/

Task force muda regras. Vai ser mais difícil saber qual a vacina que será administrada

156

Fernando Veludo / Lusa

O vice-almirante Gouveia e Melo, coordenador da “task force” de vacinação contra a covid-19

Vai ser mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber (AstraZeneca, Pfizer e Moderna). Todas as semanas, as três vacinas passam a “rodar de região em região”.

A task force responsável pela vacinação alterou as regras de distribuição de vacinas para tornar mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber: AstraZeneca, Pfizer ou Moderna.

O coordenador da task force, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, explicou ao jornal Público que há agora “um macro plano de rodagem por regiões”, o que significa que, semana a semana, as três vacinas passam a “rodar de região em região”.

Esta estratégia “visa sobretudo prevenir que, se por acaso, estas tiverem diferentes respostas às novas variantes, não haja nenhuma zona que não tenha proteção seletiva, porque pode haver uma variante que reage pior à vacina A ou B”.

“O objetivo é garantir que a população, no seu conjunto, tenha uma resiliência maior porque há uma diversidade de vacinas nas várias regiões”, acrescentou.

Os profissionais de saúde só vão saber a ordem da distribuição com dois dias de antecedência, o que torna mais difícil perceber qual vai ser a vacina dada em cada região.

O diário avança que há pessoas que, tendo conhecimento antecipado das datas em que as vacinas estão a ser dadas em determinada região e sabendo que se trata da AstraZeneca, para não terem que ir para a fase final da operação por se terem recusado a recebê-la, alegam que não conseguem ir no dia proposto e ficam à espera de serem contactados noutra altura de maneira a serem imunizados com uma das duas outras vacinas.

Esta nova estratégia dificulta este tipo de “truques”.

A mudança de estratégia acontece depois de, na semana passada, a AstraZeneca ter passado a ser dada apenas a maiores de 60 anos, na sequência da comunicação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) que admitiu a “possível ligação” entre esta vacina e casos muito raros de tromboembolismo.

Recuperados vão começar a ser vacinados já na 2.ª fase

Os recuperados da covid-19 vão ser incluídos no plano de vacinação já a partir da 2.ª fase, ou seja, neste mês de abril, avança o Diário de Notícias.

“Trata-se de um reforço de proteção para quem já recuperou de covid, o que é possível por termos passado de uma fase de escassez de vacinas para uma fase atual de maior oferta. Trata-se apenas de uma dose. Ao que tudo indica, é preciso apenas um reforço de imunidade para quem já tem algum nível de imunização conferido pela doença”, explicou o coordenador da task force.

Nesta fase, a medida incluia cerca de 300 mil pessoas com mais de 60 anos que já foram infetadas. Falta, contudo, a publicação de uma norma pela Direção Geral da Saúde (DGS).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  Liliana Malainho, ZAP //

156 Comments

  1. Simplesmente INADMISSÍVEL, ocultar a um Cidadão, que tipo de Vacina lhe vão inocular. Mais uma razão para desconfiar deste programa de Vacinação. O que querem esconder, eis a questão !…Ver, Deveres e Direitos dos Utentes …-Lei Nº 15/2014, de 21 de Março –

    • De facto, neste tempo das redes sociais e dos reality shows, tudo parece ficção. O mais grave é que já ninguém pensa !!!
      Depois do que disse o artista da pfizer, fique sem qualquer dúvida que estamos perante uma negociata de proporções gigantes, que foi inicialmente tentada com a gripe A e que não resultou.
      Como é que é possível darem uma primeira dose de uma vacina e uma segunda dose de outra vacina, sem que isso esteja devidamente estudado ?
      É preciso ser cientista ou perito para ver a aldrabice ?

    • Subscrevo inteiramente a suas palavras.
      Como diz o ditado: Quem não deve não teme.
      É uma total prepotência em democracia.
      O Sr. Da tropa ainda fala “para não haver truques por parte da população “.Truques usam eles.

    • Atento, leu a notícia com pouca atenção. As pessoas sabem perfeitamente com que vacina vão levar. Apenas não o sabem com antecedência, de modo a evitar chico-espertices, e acima de tudo, para distribuir diferentes tipos de imunidade pela população, fortalecendo a imunidade de grupo e dificultando a adaptação do vírus.

      • Meu Caro: O Senhor é que não leu bem a Notícia. Os Responsáveis alegam, de facto, que o nome da Vacina não é dado a conhecer, para que o Utente não a possa recusar. Até porque, deram o exemplo da Vacina da AstraZeneca, que vai ser dada, apenas, a maiores de 60 anos, e assim estas pessoas se souberem com antecedência, não comparecem para a receber. De qualquer maneira, esta decisão do Senhor Almirante, é completamente inadmissível, para não dizer Ditatorial. O Utente tem todo o direito de saber qual o tratamento que vai receber.

        • “e assim estas pessoas se souberem com antecedência, não comparecem para a receber. ”
          …se eu tivesse mais de 60 anos sentia-me ofendido por me ter incluído nessa sua teoria, não são todos, apenas os ignorantes, todas as vacinas têm contra-indicações, algumas mais divulgadas que outras, e a alternativa (não ser vacinado) é tão mais grave que só mesmo alguém incrivelmente mal informado pode optar por isso.

        • Caro Fernando, é óbvio que não percebeu a notícia. A vacina não é dada a conhecer *antecipadamente* para evitar desculpas de não poder comparecer. Quando o Sr. chegar lá para ser vacinado será obviamente informado da vacina que vai levar, até porque isso é um direito dos utentes. Senão gostar da marca da vacina, está no seu direito de recusar. Vai para o fim da fila e rezar para que não apanhe COVID entretanto. Percebeu ou quer um desenho?

        • Voltámos à ditadura ou ainda estamos nela. O cidadão tem todo o direito de saber qual a vacina que vai tomar. Até o militar já entrou na panelinha

          • Ditadura dura… estes golpistas é que sabem. Nós temos que morrer, e eles têm que ficar cá, para perpetuar a ladroeira descarada.

            • De acordo, pura ditadura. Os que têm mais de 60 anos até podem servir de cobaias e morrer mais depressa.
              Assim o estado livra-se deles, não tem que pagar reformas e poupa nas futuras despesas de saúde. Todo O ser o humano tem o direito de saber o que lhe estão a injectar no corpo e tomar a decisão de aceitar ou não. É óbvio que há um problema com essa vacina, mas como já a compraram e não pode ser devolvida, há que enfiá-las em alguém. Assim o risco passa para aqueles que estão mais próximos de vir a ter custos para o Estado. Cada vez mais os humanos se tornam números e. Talvez ainda se confirme que vem aí o tal “Número da Besta”.

          • Todo o cidadão tem o direito de saber que vacina vai tomar? E tem. Algo que saberia se tivesse lido a notícia.

        • Em tempo de guerra, não se limpam armas. Qualquer pessoa é livre de, ao chegar ao centro de vacinação, se recusar a levar a vacina caso assim o deseje.

      • “…distribuir diferentes tipos de imunidade pela população, fortalecendo a imunidade de grupo e dificultando a adaptação do vírus.”
        Trata-se de um estudo levado a cabo pela sua pessoa e revisto pelos seus pares (cientistas?) ou é mesmo palermice?

        • De facto não é um estudo. São inúmeros estudos, ao longo de muitos anos de aplicação de diferentes vacinas a várias doenças. E está também dito na notícia, caso a tivesse lido. Sabe o que é palermice? É comentar uma notícia que não leu sobre um assunto que nada sabe. Cumprimentos.

          • Muito bem!
            Não é fácil lidar com tantos “ignorantes indignados”!…
            O pior é que são tão “crentes nas teorias do contra” que não conseguem raciocinar antes de comentar/se manifestar e, o resultado nunca é bom…

  2. …pelo que percebi apenas não sabem com antecedência.
    Quanto a diversificar a multiplicidade de vacinas aplicadas por todas as regiões faz todo o sentido.
    Parem de complicar e deixem a vacinação seguir para que precisa trabalhar, já agora comer um hamburguer é bem mais arriscado que qualquer destas vacinas.

  3. Fascismo à Portuguesa. Omitir uma Vacina a um utente e engana-lo, isso é inadmissível
    e ultrajante.
    Eu é que não tomo a vacina ser ver qual é….

    • Outro que não leu a notícia. Sabe sim que vacina vai levar. Só não sabe com antecedência. Se chegar lá e não gostar pode ir-se embora e vai para o fim da fila.

      • Só não sabe com antecedência?! Lá está a vigarice. É democrático não saber com antecedência? Este Nuno Alves arma-se em esperto e não vislumbra aonde está a matreirice desta gente (governo e DGS)

            • Mas porque razão há de ser diferente para esta? Porque razão tem o direito de saber antecipadamente sobre esta e não sobre as outras? Mais, nunca ninguém soube oficialmente de forma antecipada que vacina do COVID ia levar. Era por bate-boca. O que esta medida faz é evitar rumores e ter conhecimento via chico-espertismo. Compreende João? Cumprimentos.

    • Há dias tomei a vacina, mas logo à partida disse não queria a da Astrazeneca. A que tomei foi da Pfeizer.

        • A de Pfizer não é inglês, aí já é melhor. Depois tem tecnologia mais moderna, tal como a vacina ‘moderna’.
          ò Eu! Va ver o Paulo Portas no TVI!

          • O Paulo Portas?!
            Hahahahaaa… agora tiveste piada!…
            .
            A da Pfizer é “mais moderda” mas a Pfizer já fala na provável necessidade de 3 doses…

        • Não é ser melhor é não ter nos efeitos secundários “morte” e já agora a Africa do Sul descartou por completo a aszeca por ser completamente ineficaz contra a variante deles. Tento em conta que já tens a variante angolana que dizer ser pior a agora a indiana…. Para que perder tempo com uma vacina ultrapassada pela doença?

          • Todos os medicamentos tem efeitos secundários e os conhecidos até agora da vacina da AZ são praticamente irrelevantes (e equivalentes aos das outras vacinas).
            Mas que vacina tem nos efeitos secundários “morte”?!
            Quantos morrerem?
            Raríssimos efeitos na coagulação no sangue todas tem e isso é o “máximo” em termos de efeitos secundários conhecidos.
            Por exemplo:
            “Nos EUA houve relatos de efeitos na coagulação do sangue com as vacinas da Pfizer e da Moderna”
            “Parecem ser fenómenos raros, ao nível de um num milhão, que começam a tornar-se visíveis porque estão a ser administradas muitos muitos milhões de doses de vacinas contra a covid-19. O cientista James Bussel estudou-os.”
            Público, 18 de Março de 2021
            .
            Já deves ter percebido que não há vacinas disponíveis e que as farmacêuticas nem sequer estão a cumprir os prazos de entrega acordados. A variante da África do Sul é practicamente irrelevante em Portugal e não se pode estar à espera de “milagres” portanto, uma vacina (supostamente) menos eficiente e melhor do que nada!
            Não é perder tempo; é usar as armas que estão disponíveis e, de certeza que, contribuirão para ajudar muita gente.

            • Eu não quero saber de efeitos secundários desde que não envolvam a possibilidade de morrer. Logo se existe a possibilidade de morrer NÃO OBRIGADO nem que seja 1 em 100 milhões. Não dou o braço a essa vacina e a do shampoo que tem 4 biliões metidos de parte para pagar aos processos do pó talco para o rabinho provocar cancro nos ovários a milhares de americanas. Posso bem continuar a usar máscara e lavar as mãos com álcool.

            • O caro Modesto Pires anda de avião? Bebe álcool? Anda de automóvel? Toma aspirina, Benuron de vez em quando? Pois saiba que cada vez que faz uma dessas coisas tem mais probabilidade de morrer do que se tomar a vacina da AZ. O melhor talvez seja nem sair de casa.

          • E fazes tu muito bem!
            Mas, existe a possibilidade (e a certeza!) de morrer desde que se está vivo!
            Já a probabilidade de morrer da vacina é igual em qualquer uma, incluíndo as que já estão no Programa Nacional de Vacinação há “seculos”!!
            Não há diferenças de risco de morte entre qualquer uma das vacinas contra a Covid logo não faz sentido referir isso relativamente apenas a uma das vacina (AZ), quando, nesse aspeto, são todas iguais.

          • A vacina da AZ foi a mais (única) disponível durante algum tempo, mas com o tempo vai havendo cada vez mais disponibilidade de outras.

            • É inadmissível as entidades responsáveis (governo e DGS) virem com o miserável slogan: “traz mais benefícios que malefícios”. Quer dizer se um determinado medicamento salvar 7 pessoas e matar 3, então é bom. Não, um medicamento é, supostamente, para salvar não para matar.

            • Inadmissível é um número de disparates que as mentes mais limitadas espalham…
              Quantos foram vacinados e, quantos morreram por causas ligadas directamente às vacinas?!
              Zero?!
              Então, “siga a Marinha”!!

  4. Habilitam-se a ficar com a seringa na mão.
    O cidadão tem todo o direito de saber que vacina se aprontam para inocular.
    E nesse momento, é aceitar ou sair pela porta fora.
    Quando Portugal segue a Dinamarca e deixa de andar a convencer a população sobre probabilidades ?
    20.000 professores recusaram a AZ !
    Os portugueses querem ser vacinados, mas não com vacinas “chinesas”, as mais baratinhas do mercado.

  5. Esta nova “alteração” pela Task – force no processo de vacinação em curso só faz desconfiar cada vez mais que, efetivamente, há algo que não é transparente e que as autoridades querem esconder em todo este processo.
    É uma medida autoritária e descabida para o direito de livre acesso à informação que pela lei é reconhecido ao cidadão português. Enfim, é a persistência de tiques fascizantes…

    • Ler é uma coisa, perceber o que se leu é que é o problema. Tanta iliteracia que aqui vai que até dá dó!
      Por estas e por outras é que temos o país que temos.
      Nem uma simples notícia percebem quanto mais compreender uma bula de um medicamento.
      Se noticiarem as mortes com aspirina ou com um qualquer outro medicamento de venda livre ou de uso comum, estou a ver que toda esta gente “muito esclarecida” deixa de tomar medicamentos e passa a tomar mezinhas caseiras 😀

      • A sua “Literacia” neste exemplo que expõe também peca por inexactitude. Saiba por exemplo que a dita Aspirina contribui, na prevenção de formação de trombos, que são a causa de mortes (mesmo minimas que sejam) nos Vacinados. Para mim um caso de morte por efeito secundário mortal, é um caso demais !…. Mas ninguém o impede de aceitar esta Vacina !

  6. Ninguém vai esconder qual a vacina que vão dar. Apenas não avisam com antecedência. Quando for para dar a vacina, obviamente vão informar a pessoa.
    E o facto da marca da vacina ir rodando pelo país tem toda a lógica.

  7. Tanto especialista! Tanta gente informada! Tão informada que não percebe, sequer, que corre diariamente riscos bem maiores (e evitáveis) que o risco de qualquer efeito secundário grave de qualquer uma destas vacinas. Pergunto-me se estas alminhas sabem qual a marca das vacinas que tomaram quando pequenos ou que foram dadas aos filhos. Vacinas que, obviamente (como qualquer medicamento), também têm o seu rol de efeitos secundários graves… muito raros! O Umberto Eco tinha razão quanto à voz que as redes sociais deram aos imbecis.

    • Tem razão. Você é uma dessas vozes. Aposto o que quiser que você tem menos de 60 anos. Não tenho absolutamente dúvida nenhuma.

      • … infelizmente ainda não vai ser assim que vão entender, mas volto a tentar:
        O numero de mortes causadas pelas vacinas, não chega a 1 por milhão de vacinados.
        O numero de mortos em Portugal por cada miilhão de casos confirmados é de aproximadamente não 1, nem 2, mas 20 mil mortos!
        Façam as contas e se não querem ajudar, não estorvem!

        • E a melhor maneira de não tornar a ser aquela 1, é de o evitar.

          Tal como não evito ganhar o Euromilhões ao me habilitar

          • … caro Etter, essa leitura selectiva dava outro tópico, usando a mesma imagem do euromilhões, ao evitar adquirir aquele único bilhete “1” atrasando a toma da vacina, está a adquirir vários milhares de outros bilhetes para um sorteio “especial” com um prémio “de morrer”…
            Todas as vacinas têm casos pontuais de efeitos secundários, mas necessitamos de tempo para que surjam os respectivos estudos.
            A da Johnsons por ex, já foi retirada em alguns países também.
            Todas vão ter de evoluír até porque enquanto a doença continuar tão activa o vírus vai continuar a sofrer mutações e as vacinas terão de se adaptar, mas não podemos esperar pela vacina “infalível” primeiro porque nunca vai surgir, e segundo porque a alternativa é muito mais letal, temos que nos imunizar com o que for sendo aprovado, por gente muito mais capaz que os comentadores que aqui se reúnem.
            Já agora, a nível de curiosidade, aposto que muita da malta anti AZ fuma ou toma a pílula, qualquer dos dois casos causa milhares de vezes mais probabilidade de causar coágulos que esta vacina, mas isso não interessa noticiar.

            • Pensava eu que queres dizer que ao fumar o novo remédio legal, o Covid fica ‘oh meu!, meu’, mas não. Há gente que foge da bata branca como o diabo ao Cruz. Uma vez apanhado, descobrem N defeitos, cada um em si fatal e de seguida começam a ‘remediar’. O resultado nem AZ ou Covid podem sequer imitar

      • Sim senhor. Faço minhas as suas palavras. Acrescdnto o velho ditago:
        “Pimenta no cú dos outros é refresco para o nosso”. Claro que se tivesse 60 ou mais anos o discurso seria outro.
        Parabéns pelo seu comentário

    • E, porque motivo todas as vacinas que foram inoculadas em criancinhas não careceram da assinatura de um termo de consentimento e estas para o SARS COV 2 exigem esse consentimento, sabe explicar?

    • Este é outro patego. Esta vacina foi concebida em tempo record, sem a necessária consagração temporal. Daí a desconfiança lógica quanto à probabilidade de efeitos nocivos.

  8. Isto deve ser inconstitucional. Qualquer paciente tem o direito de saber o que lhe está a ser injectado no organismo. Acho que agora já estamos a entrar no campo da ditadura!…

        • Caro Fernando, pode então dizer-nos onde que é a notícia diz que os pacientes não têm o direito ou perderam o direito de saber o que lhes está a ser injetado no organismo. Aproveite e diga-nos que ditadura é essa que lhe permite vir aqui exprimir toda e qualquer opinião, por muito desinformada que seja? Obrigado.

          • Nuno Alves, se esta abordagem do Taskforce ou não resultar ou causar muitas recusas em loco, o passo seguinte provável poderá ser a inoculação surpresa, ou seja sem etiqueta

            • Caro etter, para cada 10 que se recusarem existem 100 que vão a correr levar a vacina, eu incluído, seja da AstraZeneca ou do que for. O “passo seguinte” que refere não é legalmente permitido. Se algum dia tal acontecer, então sim, mostre a sua indignação. Nesse dia, junto-me a si. Cumprimentos.

  9. A ditadura agora chegou à medicina! Falta de respeito pelo cidadão sobretudo pelos mais idosos aos quais a AstraZeneca de início não era aconselhável a esta faixa etária e agora como causa problemas são estes que a têm que gramar, grupo de valor secundário pelo qual os governantes deste país nutrem um grande respeito! Preparem-se os mais novos para outras epidemias que isto é bom negócio e daqui a mais uns anos será a vossa vez de serem atirados para o lado e cada vez mais sem um mínimo de consideração.

    • Ler a notícia antes de comentar dá assim tanto trabalho?!
      A medicina/ciência não é “uma democracia”!…
      .
      Os comentários (alucinados) nesta notícia são um exemplo de porque de surgem os Ventura’s, os Trump’s, etc, etc: toscos preguiçosos a espalhar “indignação” sem sequer ler (ou compreender) a notícia!
      .
      A task force fez muito bem e, quem não quer determinada vacina tem bom remédio: arruma para o lado e dá a vez a quem quer ser vacinado!!

      • Então EU!, se é tão fácil, e se ninguém é prejudicado, qual a melhor opção?
        Quem é mais chico esperto:

        Aquele que tenta evitar causar vacinas A-Z desperdiçados por só saber no momento qual a marca que lhe é impingida e ter de declinar humildemente,

        ou aquela que afirma:
        “O objetivo é garantir que a população, no seu conjunto, tenha uma resiliência maior porque há uma diversidade de vacinas nas várias regiões”

        Esta afirmação sim aumenta o crescimento da extrema-direita, pois se o Umberto Eco achava que as redes sociais dão voz aos imbecis, ele deve ter sido bastante estúpido, porque mesmo um imbecil percebe quando está a ser levado com uma afirmação tipo ‘vista-submarino’ (tunnel-view). Resiliência uma OVA!

        Mas de facto são ao mesmo tempo imbecis por não entenderem que a extrema-direita é lobo-em-pele-de-cordeiro e pago pelo mesmo patrão.
        Tantos anos de ditadura com tanto medo e ainda não aprenderam nada.
        E Tu!, Eu!, tu devias de saber melhor

        • Que confusão!…
          A notícia é clara e eu concordo totalmente com a Task Force!
          .
          O resultado das redes socias darem voz aos embecis está bem à vista em muitos dos comentários aqui publicados!… alguns nem sequer lerem a notícia e outros “indignados” (que supostamente lerem), não a conseguiram compreender – são esses idiotas úteis de que se alimentam os Ventura’s Trump’s, Le Pen”, etc, etc!!

          • Sim, mas a TV dá voz aos governos e taskforces. Também não havia dantes. Assim o equilíbrio restabeleceu-se.
            .
            O fenómeno da ascensão da extrema-direita explica-se da profunda indignação do cidadão perante a arrogância e paternalismo de gente que exclama que ele nem sabe ler 🙂

            • A TV sempre de voz aos governos e comparar isso com um qualquer “alucinado” a espalhar teorias manhosas nas redes sociais a dizer que a Terra é plana, que 5G “frita o cérebro”, que as vacinas da Covid tem microchips, etc, etc, não é “equilibrar” nada!!
              Na verdade, desequilibra ainda mais…
              .
              O fenómeno da extrema-direita explica-se com tontinhos iludidos à procura de milagres ou de soluções fáceis para problemas difíceis!…
              Como comprovam aqui vários comentários, há “cidadãos” que andaram na escola, tem acesso à internet e mesmo assim, por preguiça ou ignorância, não são capazes de ler/interpretar uma simples notícia!!
              São esses “indignados” os primeiros a juntar-se às “ovelhas” das extremas-direitas, e que depois dão o resultado que se viu, por exemplo, no Capitólio!

          • Ventura – a esperança para sairmos desta miséria esquerdoide em que o país se colocou e que nos tem oferecido um país sem rumo, pobre e melancólico.

      • O Eu uma vez mais baralhado! Será que escrevi algo que vários (responsáveis) nacionais e internacionais não tenham afirmado no início? Agora se de início não era boa para os mais idosos e se vem comprovando ser má para os mais jovens, será de crer que para os mais idosos poderá ser mais eficaz no caminho para o cangalheiro. Estar aqui a defender políticos nacionais e internacionais que nem sequer tiveram ainda a consciência de abrir caminho a outras vacinas, por aí é que eu não vou e só condeno a atitude. Tão hábeis a comprar toda a espécie de bugiganga aos chineses e agora tão receosos na investigação e compra de vacinas, será que têm compadres nas atuais fornecedoras?

        • Mais uma vez, não lês o que eu escrevo e depois dá asneira!…
          Não defendi políticos; defendi a ciência contra a ignorância!!
          Gostava de saber onde é que os “cientistas” de Facebook foram buscar as certezas de que a vacina da AZ é “lixo” e que as outras é que são boas!…

          • Os (cientistas) do Facebook limitam-se apenas a interpretar o que ouvem na comunicação social, o que os verdadeiros cientistas e políticos dizem e contradizem, portanto, alguém que não é ignorante e absolutamente certo do que diz neste país só pode haver um, o Eu!

            • Os “verdadeiros” cientistas normalmente não aparecem na comunicação social e, como se comprova aqui nos comentários a esta notícia, nem todos os que se “informam” pelo Facebook tem capacidade para interpretar o que veem/leem!
              A ciência não é como as religiões e, só a ciência pode contradizer a ciência – e isso é muito bom; a ciência exatamente isso!!
              Felizmente há (até aqui nos cometários) vários além de mim que conseguiram perceber as notícias e que conseguem perceber a realidade à sua volta…
              .
              Ainda estou à espera de ver uma fonte de informação fidedigna onde alguém minimamente capaz diga que a vacina a AZ é má e a da Pfizer (ou outras) são “perfeitas”!

    • Exatamente. O incompetente primeiro ministro, disse há tempos que a vacina da Astrazeneca não ia ser administrada a pessoas com mais de 65 anos. Agora anda a dizer o contrário. Um gajo destes deveria ser preso.

  10. Para evitar “truques”? Mas está tudo doido? Eu, se não quero morrer por tomar uma vacina e adio o dia para tomar outra… é um truque?! esta mudança é que é um truque! Para além de não se poder escolher a vacina, oculta-se e engana-se o povo. Que bonito…

      • Pois …e o vice-almirante já está a ultrapassar os limites , que supostamente teria e a DGS ajuda a “festa” por mera trapalhada, ora diz menor de 65 anos, agora maiores de 60 anos, ficando o IFARMED na posição indiferente e possivelmente por causa das suas grandes incertezas e duvidas visíveis em cada conferencia de impressa.
        A liberdade de expressão em regime democrático permite dizer e exprimir a opinião de cada cidadão, mas este “esquema” instituído não sei por quem, e que aborda claramente um TRUQUE, deixa-me a mim e a varias pessoas muita preocupação.
        Tudo o que extravasa o limite do razoável, temos que colocar um fim !!!
        Estamos saturados de tanta invenção e confusão possivelmente, de quem nada sabe.

    • Mas qual é a vacina que anda a matar pessoas??
      A estupidez é que mata!…
      Andas a ver muitos “filmes” e o pior é que não consegues distinguir ficção da realidade…

  11. Acho que é melhor começarmos a mandar vir caixões de Oxford… porque alguém vai passar mal, graças a estas trafulhices ilegais.

  12. Discriminam as pessoas com mais de 60 anos que vao levar com a vacina da astrazeneca. Ou seja, se morrerem também já têm uma certa idade.
    Nunca me enganaram.

    • Quantas pessoas com mais de 60 anos morreram com a vacina da Astra Zeneca, sabe? Eu digo-lhe: zero. E sabe quantas morreram com COVID? Pois.

  13. Prefiro pagar do meu bolso uma vacina, para poder escolher, do que ser usado como caixote de lixo para uma vacina que já lá merece estar.

    • Fazes bem!
      Quem não quer a vacina que está disponível, que se desenrasque e pague do seu bolso e está o problema resolvido!!
      .
      Mas, gostava de perceber como chegaste à conclusão que uma vacina é “lixo” e que outra é uma “maravilha”!…
      Foi com “ajuda” dos experts das redes sociais?!
      Pois….

      • Normalmente os médicos do SNS ficam ofendidos se alguém der preferência ao Particular. O argumento que assim o ‘doente’ subsidia indirectamente os cofres do Estado, também não colhe bem.
        Dá-me a sensação que Eu! é médico?
        .
        Era um quadro, mas impingido que é

        • Ah?! Que grande “filme”!…
          Não sou médico nem trabalho em saúde, mas boa parte dos médicos do SNS trabalham também no privado, logo o que dizes não faz qualquer sentido!…

    • etter – tem toda a razão, no mínimo deem a possibilidade ao cidadão de poder comprar o que bem entende, mesmo que possamos estar errados, não ficaríamos com a sensação de servir de cobaias ou lixo indesejável.

  14. O que eu gostaria de saber é qual a razão por que as vacinas A Zeneca são só para a velhada a partir dos 60. Alegavam as autoridades que os não vacinados acima daquela idade têm um risco maior de contrair a doença. É verdade. Mas estão estão a utilizar um estratagema que não me convence: estão a confundir o risco de se apanhar a Covid com o risco de tomar a A Zeneca. Alguém que me prove que o risco de os mais jovens, particularmente homens, tomarem a AZ é maior do que para os mais velhos. Dá até a impressão de que os mais velhos são descartáveis, e é através deles que vão desencalhando a vacina.

    • Caro João, ninguém tem que lhe demonstrar nada. Você, se se der ao trabalho de pesquisar, vai verificar que exatamente zero pessoas com mais de 60 morreram devido aos alegados efeitos secundários da AZ (tromboembolismos). Os poucos que morreram eram essencialmente mulheres relativamente jovens, e numa taxa 10x inferior à taxa de risco de tromboembolismos que ocorrem quando… anda de avião. Pegando em nº igual de pessoas vacinadas com AZ e pessoas não vacinadas, sabia que as que NÃO FORAM vacinadas tiveram mais tromboembolismos do que as que foram? As pessoas têm de perceber que isto é um não-caso, empolado pelos negacionistas e políticos medrosos que querem agradar a gregos e troianos suspendendo a aplicação da AZ e promovendo o pânico, em vez de simplesmente seguir a ciência.

  15. O vice-almirante, que deve ter uma formação pré-25 de Abril, acha que é legítimo enganar os portugueses em nome de interesses que só podem ser inconfessáveis. Por isso recusarei qualquer vacinação (tenho 78 anos) e só me vacinarei quando puder comprar na farmácia a vacina que considero aceitável. E o vice-almirante que vacine a sua família com o lixo que quiser…

    • O vice-almirante, já se vendeu ao poder trafulha político. Em pouco mais de um mês já foi domesticado. E eu a pensar que com aquele camuflado vestido era “pão pão, queijo queijo”. Enganei-me.

    • Ele tem, mas é uma formação pós-25 de abril e cada vez mais parece um baile mandado do governo! O respeito pela pessoa alheia tem cada vez menos valor neste país!

        • Pois, não, agora é que é tudo bom, não se pode andar pelo menos em certos locais na rua a partir de determinada hora, sozinho, crianças a brincar livremente na rua passou à história, segurança de pessoas e bens é o que se vê, isto só para referir os mais básicos e elementares direitos de cidadania.

          • Muito gostas tu de misturar situações completamente distintas!…
            Estavas a falar do respeito “do Estado” pelo cidadão; agora falas de segurança… e, fica a dúvida se estás falar de Portugal ou do Brasil!…
            Fora um ou outro caso pontual, eu ando em qualquer rua do país a qualquer hora sem qualquer problema e, todos os dias vejo crianças brincar na rua: basta-me ir à janela!!
            .
            Como se nota que conheces mal Portugal (e não conheces o resto do mundo) aqui ficam alguns indicadores:
            .
            “Portugal é o país mais seguro da União Europeia e o terceiro do mundo”
            “O Ministério da Administração Interna mostrou-se satisfeito com a manutenção do terceiro lugar de Portugal no Global Peace Index (GPI), ‘ranking’ dos países mais seguros, ocupando o primeiro lugar entre os países da União Europeia (UE).”
            DN/Lusa, 10 Junho 2020
            .
            “Portugal tem dos níveis mais baixos de violência na Europa, diz estudo”
            “Quase um em cada três europeus foram vítimas de assédio (o que representa 110 milhões de pessoas) e 22 milhões foram fisicamente agredidos. Em Portugal, apenas 4% disseram ter sido fisicamente agredidos.”
            DN, Lusa, 19 Fevereiro 2021
            .
            “CRIMINALIDADE EM PORTUGAL BAIXOU “SIGNIFICATIVAMENTE””
            “Ministro da Administração anunciou, no Parlamento, uma descida considerável no número de crimes violentos e graves”
            TVI24, 2019-01-04

            • Nunca vi crianças em Portugal a brincar na rua.
              Estas delirante. Espera, não é verdade. Há de facto uma família de Brasileiros no meu prédio e estas crianças brincam na rua, jogam bola e outros jogos de rua.
              .
              Não temos aqui marroquinos, turcos e os russos de Golden Visa que há, descansam aqui e fazem os seus crimes em outros países da UE.

            • Claro que segurança e respeito não se relacionam com governos, pelo menos aqui em Portugal vai-se por esse caminho!
              Davas um bom primeiro-ministro, saías melhor que o Sócrates!

        • Nasci em 1945 e nunca fui desrespeitado pelo regime anterior. Essa conversa é uma treta disparatada e vigarista.

          • E que se lixem o resto (larga maioria) do Portugueses que foram, certo? O mundo é muito maior do que o seu umbigo, meu caro.

          • Salgado, és tu?
            Os amigos do Salazar diziam o mesmo; enquanto a restante população nem a boca podia abrir!…
            Se tu e os “donos disto tudo” que parasitavam à volta do regime, não eram “desrespeitados”, então estava tudo bem com a mais longa ditadura da Europa – o povo é que está mal habitado e pensa que tem direitos!…

  16. Pois assim o SNS é desacreditado ainda mais. Não há maneira de contornar a auto-medicação e a ida ao Privado. Pago pelo SNS e pago pelo Privado. É a chamada situação Win-Win-Loose e eu com quase 70 anos sou um LOOSER por idade.

    Pago duas vezes para ser cobaia num jogo de roleta-russa entre o Estado e o Privado.

    É gente esperta que dantes estava na arena do circo a domar os cavalos com petisco e pequeno castigo.
    Agora é a política e mesmo os ‘cientistas – especialistas’ com o signo do $ nos olhos que começaram a bater na Astra-Z por não produzir, depois não se devia de vacinar esta A-Z aos velhotes nem crianças e numa viravolta espectacular no trapézio, querem escoar o produto só a gente que morre na mesma em breve.
    É lógico, porque uma indemnização é calculado pelo prejuízo que o dano causa.

      • Não e nem constava de qualquer lista. Agora me inscrevi online com a minha morada actual etc. porque até agora tinha sido impossível. Eis uma vantagem do Covid19: Finalmente posso exigir um Médico de Família. Tenho 10 anos para tratar isso porque o meu seguro particular caduca aos 80 anos 🙂 tristeza 🙂
        Me lembro das ‘estórias’ dos meus sogros que aos 80 e tal tinham que estar de pé e no frio desde às 6 de manhã para apanhar uma senha.
        O meu Futuro.

        Mas se eu tomar a vacina da Astra-Z, tenho tanta probabilidade de morrer da cura que ficar multi-milionário nos Euromilhões!

        • Não fui eu quem fez a pergunta anterior (foi algum “artista” que se fez passar por mim), mas o SNS só fica desacreditado na cabeça dos ineptos ou dos “iluminados” das redes sociais!…
          Mas esses “descreditam” tudo e vão atrás das “ovelhas”, portanto…

          .
          Como tens acesso à Internet, se não queres ir às 6 da manhã tirar senhas (coisa que NUNCA aconteceu em mais de 99% dos centros de saúde em Portugal), podes fazer a marcação online!
          Eu nunca tive que ir para filas para ir ao médico de família e há anos que marco as consultas online sem qualquer problema!!

          • Um povo tem uma sabedoria colectiva. Mas de facto a informação nas mãos do povo é péssima, já ninguém acredita na desinformação.

            Eram pessoas de 80+ que não tinham internet nem computador e aconteceu em Algés (ao lado de Lisboa). Não diga que nunca aconteceu, porque agora com a minha inscrição num centro de saúde perto da casa, posso ver o que vai acontecer se preciso de medico de família.
            Em qualquer caso, tenho amigo médico no Hospital Distrital. Comprei-lhe almoços e prendas de aniversário e natal.

            • Agora, com as novas tecnologias, o “povo” tem também “ignorância” coletiva!!
              Pelo contrário; com o Facebook, etc à disposição de todos, cada vez mais acreditam em desinformação – com o resultado que se tem visto, como a eleição de Trump, a invasão do Capitólio, etc, etc…
              As pessoas preferem “mentiras” simples a “verdades” complicadas… por isso é que ainda há religiões!…
              .
              O Algés não é o todo país e eu disse que isso “nunca aconteceu em mais de 99% dos centros de saúde se Portugal” – provavelmente só aconteceu nesse…
              .
              Se precisares do médico de família podes marcar a consulta aqui:
              Área do Cidadão do Portal SNS
              servicos.min-saude.pt/utente/
              .
              “tenho amigo médico no Hospital Distrital. Comprei-lhe almoços e prendas de aniversário e natal.”
              Isto é uma piada, certo?!

            • “Nunca vi crianças em Portugal a brincar na rua.
              Estas delirante”
              O quê?!
              Ou estás a tentar gozar comigo ou não conheces NADA de Portugal – ou és tu quem está delirante!!
              Portugal não é só a tua rua/bairro…
              .
              De qualquer modo, vamos ficar por aqui porque já está tudo dito sobre este assunto.

            • “tenho amigo médico no Hospital Distrital. Comprei-lhe almoços e prendas de aniversário e natal.
              Isto é uma piada, certo?!”
              não, mas não é como tu pensas. Quem diz isto?

              Tas a viver em Portugal dos Portugueses? jardim a beira mar? Avril Au Portugal?
              Realidade paralela, provavelmente. Quero mudar para teu Portugal
              Pronto tamos falados
              Abraço!

        • Isto do particular é uma maravilha! Tem-se um seguro de saúde que caduca quando mais se precisa!
          Abençoado Serviço Nacional de Saúde, ao menos esse nunca caduca!

          • É verdade, não é? 🙂
            E então os limites, só segura até determinada valor que também não custa muito cuspir. Se for mais caro, então . . o seguro não paga 🙂
            E tem exclusões tipo diálise e quimioterapia para melhor não falar de transplantes

            Para o SNS é preciso a paciência e o tempo de reformado

  17. Para as pessoas que dizem que não se sabe ler, basta fixarem-se no que o título diz para perceberem que ele diz que vai ser mais difícil para as pessoas saberem qual o tipo de vacina que vão levar, ou não é assim?! E digam o que disserem isto não é correto! Não há legislação nenhuma, em democracia, que nos obrigue a tomar um medicamento que não queremos! Somos apanhados no meio de uma guerra de vacinas, de interesses, de opiniões contraditórias e não podemos ter opção?
    Se apanharmos a que não queremos, é bem possível que os efeitos secundários sejam mais graves pelo efeito de sugestão.

    • Maria indignada, o problema é esse: só saber ler o título! Se perder um bocadinho de tempo a ler de facto as notícias, vai verificar que muitas vezes dizem coisas diferentes do título. E até pode ser que aprenda alguma coisa. Ninguém a obriga a coisa nenhuma. Quando for a sua altura de ser vacinada e não gostar da marca da mesma, recusa e vai para o fim da fila.

  18. É incrível a quantidade de disparates que aqui vi.
    Mas os amigos sabem mesmo ler? Leram a notícia toda ou ficaram apenas pelo título?

  19. Caro Nuno Alves, talvez me tenha explicado mal. Eu não sou negacionista, e digo mesmo que não tenho nada contra a A Zeneca. Risco existe em qualquer medicamento que se tome. Tenho 73 anos e tomarei, obviamente, a AZ se me for dada a oportunidade. Só não aceito é que se informe que, como o risco maior para não vacinados está nas pessoas mais idosas, vamos enviar-lhes a AZ. E está está reservada só para velhos. Por que é que os jovens adultos masculinos não a podem tomar?

    • Caro João, no caso da vacina da AZ, o pouco risco de tromboembolismo existe essencialmente nas mulheres mais jovens. Morreram exatamente zero pessoas com mais de 60 anos devido a esse raríssimo efeito secundário (que é muito mais provável de ocorrer durante uma viagem de avião!). Assim sendo, não faz sentido reservar a AZ apenas para os maiores de 60, que estão na prática imunes a esse problema? Obrigado e cumprimentos.

  20. Ai… reclamam tanto…
    Se Portugal é assim tão mau, ditador, abuso de poder – emigrem!
    O chamado 3º mundo não tem vacinas. Nenhumas. Nem ibuprofeno ou paracetamol! Problema resolvido.
    Não há sistemas perfeitos porque nós não somos perfeitos…
    E antes que venham dizer que… gosto dos politicos, que já fui vacinada, que sou “esquerdalha”, olhem à vossa volta e pro vosso umbiguinho. E vejam o tanhanho que ele tem!
    (é pequenino, não é?!)

  21. Vais colocar aqui algum caso de morte relacionada com a vacina, ou vieste só mostrar a tua capacidade de repetir “palpites” e “frases feitas”?!
    A informação pode ser um problema para quem não tem capacidade para a interpretar!…

  22. Questão prévia: já existiu algum debate sério a propósito da eficácia da vacina (qualquer delas) ?
    E na hipótese meramente académica de se conseguir vacinar 100 % da população (o que só se conseguiria com uma vacinação obrigatória) isso não quereria dizer que 100 % da população ficasse imune. A biologia individual reage às vacinas de forma diferente, o que quer dizer que existem pessoas a quem a vacina pura e simplesmente não produz qualquer efeito, porquanto o seu sistema imunitário “anula” quaisquer anti-corpos injectados. Qual o interesse então de inocular ? E quanto aos efeitos adversos e contrariamente aos dos medicamentos uma vez inoculado, não há retrocesso. A toxicidade das vacinas (v.g.o alumínio como adjuvante) também não é debatida seriamente. Nem sequer aflorada.
    A estatística neste (como aliás noutros casos) afigura-se pouco adequada. O facto de existirem poucos casos de mortes provocadas pela vacina, faz soar a lotaria. Está disposto a arriscar ?

    • Cara Bianca, claramente nunca ouviu falar em imunidade de grupo, e claramente não está a par dos inúmeros estudos e meta-estudos que demonstram a eficácia e segurança desta e outras vacinas. Estudos não são debates, são mesmo estudos, feitos em dezenas, centenas, milhares ou até milhões de pessoas, dos quais se obtêm dados e métricas concretas. Pode “debater a sério” o quanto quiser, isso não muda a realidade: as vacinas (estas e outras) são eficazes e seguras, e mal da farmacêutica que ponha cá fora algo duvidoso ou menos seguro — acaba nesse dia. Note que o Facebook e o Youtube não são de todo fontes de informação fiáveis. Cumprimentos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE