Arquiteto italiano anuncia “nova era” após a pandemia. No campo e mais ecológica

O arquiteto italiano Stefano Boeri, presidente da Trienal de Milão, afirmou que, devido à pandemia da covid-19, estamos prestes a entrar numa “nova era”, mais ecológica e sem energias fósseis, durante uma conversa com jornalistas através do Facebook.

“A normalidade é uma das causas deste desastre”, pelo que “chegou o momento de tomar decisões corajosas e pragmáticas”, disse o urbanista, conhecido pelos projetos de arranha-céus cobertos de vegetação, segundo noticiou o Expresso, citando a agência Lusa.

Stefano Boeri, com um grupo de sociólogos, antropólogos, urbanistas e artistas, está a estudar a instauração do “muro biológico” imposto pelo coronavírus e a introdução de um novo modelo de vida. “Caso contrário, as cidades vão transformar-se em bombas de contaminação”, sublinhou.

“A Itália conta 5.800 aldeias com menos de cinco mil habitantes, incluindo 2.300 quase abandonadas. Se as 14 metrópoles do país ‘adotarem’ estes pequenos centros históricos desabitados, dando-lhe vantagens fiscais, meios de transporte, etc… isso seria uma porta de saída. Isto é o futuro”, declarou ao La Repubblica, defendendo o regresso às aldeias.

“Compreendemos que podemos fazer teletrabalho e que passaremos mais tempo em casa. É preciso controlar esta evolução. O campo facilita isso, porque é preciso libertar espaço nas zonas urbanas”, explicou ainda o professor na escola politécnica de Milão, capital da Lombardia – região mais atingida pela covid-19.

O arquiteto acredita que Roma é ideal para receber um projeto como este, por ter “monumentos únicos, muitos espaços verdes e uma série de aldeias nos arredores”.

A Itália registou mais de 29 mil mortos e mais de 213 mil infetados.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.