Mais 40 dias de lockdown. Em Inglaterra, as escolas só abrem a 8 de março (ou talvez mais tarde)

Depois de confinamento inglês não estar a dar resultados, o Governo não conseguiu cumprir o que tinha prometido: o recomeço das aulas presenciais em fevereiro. Sabe-se agora que as escolas devem abrir a 8 de março, mas o prazo ainda pode voltar a estender-se. Associações de professores pedem o fim das falsas esperanças.

A esperança era de que Boris Johnson anunciasse o regresso às escolas, mas a situação pandémica do país não o permite. O quadro negro em que Inglaterra se encontra vai obrigar ao encerramento dos estabelecimentos de ensino pelo menos até 8 de março.

“A reabertura das escolas será a prioridade nacional e o primeiro sinal de que a normalidade está a voltar. O confinamento não vai continuar nem mais um dia além do necessário, mas não podemos ser condescendentes cedo demais, porque arriscamos colocar o nosso serviço nacional de saúde sob ainda maior pressão”, referiu Johnson na Câmara dos Comuns.



Os membros do seu próprio Partido Conservador e os da oposição trabalhista têm pressionado o primeiro-ministro para se conhecerem mais detalhes sobre o tempo que ainda vai durar o confinamento imposto no início de janeiro.

Esta quarta-feira todos tiveram uma resposta: pelo menos mais 40 dias, já que as escolas, não abrem até março e antes das escolas não abre nada, esclareceu o primeiro-ministro.

De acordo com o Governo britânico, a vacina ainda não justifica uma alteração de comportamentos, uma vez que “neste momento, não temos dados suficientes que nos permitam avaliar o impacto da vacina na redução de transmissão do vírus, nem até que ponto a vacina pode reduzir as hospitalizações e mortes, nem a rapidez a que o binómio vacina mais confinamento pode reduzir a pressão nos serviços de saúde”, disse Johnson.

O Reino Unido ultrapassou na terça-feira a marca das 100 mil mortes, um dia que foi assinalado pelos jornais com fotografias de alas hospitalares completamente cheias e com fotografias do próprio primeiro-ministro com um ar taciturno.

Segundo Johnson, dia 8 de março o Governo já terá informação suficiente para decidir sobre o eventual regresso às aulas presenciais: “Aí já saberemos quantas pessoas ainda estão no hospital com covid-19, algo que hoje não podemos prever com o mínimo de precisão. Estaremos em posição de conseguir traçar um mapa para o desconfinamento, sem arriscarmos novas vagas que possam soterrar o serviço nacional de saúde”.

Esta data marca também o dia em que os especialistas em saúde pública que monitorizam a taxa de vacinação pensam ter já informações concretas sobre o nível de imunidade dos quatro principais grupos de risco, que devem receber a segunda dose da vacina até 15 de fevereiro, sendo preciso esperar depois as tais três semanas para avaliar a imunidade.

No entanto, as diversas associações e sindicatos de professores e funcionários escolares continuam a reforçar a necessidade de que as crianças estejam envolvidas em ambiente escolar presencial o máximo de tempo possível, já que não só a aprendizagem é muito mais eficaz como também o desenvolvimento psicológico dos mais novos pode sofrer com o isolamento e com a falta de contacto com outras crianças.

Ainda assim, a maioria concorda que os níveis de contágio não permitem o normal funcionamento das escolas.

“Todos concordam que fazer regressar as crianças às aulas o mais rápido possível é absolutamente vital, mas isso claramente não pode ser apressado em circunstâncias tão desesperantes como as que vivemos, e entendemos que o governo tenham decidido estender as restrições”, disse Geoff Barton, secretário-geral da Associação de Diretores Escolares, ao The Guardian.

As “falsas esperanças” de um regresso aos dias normais está a preocupar várias associações. A secretária-geral adjunta do Sindicato Nacional de Profissionais da Educação, Mary Bousted, não poupou críticas às ações de Boris Johnson: “O primeiro-ministro pode até estar imune ao constrangimento das suas constantes reviravoltas de opinião, mas quem dirige as escolas, tal como os professores e todos os auxiliares de educação, disse a responsável, citada também pelo The Guardian.

China inicia testes por via anal

A China começou a fazer testes anais para detetar covid-19 em pessoas que são consideradas de risco, anunciou esta quarta-feira o canal estatal CCTV. O método começou a ser usado na semana passada pelas autoridades de saúde chinesas em Pequim, em cidadãos que residem em bairros com casos confirmados. Além disso, as pessoas em zonas próprias de quarentena também realizaram testes via anal.

Os testes deste tipo “podem aumentar a capacidade de deteção de pessoas infetadas”, dado que os vestígios do vírus ficam mais tempo no anus do que no trato respiratório”, explicou Li Tongzeng, médico do Hospital de Youan, na capital chinesa, à CCTV.

Dado o ritmo com que estão a ser confirmadas novos casos em todo o mundo, o país está em alerta máximo no sentido de conter a transmissão doméstica do vírus: Pequim, por exemplo, proibiu a chegada de habitantes em zonas consideradas de médio ou alto risco a partir de quinta-feira, devido às comemorações do Ano Novo chinês, refere o Expresso.

Ana Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Euro2020. Eriksen cai inanimado no relvado. Dinamarca-Finlândia suspenso

O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do Grupo B do Euro2020, foi interrompido ao minuto 43 depois do médio Christian Eriksen ter caído inanimado do relvado. O jogador do Inter Milão, de 29 …

Hungria quer proibir conteúdos sobre homossexualidade a menores de 18

O Governo conservador húngaro preparou nova legislação que proíbe a exibição de material pornográfico de qualquer tipo e de quaisquer conteúdos que encorajem a mudança de género ou a homossexualidade a menores de 18 anos. O …

Boris "não hesitará" em suspender acordo por causa da Irlanda do Norte

O primeiro-ministro britânico afirmou, este sábado, que "não hesitará" em suspender o acordo do Brexit se a União Europeia (UE) não mostrar flexibilidade e aceitar aplicá-lo de forma "sensata". "Se o protocolo continua a ser aplicado …

País de Gales 1-1 Suíça | Desperdício helvético com preço alto

Dois golos nascidos em pontapés de canto ditaram, este sábado, um empate 1-1 entre um País de Gales aguerrido e uma Suíça penalizada pela ineficácia ofensiva, num embate da primeira jornada do grupo A do …

Sesimbra também não avança para a nova fase de desconfinamento

O concelho de Sesimbra não vai avançar para uma nova fase de desconfinamento, ao contrário do que estava previsto, devido ao aumento local de casos de covid-19, disse à agência Lusa o presidente da autarquia, …

Influente bispo alemão não vê "por que não" se pode abençoar casais homossexuais

"Se os homossexuais pedem alguma bênção, por que não?", disse, esta sexta-feira, um bispo alemão que foi recebido pelo papa Francisco no Vaticano, a propósito da delegação da Comissão Episcopal da União Europeia (Comece). Franz-Josef Overbeck, …

Mais 789 novos casos de covid-19 e uma morte em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais uma morte e 789 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 789 novos …

Organização dos Jogos Olímpicos estima cerca de sete casos diários

Os organizadores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 estimam que haverá cerca de sete casos de covid-19 por dia entre as pessoas envolvidas no evento, disse a emissora pública japonesa NHK. A estimativa foi …

Mais dois militares vão a julgamento por agressões em curso dos Comandos

Estão em causa dois cursos anteriores ao que levou à morte, em 2016, dos recrutas Hugo Abreu e Dylan da Silva. Um dos casos segue já para julgamento, o outro vai para a fase de …

Remodelação à vista (com saídas e trocas de pastas por "um Governo de combate")

O Governo de António Costa tem pela frente um mês de Julho decisivo que ficará marcado pela chegada dos fundos da bazuca europeia. E há dirigentes socialistas que acreditam que o primeiro-ministro deve aproveitar a …