Itália precisava de uma mão amiga no início de tudo”, pelo que, “é verdade que a Europa, como um todo, oferece um sentido pedido de desculpas” aos italianos.

Tal como recorda o Jornal Económico, o pedido de desculpas chega dias depois de o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, ter respondido a uma carta aberta da presidente da CE, na qua pedia uma Europa mais unida.

“Mas dizer simplesmente desculpa só conta para algo se tal mudar comportamentos. E a verdade também é que não levou muito a que todos se consciencializassem de que temos de nos proteger uns aos outros para nos protegermos a nós próprios. E a Europa é agora o coração pulsante da solidariedade mundial“, defendeu, dando de seguida vários exemplos.

Von der Leyen afirmou-se “orgulhosa de ser europeia”, ao ver que “paramédicos da Polónia e médicos da Roménia salvam vidas em Itália, ventiladores da Alemanha fornecem suporte de vida em Espanha, hospitais na República Checa tratam pacientes de França, e doentes de Bergamo são levados de avião para clínicas em Bona”.

“Na verdade, temos visto cada peça de equipamento ir em todas as direções através da Europa, de quem o pode dispensar para quem dele necessita”, referiu.

A presidente da Comissão advertiu então que “ainda há quem aponte o dedo e sacuda as culpas, e outros que preferem falar como populistas em vez de dizerem verdades impopulares”.

“A esses eu digo: parem e tenham a coragem de dizer a verdade. E, se precisarem de inspiração, olhem para a forma como os europeus estão unidos, com empatia, humildade e humanidade. E eu presto tributo a todos eles. Dos motoristas de entregas aos fornecedores de alimentação, dos lojistas aos empacotadores das fábricas, e aos que batem palmas à janela. Às empresas que mudam as suas linhas de produção para fabricarem os fornecimentos de que tanto precisamos.”

“Eu presto tributo aos voluntários portugueses que cosem máscaras para os seus vizinhos, ao pianista grego de sete anos que compôs uma ‘valsa de isolamento’ para animar as pessoas. E, acima de tudo, agradeço e presto tributo aos nossos heróis: os médicos, enfermeiros, prestadores de cuidados de saúde”, declarou.

“Orçamento europeu será a nave-mãe da recuperação”

Ursula von der Leyen reiterou que o “plano Marshall” que preconiza para relançar a economia europeia deve basear-se, ainda que de forma inovadora, num instrumento já existente, o Quadro Financeiro Plurianual, o orçamento da União para cada ciclo de sete anos.

“Precisamos de um plano Marshall para a recuperação da Europa, e precisa de ser implementado imediatamente. Só temos um instrumento no qual todos os Estados-membros confiam, que já existe, que pode apresentar resultados rapidamente, que é transparente, e que já provou ao longo do tempo ser um instrumento para a coesão, convergência e investimento. E esse instrumento é o orçamento europeu. O orçamento europeu será a nave-mãe da nossa recuperação”, defendeu.

Por essa razão, prosseguiu, o Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2017 – em torno do qual os 27 ainda não chegaram a acordo –, terá de ser diferente daquilo que a Europa tinha imaginado, para dar resposta ao “investimento massivo” que será necessário para relançar as economias europeias uma vez ultrapassada a crise sanitária provocada pelo novo coronavírus.

“Usaremos o poder de todo o orçamento europeu para alavancar o enorme volume de investimento de que precisamos para reconstruir o mercado único após o coronavírus”.

A presidente salientou que “esta crise é diferente de qualquer outra”, apontando que está inclusivamente “a atingir gravemente empresas saudáveis, porque a vida pública foi encerrada”, razão pela qual são necessárias “soluções inovadoras no âmbito do Quadro Financeiro Plurianual, para desbloquear investimento público e privado massivo”.

“Embora a crise seja simétrica, a retoma não o é. A coesão e a convergência serão mais importantes do que nunca. O mercado único e a política de coesão são as duas faces da mesma moeda. Precisamos de ambas para garantir prosperidade em toda a UE”, defendeu.

A Comissão anunciou que em breve apresentará uma nova proposta orçamental, necessariamente mais ambiciosa, para fazer face aos choques provocados pela pandemia, que já provocou mais de 133 mil mortos e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Por tudo o que a ue tem representado desde a sua constituição que de união nunca teve nada, apenas serve os interesses de um país e nada pode fazer sem esse país concordar, desculpas não aceites!

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado e Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …