Conte pede à Alemanha mais solidariedade europeia. “Se somos uma União, está na hora de o provarmos”

Presidenza della Repubblica / Wikimedia

Giuseppe Conte, primeiro-ministro de Itália

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, fez esta quarta-feira um apelo solene à Alemanha para que haja mais solidariedade europeia no combate à pandemia da covid-19, que está a afetar severamente o seu país.

“Se somos uma União, está na hora de o provarmos”, escreveu Conte num artigo que será publicado quinta-feira no jornal semanário alemão Die Zeit.

Precisamos de uma estratégia de recuperação económica (…). Todos os Estados europeus devem dar agora o seu contributo, sem exceção”, diz o líder italiano, cujo país é membro fundador da União Europeia e um dos seus pilares.

Essa “solidariedade (entre países europeus) deve ser expressa num plano comum que garanta, pela transparência e rigor de todos os participantes, que não ficamos apenas por uma união de transferências”, acrescenta, no pedido feito diretamente ao Governo alemão.

Itália e Espanha, os países até agora mais afetados pela pandemia e com finanças públicas frágeis, querem um apoio financeiro maciço da União Europeia, para superar as consequências sanitárias, económicas e sociais da crise.

Apoiada por vários países europeus, incluindo Portugal e a França, a Itália sugere uma mutualização das dívidas dos países da zona do euro, que pode assumir a forma de “coronabonds”, fórmula que os países do norte, liderados pela Alemanha e pela Holanda, têm recusado. Finlândia e Áustria são também contra.

“Devemos examinar os instrumentos apropriados para uma situação sem precedentes. Isso sem preconceitos ou vetos a priori”, defende o líder italiano no artigo que será publicado no Die Zeit. “O objetivo é que todos juntos possamos sair desta crise o mais rápido possível, mais fortes e mais unidos”, sublinha.

Conte compara a pandemia de covid-19 a “um ‘tsunami’ que, como uma guerra, deixa a economia em ruínas e as pessoas traumatizadas”. “É uma situação terrível que eu nunca pensei viver, como cidadão ou como primeiro-ministro”, conclui Conte.

A Itália é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, com mais de 110.000 casos confirmados e mais de 13.000 mortes (o maior número de fatalidades num só país). O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado e Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …