Festivais de verão à espera das regras da DGS. Testes e dispensa da máscara podem ser realidade

Numa altura em que Portugal ainda se encontra na segunda fase de desconfinamento, ainda existem algumas incertezas quanto à organização de grandes eventos. Contudo, os promotores de espetáculos já estão a avançar trabalho coma DGS com vista a definir um quadro de regras para poder haver festivais em 2021.

Com a aproximação do início da terceira fase de desconfinamento, a partir de 3 de maio, já saiu o decreto-lei sobre espetáculos, aprovado em Conselho de Ministros a 1 de abril e promulgado pelo Presidente da República dois dias depois.

O decreto-lei prevê a possibilidade de se realizarem eventos que funcionam como “teste-piloto” para possíveis festivais no país em 2021, sob regras ainda a definir pela Direção-Geral de Saúde (DGS).



Segundo o Expresso, têm prosseguido as reuniões entre a DGS, a Cultura e os promotores de espetáculos sobre o tema dos eventos-piloto. O “Governo decidiu pôr isso em decreto-lei”, mas de momento “o que existe ainda é uma mão-cheia de nada”, frisa Álvaro Covões, presidente da Associação de Promotores de Espetáculos, Festivais e Eventos (APEFE).

Ainda assim, o responsável diz ter consciência que a pandemia continua ativa e as suas variantes a gerar picos em vários locais.

O objetivo da APEFE é finalizar com a DGS o quadro de regras concretas a nível sanitário que têm vindo a ser discutidas desde janeiro, para se poder “encontrar um caminho para os espetáculos que as regras atuais não permitem”.

Destaca que há que “esperar que as coisas possam vir a acontecer”, não se prevendo ainda ao certo quando será, e “tudo indica que estes testes só serão feitos a partir de 3 de maio, na última fase do plano de desconfinamento”.

A realização de eventos-piloto irá servir de teste e como base para definir o formato em que poderão decorrer os festivais no país enquanto persiste uma pandemia.

A condição necessária nestes eventos-piloto é que todos têm de entrar com teste negativo à covid, criando-se assim uma “bolha” segura que permite que grupos de pessoas, na ordem dos milhares, possam assistir aos espetáculos de forma até a dispensar uso de máscara ou regras de distanciamento.

Testes semelhantes já foram realizados em vários países europeus, envolvendo voluntários, designadamente em Espanha e na Alemanha.

“Têm-se feito testes destes por toda a Europa, em que as pessoas foram testadas à covid à entrada do evento, e depois acompanhadas nos dias subsequentes, e o resultado foi francamente positivo. Não houve casos nem surtos em consequência destes eventos”, enfatiza Jorge Lopes, da associação Porto Eventos, e diretor do festival MEO Marés Vivas.

“Conseguiu-se provar que é possível pegar numa população de milhares de pessoas a entrar num evento em formato de “bolha” – todas testadas – a conviver sem máscara e a fazer vida normal, sem haver risco de infeção. A partir do momento em que criamos um espaço em que o vírus não circula, o evento é seguro”, frisa Jorge Lopes.

Para estes eventos se poderem realizar em Portugal, o que falta é definir no concreto, por parte da DGS, as regras a que se sujeitam: se as pessoas já vêm testadas ou fazem o teste à entrada, o tipo de testes a utilizar, se envolvem ou não voluntários, a respetiva faixa etária, e ainda se o formato será com ou sem máscara, distanciamento, em recinto fechado ou ao ar livre.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Deve haver um erro. Acho que devia estar 2022 e não 2021… Não credito… Ou melhor! Não quero acreditar que vamos ser tão irresponsáveis ao permitrir tal coisa! E… continuamos a achar que vamos ter a maioria dos portugueses vacinados até ao Verão? Ha!

  2. A chatice toda é que, não sabendo ainda como o virus se transmite, não é possivel provar que foi transmitido aqui ou ali… Por isso é tão fácil dizer o evento é seguro “o evento é seguro”. Nunca poderá ser provado, mesmo com o tal “acompanhamento” de dias que foi no festival que a pessoa foi infetada. Mas tudo bem. Fica tudo num espaço bolha e tá tudo! Faz-se uns teste rápidos (com uma eficácia muito reduzida) e acredita-se que tudio tá bem. E tá, porque se der raia, a culpa é de ninguém! “Ele deve ter apanhado o virus noutro lugar… Aqui não foi!”

RESPONDER

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …

Milhares de pessoas manifestam-se na Austrália contra o confinamento

Milhares de australianos manifestaram-se, este sábado, em várias cidades do país contra as restrições impostas pelo Governo para controlar o aumento de casos de covid-19. Em Sidney, cerca de mil manifestantes protestaram contra o confinamento decretado …

Há 406 farmácias com testes comparticipados pelo Estado

Há 406 farmácias de 104 laboratórios em Portugal continental com testes comparticipados pelo Estado. Saiba quais. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) atualizou recentemente a lista das farmácias e laboratórios que disponibilizam testes …

Há 33 cursos com emprego garantido. Abandono no Ensino Superior aumentou

Este ano, há 30 licenciaturas e três mestrados integrados sem recém-diplomados inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional. Segundo o Observador, o número total (33) é inferior ao de 2020 e de 2019, quando foram …

Chegada de emigrantes obriga autarcas do Interior a apertar as regras

Os autarcas do Interior do país, sobretudo de regiões onde a variante Delta ainda não se impôs e o número de novos casos de covid-19 não limita o quotidiano das populações, estão preocupados com o …

Jovens com menos de 20 anos vacinados numa "happy hour" em Lisboa

Alguns jovens com menos de 20 anos foram vacinados no centro de vacinação do Altice Arena, em Lisboa, depois de terem sido informados que havia "sobras". Task force já negou essa explicação. A situação foi denunciada, …

John Textor diz que reação da SAD do Benfica é "cómica"

O empresário norte-americano que chegou a acordo com o "rei dos frangos" para comprar 25% da Benfica SAD considera que a reação à sua aproximação é "cómica". Este mês, a Benfica SAD comunicou à Comissão de …

Rio acusa Cabrita de "mentir aos portugueses e no Parlamento" sobre festejos do Sporting

Rui Rio acusou o ministro da Administração Interna de "mentir aos portugueses e mentir no Parlamento" e justificou o motivo que levou o PSD a recorrer à figura da audição potestativa, a que os partidos …