Epidemiólogos britânicos defendem fim dos “corredores aéreos”

xenostral / Pixabay

Avião da companhia aérea British Airways.

Os epidemiólogos britânicos David Hunter e Neil Pearce defenderam hoje o fim dos “corredores aéreos” e fazer cumprir quarentena a todas as pessoas que cheguem do estrangeiro para eliminar a presença da covid-19 no Reino Unido.

Num artigo escrito para o diário The Guardian, os dois académicos dizem que “encorajar as viagens para o estrangeiro no meio de uma pandemia não faz sentido” e que o Reino Unido pode seguir o exemplo da Nova Zelândia ou Coreia do Sul, onde a ausência de casos de infeção permitiu retomar a vida normal, nomeadamente o encontro de famílias, eventos desportivos e atividade económica interna sem restrições.

Além de uma maior eficácia e transparência do sistema de rastreamento, sugerem que seria necessário dar apoio financeiro às pessoas necessitarem de ficar em auto isolamento, e alojamento num hotel, se forem consideradas um risco para a família.

O fim dos corredores aéreos, continuam Hunter, professor na Universidade de Oxford, e Pearce, professor na Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, significaria substituir viagens de verão ao estrangeiro por férias no Reino Unido.

“Obviamente, as companhias aéreas internacionais precisarão de subsídios para evitar a falência; também significaria que camiões que chegassem ao Reino Unido teriam de ser conduzidos até aos seus destinos por motoristas britânicos”, acrescentam.

Porém, vincam, as vantagens incluiriam o funcionamento de uma economia interna de forma normal, em que turistas nacionais substituiriam os internacionais, a reabertura das escolas sem restrições, pessoas vulneráveis poderiam sair de casa livremente e as atividades culturais e desportivas poderiam ser retomadas.

A eliminação do vírus poderá também reduzir na probabilidade de uma segunda vaga da pandemia no inverno, que pode voltar a sobrecarregar o NHS [sistema de saúde público] e exigir um segundo confinamento a nível nacional.

“Comparados aos custos, os benefícios são enormes”, argumentam, alertando para a incerteza que rodeia os projetos de vacina em desenvolvimento.

No domingo, o governo removeu a Espanha da lista de países com corredor aéreo, o que significa que qualquer pessoa que chegue daquele país ao Reino Unido terá de ficar de quarentena durante 14 dias.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, justificou a medida na segunda-feira com “sinais de uma segunda vaga” em Espanha e em outros países europeus, não excluindo impor restrições.

Portugal, juntamente com a Suécia, Estados Unidos e Brasil, foi excluído da lista de cerca de 70 países e territórios considerados seguros pelo governo britânico, decisão que tem impacto no setor do turismo.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, lamentou a decisão, a qual, disse, “não está fundamentada nos factos”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas estão a atirar rochas vulcânicas para telhados (para provar que são perigosas)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Canterbury está a lançar rochas vulcânicas para telhados na Nova Zelândia na esperança de ajudar os habitantes de Auckland a entender os perigos vulcânicos. "Auckland localiza-se num campo vulcânico …

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve nos mapas durante um século

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve durante 100 anos em muito dos principais mapas do continente africano. Acabaria por ser um militar francês, que explorou o rio Níger, a acabar com este "fantasma da …

"Continua a pairar perigosamente". Relógio do Juízo final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo "Relógio do Juízo Final", que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite. O relógio, que é uma …

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …