Regresso ao trabalho. UE recomenda divisórias entre funcionários e turnos diferentes

Neil Hall / EPA

A União Europeia (UE) recomendou esta sexta-feira, para um “regresso seguro” ao trabalho devido à Covid-19, a colocação de divisórias entre funcionários nas empresas e incentivou a continuação do teletrabalho e a utilização de transportes individuais em vez dos coletivos.

Numa altura em que os Estados-membros analisam o levantamento das restrições adotadas para tentar conter a propagação do novo coronavírus, a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, em cooperação com a Comissão Europeia, divulgou esta sexta-feira “orientações para um regresso seguro ao local de trabalho”, que incluem, por exemplo, a recomendação de as empresas “colocarem uma barreira impermeável entre os trabalhadores, especialmente se estes não forem capazes de manter uma distância de dois metros um do outro”.

“As barreiras podem ser feitas propositadamente ou improvisadas, usando itens como folhas de plástico, divisórias, gavetas móveis, ou unidades de armazenamento”, aponta a agência europeia, explicando que “objetos que não sejam sólidos ou que tenham folgas, como plantas em vaso ou carrinhos, ou que criem um novo risco, como tropeçar ou tombar, devem ser evitados”.

Em caso de não ser possível ter esta divisória, Bruxelas sugere a criação de um “espaço adicional entre os trabalhadores, […] garantindo que eles tenham pelo menos duas mesas vazias de cada lado”. O objetivo é “reduzir, na medida do possível, o contacto físico entre trabalhadores” seja nas rotinas de trabalho, como em situações como reuniões ou intervalos.

No fundo, a UE entende que as empresas que retomem as suas atividades devem “estabelecer políticas em matéria de licenças flexíveis e trabalho à distância para limitar a presença no local de trabalho”.

Nos casos em que a presença física não pode ser evitada, a UE propõe que se minimize a exposição à Covid-19, realizando apenas os “trabalhos essenciais”, e pedindo que se “adiem alguns trabalhos para quando o risco for menor”.

“Se possível, prestar serviços à distância (telefone ou vídeo), em vez de o fazer pessoalmente e assegurar que apenas os colaboradores essenciais ao trabalho estejam presentes no local, minimizando ainda a presença de terceiros”, refere a agência europeia nas recomendações.

E, em casos em que os contactos próximos são inevitáveis, a UE pede que sejam limitados a um total de 15 minutos, propondo turnos diferentes, organização de pausas e utilização de locais como casas de banho à vez.

Outra das recomendações feitas por Bruxelas é de as empresas “facilitarem a utilização de transportes individuais e não coletivos por parte dos trabalhadores, por exemplo, disponibilizando um parque de estacionamento ou um local seguro para guardar bicicletas, e incentivando os trabalhadores a caminhar para o trabalho, se possível”.

Bruxelas solicita, ainda, que as empresas “forneçam sabão e água ou desinfetante apropriado em locais convenientes e aconselhem os trabalhadores a lavarem as mãos com frequência”, devendo ao mesmo tempo “limpar as suas instalações com frequência, especialmente balcões, puxadores das portas, ferramentas e outras superfícies que as pessoas tocam frequentemente”.

Em comunicado hoje divulgado, a Comissão Europeia salientar ser “da maior importância garantir que os trabalhadores podem regressar ao local de trabalho num ambiente seguro e saudável” e admite que, para isso, se mantenham algumas restrições ou que estas voltem a ser aplicadas quando se verificar necessário, por exemplo, em caso de aumento das infeções.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Imunidade de grupo poderá ser atrasada. Jovens com mais de 18 anos vacinados a partir de 4 de julho

Henrique Gouveia e Melo, coordenador da task-force para o Plano de Vacinação contra a covid-19, admitiu um atraso de até 15 dias na meta de 70% de população vacinada com a primeira dose, devido ao …

Supremo espanhol ordena libertação imediata dos nove políticos catalães

O Supremo Tribunal espanhol ordenou, esta quarta-feira, a libertação imediata dos nove líderes independentistas catalães condenados pela tentativa separatista de 2017, depois de o Governo ter concedido um indulto por "razões de utilidade pública". Segundo a …

Corona quer sair do FC Porto e tem uma escolha de eleição

Em final de contrato com o FC Porto, Jesús Corona olha para a porta de saída e vê no Sevilha a escolha de eleição para seguir a sua carreira. Jesús Corona termina contrato com o FC …

Índia alerta para variante Delta Plus, já presente em Portugal. É a chamada "mutação nepalesa"

A Índia alertou, esta terça-feira, para uma mutação da variante Delta, chamada Delta Plus, que já terá sido detetada em nove países, incluindo Portugal. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge confirma que se …

PS acusa Rui Rio de "incoerência" por criticar Governo após palavras de Merkel

Sobre as críticas de Angela Merkel subscritas por Rui Rio, Ana Catarina Mendes lembra que, "em maio, o PSD criticava o Governo por não ter ainda anunciado a abertura aos voos do Reino Unido". A líder …

Arqueólogos investigam mistério de túmulos reabertos há 1400 anos

Um novo estudo mostra que pessoas que viviam na Europa há cerca de 1400 anos tinham o hábito de reabrir túmulos e retirar de lá certos objetos, algo que os arqueólogos ainda estão a tentar …

O dilema de Costa nas negociações: de um lado a esquerda que quer "destroikar", do outro Centeno que deixa avisos

António Costa vai dar início às negociações sobre o Orçamento do Estado em julho, mas está numa encruzilhada: se, de um lado, tem a esquerda a pressioná-lo com o dossiê do Código do Trabalho; do …

"Dever de neutralidade". Portugal não assinou carta contra a Hungria pelos direitos LGBTI

O Governo de António Costa está a ser duramente criticado por ter recusado subscrever uma carta assinada por 13 Estados-membros da União Europeia (UE) contra a Hungria, na defesa dos direitos LGBTI neste país. O …

Jogos de futebol emocionantes podem (literalmente) parar o coração

Um equipa de investigadores descobriu que um jogo de futebol emocionante, que deixa as pessoas stressadas ou zangadas, pode provocar um ataque cardíaco. Em 2014, a Alemanha venceu a Argentina na final do Campeonato Mundial de …

PSD aprovou lei que mantém libertação de presos

Num texto conjunto com o PS, no ano passado, o PSD propôs que a vigência do regime de perdão de penas no âmbito da covid-19 terminasse "na data a fixar em lei própria". O líder do …