China censura carta aberta dos 27 com aval “relutante” da UE

Uma carta aberta dos embaixadores da União Europeia a sublinhar a importância da cooperação com a China foi publicada com censura pelo jornal oficial China Daily, com o aval “relutante” do corpo diplomático europeu, admitiu a Comissão Europeia.

Por ocasião do 45.º aniversário das relações diplomáticas UE-China, o embaixador da União em Pequim, Nicolas Chapuis, e os 27 embaixadores dos Estados-membros na China redigiram em conjunto um artigo para ser publicado nos mais diversos órgãos de comunicação social.

No entanto, o China Daily, principal jornal controlado pelo regime, publicou-o após censura prévia do Ministério dos Negócios Estrangeiros, retirando uma referência ao facto de a pandemia da covid-19 ter tido origem na China.

A delegação da UE em Pequim foi informada do que se passava, mas ainda assim decidiu, “com relutância considerável“, avançar com a publicação do texto, pela sua parte integralmente, mas sabendo que, na publicação chinesa, este seria censurado, reconheceu hoje o executivo comunitário, que atribui a decisão à importância de “fazer passar uma série de mensagens”.

Esta nova polémica surge poucos dias depois de uma outra relativa a pressões de Pequim sobre o Serviço Europeu de Ação Externa em relação a um relatório sobre desinformação no contexto da covid-19, e foi um dos assuntos em destaque na conferência de imprensa de hoje da Comissão Europeia, que reafirmou o seu forte compromisso com a liberdade de imprensa apesar deste incidente.

“Lamentamos que este texto conjunto não tenha sido publicado na íntegra pelo China Daily. A versão integral foi publicada no site da delegação da UE na China e distribuída aos órgãos de comunicação social chineses”, notou a porta-voz da Comissão responsável pelos Negócios Estrangeiros, Virginie Battu-Henriksson.

A porta-voz confirmou que “a delegação da UE na China foi informada de que o texto só poderia ser publicado no China Daily com o acordo do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês”, fez saber, “de forma nada ambígua a sua inquietação” e desconforto com “a supressão da parte sobre a origem do surto” da covid-19, mas ainda assim preferiu não suspender a divulgação do artigo.

“A delegação da UE decidiu ainda assim avançar com a publicação do artigo, com relutância considerável, por considerar importante comunicar várias mensagens-chave sobre prioridades políticas da UE, como alterações climáticas, sustentabilidade, direitos humanos, multilateralismo e resposta global à covid-19″, justificou.

“A China controla os media, há censura, é um facto“, acrescentou.

Face às insistentes questões sobre como pôde a UE dar ‘luz verde’ à publicação de um texto seu censurado, quando advoga constantemente a liberdade de imprensa, o porta-voz principal da Comissão, Eric Mamer, disse que “o embaixador [da UE na China] tomou uma decisão na hora, tendo em conta um equilíbrio de um conjunto de considerações”.

“Foi uma decisão pontual tendo em vista um objetivo específico de fazer passar um certo numero de mensagens. Isso não quer dizer que consideremos a censura aceitável. Mas a nossa delegação na China trabalha num contexto muito particular e deve tomar decisões sobre a melhor forma de comunicar um determinado número de mensagens”, argumentou.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Capacidade de cuidados intensivos na Europa vai chegar ao limite, alerta OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta sexta-feira que muitas unidades de cuidados intensivos na Europa vão chegar ao limite da sua capacidade nas próximas semanas. "Há uma situação muito preocupante a acontecer na Europa. …

Geólogos "ressuscitam" placa tectónica desaparecida

A existência da placa tectónica Ressurreição nunca foi consensual: alguns geólogos argumentam que nunca foi real e outros alegam que a placa sofreu um processo de subducção no manto da Terra, em algum lugar da …

Não se esqueça: muda a hora este domingo

Os relógios vão atrasar 60 minutos na madrugada do próximo domingo em Portugal para dar início ao horário de inverno. Em Portugal Continental e na Região Autónoma da Madeira, os relógios deverão ser atrasados uma hora …

Cientistas mediram o período de tempo mais curto de sempre

Uma equipa de físicos e metrologista da Universidade Goethe de Frankfurt, na Alemanha, anunciou que conseguiu medir o menor período de tempo já determinado - são 247 zeptosegundos, segundo os cientistas. O processo físico cuja …

Viagens expresso no Sistema Solar. Nave espacial pode chegar a Titã em apenas 2 anos

Uma equipa de cientistas está a trabalhar num propulsor de nave espacial que, segundo eles, poderia alcançar a misteriosa lua de Saturno, Titã, em menos da metade do tempo que o satélite Cassini demoraria. Apesar de …

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …